A formação docente em gênero e raça/etnia e a perspectiva de transformação social

Autores

  • Rosana Monti Henkin Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Bartolina Ramalho Catanante Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i63.8641180

Palavras-chave:

Gênero. Raça/etnia. Formação de professores e professoras

Resumo

Este trabalho tem por objetivo estabelecer uma conexão entre o papel da escola, enquanto aparelho ideológico do Estado e executora de políticas públicas educacionais, e as raízes das desigualdades construídas pela sociedade capitalista, racista e sexista,buscando compreender possíveis caminhos para a sua superação.O objeto de estudo é o projeto Gênero e Diversidade na Escola (GDE),oferecido por parceria entre as secretarias de políticas para as Mulheres (SPM) e de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão(SECADI/MEC), que visa a contribuir na formação continuada de profissionais de educação da rede pública de ensino, tratando articuladamente as relações de gênero, as relações étnico-raciais e a diversidade de orientação sexual,com vistas à transformação de mentalidades e práticas no interior da escola. Tomamos como base teórica a perspectiva marxista como fundamento da pesquisa educacional, buscando ver no confronto entre o movimento da nossa sociedade e a teoria nela produzida dados que demonstrem a origem das desigualdades. Nesse sentido, utilizaremos uma concepção de pesquisa que considere as dimensões tanto do singular quanto do universal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosana Monti Henkin, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1986) e Especialização em Gênero  e Políticas Públicas pela Universidade Católica Dom Bosco(2007). Atualmente está cursando Mestrado Profissional em Educação  pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul . Pertence ao quadro efetivo do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul - Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social, Superintendência de Direitos Humanos, responsável pela Unidade Estadual de Direitos Humanos. Desenvolve aitvidades de formação e capacitação em gênero para servidores públicos, profissionais da educação e movimentos sociais. Realiza consultoria em Gênero e atua como instrutora da disciplina de gênero na Fundação Escola de Governo de MS. É colaboradora da CONTAG.

Bartolina Ramalho Catanante, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), docente do Curso de Mestrado Profissional em Educação da UEMS,

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos Ideológicos de Estado: nota sobre os aparelhos ideológicos do estado (AIE). Traduzido por Walter José Evangelista e Maria Laura Viveiros de Castro.8.ed. Rio de Janeiro: Graal, 2001.

COMPARATO, Fábio Konder. O princípio da igualdade e a escola. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n.104, p.47-57, jul. 1998.Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/cp/n104/n104a04.pdf acesso em: 16 ago. 2013.

COUTINHO, Nelson. Gramsci: um estudo sobre seu pensamento político. Riode Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

GÊNERO e diversidade na escola: formação de professoras/es em gênero, sexualidade, orientação sexual e relações étnico-raciais. Livro de conteúdo: versão 2009. Rio de Janeiro: Cepesc; Brasília: SPM, 2009. Disponível em: http://estatico.cnpq.br/portal/premios/2013/ig/pdf/genero_diversidade_escola_2009.pdf Acesso em 13 ago. 2013.

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. 9.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

MARX, K. ; ENGELS, F.A ideologia alemã(I – Feuerbach). Traduzido por José Carlos Bruni e Marco Aurélio Nogueira.8.ed. São Paulo: Hucitec, 1991.

MUNANGA, Kabengele, organizador.Superando o Racismo na Escola. 2a edição revisada, [Brasília]: Ministério da Educação, Secretariade Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

NOSELLA, Paolo. “A Escola de Gramsci. 3. ed. – São Paulo: Cortez, 2004.

NOSELLA, Paolo. "Educação e. Sociedade, Campinas, vol. 29, n. 102, p. 255-273, jan./abr. 2008 Disponível em http://www.cedes.unicamp.br

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004. (Coleção Brasil Urgente).

SILVÉRIO, Valter Roberto. Ação afirmativa e o combate ao racismo institucional no Brasil. Cadernos de pesquisa, São Paulo, n.117, p.219-246, nov. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/n117/15560.pdf Acesso em: 15 ago. 2013.

SOUZA, Ana Aparecida Arguelho; et al. “Sobre(o)viver de crianças e adolescentes: umareflexão acerca do método de pesquisa. InterMeio, Campo Grande, v. 9, n.18, p.104-117,2003.Disponível em: http://www.intermeio.ufms.br/ojs/index.php/intermeio/article/view/187/181 Acesso em: 20ago. 2013

Downloads

Publicado

2015-10-04

Como Citar

HENKIN, R. M.; CATANANTE, B. R. A formação docente em gênero e raça/etnia e a perspectiva de transformação social. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 63, p. 233–242, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i63.8641180. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641180. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos