A condição social da criança: reflexões sobre trabalho e afetividade, para o estudo da individuação

Autores

  • Douglas Facci Universidade Estadual de Maringá
  • Luiz Antônio Giani Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i63.8641175

Palavras-chave:

Estrutura social. Família. Indivíduo. Violência. Resistência

Resumo

Entre totalidade da vida social e subjetividade, as crianças sofrem, de um lado, as transformações do mundo do trabalho e, de outro, os transtornos da afetividade, como produto social. Um estudo de caso com pré-adolescentes revela a gravidade das determinações sociais sobre o indivíduo, no contexto da nova ordem produtiva e nova sociabilidade. Arrastadas as instituições por um desmanche generalizado, sob o impacto da reestruturação produtiva (“reengenharia”), os trabalhadores e sua prole enfrentam dificuldades e empecilhos, no processo de individuação. Captando as palavras e sentimentos das crianças, pode-se desvelar a sociedade que lhes é hostil, nos processos de “segurança ontológica” (Giddens); “habitus”, “estratégias de desespero” e “conservação da violência” (Bourdieu); estímulos sociais (Vigotsky); “reengenharia do tempo” (Oliveira) e “autonomia negativa”, um modo de resistência da criança que inclui, frequentemente, sua “má conduta”, em resposta à hostilidade social. Como parte da longa história da divisão social nas duas esferas, trabalho e afetividade, esta era de desmanche e indeterminação realça a origem social dos obstáculos e sofrimentos, contudo, é do próprio estranhamento que emerge, pela resistência e enfrentamento, a dialética, sem a qual não avança o processo de individuação emancipadora da criança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas Facci, Universidade Estadual de Maringá

Mestre, pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais - Mestrado, da Universidade Estadual de Maringá. Doutorando em Educação, na Universidade Estadual de Maringá

Luiz Antônio Giani, Universidade Estadual de Maringá

Professor do Departamento de Ciências Sociais, da Universidade Estadual de Maringá. Área: Sociologia. Aposentado em 2003, atua, como voluntário, no Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais - Mestrado, desde 2009. Disciplina ministrada: Teoria Crítica da Sociedade

Referências

ADORNO, Theodor W. Dialética negativa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009

ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995

ADORNO, Theodor W. e HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985

BATISTA, Roberto Leme. Reestruturação produtiva, ideologia e qualificação: crítica às noções de competência e empregabilidade. In BATISTA, Robeto Leme e ARAÚJO, Renan (orgs). Desafios do trabalho: capital e luta de classes no século XXI. Londrina: Práxis; Maringá: Massoni, 2003, p. 143-172

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido. Rio de Janeiro: Zahar: 2005

BAUMAN, Zygmunt. A ética é possível num mundo de consumidores? Rio de Janeiro: Zahar, 2011

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar: 2001

BOURDIEU, Pierre. Meditações pascalianas. Tradução Sérgio Miceli. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001

O DIÁRIO do Norte do Paraná. Sobra emprego e falta qualificação. Maringá, 19.05.2013, p. A1

DUARTE, Newton. A contradição entre universalidade da cultura humana e o esvaziamento das relações sociais: por uma educação que supere a falsa escolha entre etnocentrismo ou relativismo cultural. In: Educação e pesquisa, São Paulo, v. 32, n.3, p. 607-618, set./dez. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v32n3/a12v32n3.pdf - Acesso em: 11 mar. 2012

ERIKSON, Erik. Infância e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1971

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2002

GONZÁLEZ, Jorge Cammarano. Trabalho e cotidiano. In: BATISTA, Roberto Leme e ARAÚJO, Renan (org.). Desafios do trabalho: capital e luta de classes no século XXI. Londrina: Práxis; Maringá: Massoni, 2003, p. 55-79

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo 2010. Disponível em: http://www.censo2010.ibge.gov.br/apps/areaponderacao/index.html Acesso em: 23 jul. 2012

IPARDES - INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. Caderno estatístico: Município de Maringá. Junho, 2012. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/cadernos/Montapdf.php?Municipio=87000&btOk=ok Acesso em: 23 jul. 2012

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1996

JÚLIO, Marcelo. Crise do capital, reestruturação produtiva e qualificação. In: BATISTA, Roberto Leme e ARAÚJO, Renan (orgs.). Desafios do trabalho: capital e luta de classes no século XXI. Londrina: Práxis; Maringá: Massoni, 2003, p. 115-141

LUCENA, Eleonora de. Páginas de sangue. Os livros pensam a violência urbana. Folha de São Paulo, São Paulo, 29.07.2012, Ilustríssima, p. 4-5

MARCHI, Rita de C. A radicalização do processo histórico de individualização da criança e a “crise social” da infância. Braga: Universidade do Minho, Instituto de Estudos da Criança, 2009. Disponível em http://cedic.iec.uminho.pt/Textos_de_Trabalho/menu_base_text_trab.htm. Acesso em: 3 jan. 2013

MARCUSE, Herbert. Eros e civilização: uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. Rio de Janeiro: Zahar, 1968a

MARCUSE, Herbert. Introdução. A paralisia da crítica: sociedade sem oposição. In: A Ideologia da sociedade industrial. Rio de Janeiro: Zahar, 1982, p. 13-22

MARCUSE, Herbert. Liberation from the Affluent Society (1967 lecture in London). In: COOPER, David (ed.). The Dialectics of Liberation. Harmondsworth/Baltimore: Penguin, 1968b, p. 175-192. Disponível em: http://www.marcuse.org/herbert/pubs/60spubs/67dialecticlib/67LibFromAfflSociety.htm Acesso em: 7 jul. 2012

MARCUSE, Herbert. Novas fontes para a fundamentação do materialismo histórico. In Idéias sobre uma teoria crítica da sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 1972

MARTINS, José de Souza. Exclusão social e a nova desigualdade. São Paulo: Paulus, 2003

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. Disponível em: http://www.marxists.org/portugues/marx/1844/manuscritos/index.htm (Arquivo Marxista na Internet / MIA), 2007. Acesso em: 2 ago. 2011 Também disponível em: http://focouem.blogspot.com/

MARX, Karl. Grundisse: Manuscritos econômicos de 1857-58: esboços da crítica da economia política. Tradução Mario Duayer. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

MARX-ENGELS. Sobre literatura e arte. São Paulo: Global Editora, 1979

OLIVEIRA, Francisco de. Política numa era de indeterminação: opacidade e reecantamento. In: OLIVEIRA, Francisco de e RIZEK, Cibele Saliba (Orgs.). A era da indeterminação. São Paulo: Boitempo (Coleção Estado de Sítio), 2007, p. 15-45

OLIVEIRA, Rosiska Darcy de. Reengenharia do tempo. Trigésima octava reunión de la Mesa Directiva de la Conferencia Regional sobre la Mujer de América Latina y el Caribe – CEPAL / NACIONES UNIDAS. Panel: Políticas de protección social, economia del cuidado y equidad de gênero. Mar del Plata, Argentina, 7 y 8 de septiembre del 2005, disponível em http://www.eclac.cl/mujer/reuniones/mesa38/R_Darcy.pdf Acesso em: 28 jul. 2012

RODRIGUES, Ana Lúcia et alii. Análise da ocupação residencial na região metropolitana de Maringá: a construção e aplicação de uma tipologia. In RODRIGUES, Ana Lúcia e TONELLA, Celene. Retratos da região metropolitana de Maringá: subsídios para a elaboração de políticas públicas participativas. Maringá: Eduem, 2010, p. 17-39

SOUZA, Jessé. A construção social da subcidadania: para uma sociologia política da modernidade periférica. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2003.

TEIXEIRA, Francisco. Marx, ontem e hoje. In TEIXEIRA, Francisco e FREDERICO, Celso. Marx no século XXI. São Paulo: Cortez, 2009

VIGOTSKI, Liev S. A Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007

Downloads

Publicado

2015-10-03

Como Citar

FACCI, D.; GIANI, L. A. A condição social da criança: reflexões sobre trabalho e afetividade, para o estudo da individuação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 63, p. 122–146, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i63.8641175. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641175. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos