As disputas em torno do ministério da agricultura, indústria e comércio e a confecção da primeira lei de ensino agrícola no Brasil

Autores

  • Marco Arlindo Amorim Melo Nery Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i63.8641172

Palavras-chave:

Ministério. Lei. Ensino Agrícola

Resumo

No início do século XX, A Sociedade Nacional de Agricultura (SNA) cobrava do governo central a criação de uma política agrícola que atendesse as demandas agrícolas, dentre elas a formação de mão de obra. Nesta direção, o governo criou o Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1906), o qual foi foco de disputas entre parte da elite agrária paulista e integrantes da SNA. Tais disputas deram origem ao decreto nº 8.319 de 1910, sendo a primeira lei do ensino agrícola brasileira, que refletiu experiências de países europeus, dos Estados Unidos e da própria experiência do estado de São Paulo, configurando-se numa lei marcada por um pensamento pragmático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Arlindo Amorim Melo Nery, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Doutor em Educação pela UFBA. Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe. Membro pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação do Estado de Sergipe (NPSE/UFS; rede HISTEDBR) e como lider do Grupo de Estudos e Pesquisas Sociedade, Educação e Cotidiano-GEPSEC.

Referências

BHERING, M. J. Positivismo e modernização: políticos e institutos científicos de agricultura no Brasil (1909-1935). 2008. 155 f. Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde). Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2008.

BRASIL. Decreto no 1.606, de 29 de dezembro de 1906. Cria uma Secretaria de Estado com a denominação de Ministério dos Negócios da Agricultura, Indústria e Comércio.

SICON (Sistema de Informações do Congresso Nacional). Disponível em: http://www.senado.gov.br/sicon

BRASIL. Decreto n° 8319, de 20 de outubro de 1910. Cria o ensino agronômico e aprova o respectivo regulamento. SICON (Sistema de Informações do Congresso Nacional), 1944. Disponível em: http://www.senado.gov.br/sicon.

BRASIL-RMA. Relatório do Ministério da Agricultura. As atividades agrícolas do Brasil em 1942. Rio de Janeiro: Serviço de Informação Agrícola, vol. I, 1943.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1913.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1915.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1916.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1917.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1919.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1920.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1922.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1923.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1924.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1925.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1926.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1927.

BRASIL-RMAIC. Relatório do ministro da Agricultura Indústria e Comércio enviado ao presidente da República. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1930-1931.

BRASIL-RMIVOP. Relatório do ministro da Indústria, Viação e Obras Públicas. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1909.

GRANATO, L. Ensino Agrícola. São Paulo: B. Mendes & Cia., 1918.

KOIFMAN, F. (Org.). Presidentes do Brasil: de Deodoro a Juscelino. Rio de Janeiro: Editora Rio, 2001.

MELO, V. A. de. Cidade esportiva: primórdios do esporte no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

MENDONÇA, S. R. de. A balança, a régua e o arado: sistema de ensino e habitus de classe na Primeira República. Cadernos do ICHF, Niterói: UFF, 48, Nov., 1992.

MENDONÇA, S. R. O ruralismo Brasileiro (1888 – 1931). São Paulo: Hucitec, 1997.

MENDONÇA, S. R. Agronomia e Poder no Brasil. Rio de Janeiro: Vício de Leitura, 1998.

MENDONÇA, S. R. O Convênio de Taubaté e a Agricultura Fluminense. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional v. 4. no 3 (edição especial), Taubaté, SP, p. 83-104, ago/2008.

ROSA, M. da G. de. História do ensino agrícola no Brasil República. Marília: Unesp, 1980.

SÃO PAULO. Secretaria de Agricultura, Comércio e Obras Públicas. D‟UTRA, Gustavo. O Ensino Agrícola nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. SP, 1908.

SOTH, L. A moderna agricultura e seus problemas. São Paulo: Atlas, 1968.

TURRISI, P. O Papel do Pragmatismo de Peirce na Educação. Cognitio: Revista de filosofia / Centro de Estudos do Pragmatismo, Programa de Estudos Pós-Graduados da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), n.1(2000). São Paulo: Angra EDUC, 2000, p. 122-135.

Downloads

Como Citar

NERY, M. A. A. M. As disputas em torno do ministério da agricultura, indústria e comércio e a confecção da primeira lei de ensino agrícola no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 63, p. 64–88, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i63.8641172. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641172. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos