A literatura na organização didática da escola moderna: em um caminho de perdas, a expressão de uma sociedade utilitarista

  • Ana Aparecida Arguelho de Souza Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Graciela Fátima Granetto Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Literatura. História. Educação

Resumo

Trata este artigo da investigação da literatura e de seus instrumentos de ensino na organização do trabalho didático na escola burguesa. Assenta-se a discussão nos fundamentos da Ciência da História defendida por Marx e Engels em A Ideologia Alemã (1987, p. 23), que afirmam ser a história a única ciência efetivamente. Fundamentado na  ideia de que é por meio da história que se pode apreender os objetos em sua gênese, desenvolvimento e obsolescência, este trabalho buscou captar, no contraponto com a Idade Média, a historicidade da literatura tal como ela se configurou em instrumentos didáticos específicos – manuais, compêndios e antologias – produzidos pela burguesia, ao longo do desenvolvimento do capitalismo. O objetivo foi delinear as perdas que sofreu a literatura nesse caminho, dentro de uma organização didática em que os instrumentos para o ensino da literatura, seguindo o espírito da escola manufatureira, relegou a literatura a um conteúdo sem expressão, feito de resumos e fragmentos. Para tanto procedeu ao levantamento e seleção desses instrumentos, buscando demonstrar por meio de sua análise, que na organização do trabalho escolar de nossos dias não há lugar para as altas literaturas que compõem o grande patrimônio cultural da humanidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Aparecida Arguelho de Souza, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Vinculada à UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), em regime de 40hTI, como professora adjunta e pesquisadora.
Graciela Fátima Granetto, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Possui Mestrado em Letras -área de concentração em Linguagem: Língua e Literatura pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS, Especialização em Educação a distância pelo SENAC e em Língua Portuguesa com ênfase em Multiletramentos, pela Universidade Gama Filho, e Graduação em Letras - Habilitação Português-Espanhol pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Referências

ALVES, Gilberto Luiz. O pensamento burguês no Seminário de Olinda (1800 - 1836). Ibitinga, São Paulo: Humanidades, 1993.

ALVES, Gilberto Luiz. A produção da escola pública contemporânea. Campo Grande, MS: Editora UFMS; Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2001.

ALVES, Gilberto Luiz. O trabalho didático na escola moderna: formas históricas. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

ANÔNIMO. Lazarilho de Tormes. Tradução de Pedro Câncio da Silva. São Paulo: Página Aberta; Brasília, Consejeria de Educación de la Embajada de Espanha. 1992.

AZEVEDO, Fernando de. A educação e seus problemas. São Paulo: Melhoramentos, 1953.

BARRETO, F. e LAET, C. de. Antologia Nacional. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1951.

BURY, R. Philobiblon (Tradução, apresentação e glossário de Marcelo Rollemberg). Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2004.

CERVANTES, M. Don Quijote de La Mancha. Edição comemorativa do IV Centenário. Real Academia Española/Edição e notas de Francisco Rico. São Paulo: Alfaguara, 2004.

COMENIUS. Didáctica Magna. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.

COUTINHO, A. Antologia Brasileira de Literatura. vol. I. 4. ed., Rio de Janeiro: Editora Distribuidora de Livros Escolares Ltda, 1970.

HOFF, Sandino. (Apresentação, tradução e notas). Ratke, Wolfgang. A nova arte de ensinar: (1571 - 1635) textos escolhidos. Campinas: Autores Associados, 2008. (Coleção Clássicos da Educação).

LE GOFF, Jacques. Os intelectuais na Idade Média. Tradução de Marcos de Castro. 3. ed., Rio de Janeiro: José Olympio, 2010.

LINS, Osman. Do ideal e da glória: problemas inculturais brasileiros. São Paulo: Summus, 1997.

LULL, R. Livro de Ordem de Cavalaria. Apresentação e tradução de Ricardo da Costa. São Paulo: Instituto Brasileiro de Filosofia e Ciências Raimundo Lúlio, 2010. Acesso: http://www.ricardocosta.com/textos/livrocav.htm

MACEDO, J. M. de. Um passeio pela cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora Planeta do Brasil, 2004.

MARX, K. e ENGELS, F. A ideologia alemã. 6 e.d., São Paulo: Hucitec, 1987.

MOLIÉRE. O tartufo; Escola de mulheres; O burguês fidalgo. Traduções de Jacy Monteiro, Millôr Fernandes, Octavio Mendes Cajado. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

PINHEIRO, J. C. Fernandes. Curso elementar de litteratura nacional. Rio de Janeiro: Garnier, 1862.

PINHEIRO, J. C. Postillas de Rethorica e Poetica. 3. ed., Rio de Janeiro: Garnier. 1885.

PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria Guadalupe. História da Idade Média: textos e testemunhos. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

PONCE, A. Educação e luta de classes. São Paulo: Cortez, 1985.

RATKE, W. A nova arte de ensinar: (1571 - 1635) textos escolhidos. Apresentação, tradução e notas de Sandino Hoff. Campinas: Autores Associados, 2008. (Coleção Clássicos da Educação).

REBELO, M. Antologia escolar brasileira. Rio de Janeiro: Departamento Nacional de Educação, 1967.

ROCHA LIMA. Ciclo ginasial de português. 3 e 4. Rio de Janeiro: Reper Editora, 1970.

ROMERO, Silvio. Compêndio de história da literatura brasileira. Colaboração de João Ribeiro. Organização de Luiz Antonio Barreto. Rio de Janeiro: Imago Ed., Universidade Federal de Sergipe, 2001. Edição comemorativa.

ROSA, M. G. S. NOGUEIRA, A. X. Cultura, literatura e língua nacional. São Paulo: Editora do Brasil S/A, 1976.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas-SP: Autores Associados, 2008. (Coleção educação contemporânea – Edição Comemorativa).

SOUZA, Ana A. Arguelho de. Manuais didáticos: formas históricas e alternativas de superação. In: BRITO, Silvia Helena Andrade de; CENTENO, Carla Villamaina; LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval (orgs). A organização do trabalho didático na história da educação. Campinas: Autores Associados, 2010.

SOUZA, Ana A. Manuais didáticos de língua e literatura na modernidade: gênese e desenvolvimento histórico. Revista HISTEDBR on-line, Campinas-SP, v. 01, p. 6 -19, 2010.

SOUZA, Ana A. Ensino de Literatura no Colégio Pedro II, no início do século XX: O Compêndio de História da Literatura Brasileira, de Sílvio Romero e João Ribeiro. Anais Eletrônicos UFB – João Pessoa, 2012. Acesso em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/acer_histedbr/seminario/seminario9/PDFs/3.39.pdf

SPINA, Segismundo. A cultura literária medieval. São Paulo: Ed. Ateliê Editorial, 1997.

VECHIA, A. LORENZ, K. M. (orgs.) Programa de ensino da escola secundária brasileira: 1850-1951. Curitiba: Ed. do Autor, 1998.

VIEIRA, Affonso Lopes. O romance de Amadis. São Paulo: Martins Fontes, 1995. (Coleção Gandhãra)

VICENTE, G. Auto da barca do inferno. São Paulo: Objetivo, 1997.

Publicado
2015-04-19
Como Citar
Souza, A. A. A. de, & Granetto, G. F. (2015). A literatura na organização didática da escola moderna: em um caminho de perdas, a expressão de uma sociedade utilitarista. Revista HISTEDBR On-Line, 14(60), 115-133. https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640551
Seção
Dossiê