Banner Portal
O corpo em fronteiras: perfomances excludentes no universo escolar – uma narrativa etnográfica
PDF

Palavras-chave

Performance. Exclusão. Estigma. Etnografia

Como Citar

CAETANO, M. R. V.; CASTRO, P. A. de. O corpo em fronteiras: perfomances excludentes no universo escolar – uma narrativa etnográfica. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 63, p. 320–329, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i63.8641187. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641187. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

As performances excludentes são apresentadas, neste artigo, através da narrativa etnográfica deslocando o não-lugar do corpo na fronteira interativa do universo escolar. Esta interação apresenta-se nas aulas de História com a aluna Tereza e seus processos de aprendizagem marcados pela estigmatização latente daqueles que permanecem nos espaços educativos sem que dele prescindam suas regras. A narrativa nos conduz por um ano letivo e por possibilidades avaliativas na perspectiva de uma Educação que se pretende inclusiva na sua função formadora de alunos e professores em exercício de sua prática.

https://doi.org/10.20396/rho.v15i63.8641187
PDF

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e estética: a teoria do romance. 5.ed. Trad. Aurora Fornoni Bernardini et al. São Paulo: UNESP/HUCITEC, 2002.

BONDÍA LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. http://www.anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE19/RBDE19_04_JORGE_LARROSA_BONDIA.pdf, acessado em 01 de dezembro de 2010.

BRITZMAN, D. O que é esta coisa chamada amor: identidade homossexual, educação e currículo. Educação e realidade, Porto Alegre, v.21, n.1, p.71-96, jan./jun. 1996.

CASTEL, R. As transformações da questão social. In: BÓGUS, M.C.; YAZBEK, M. Belfiore-Wanderley, (Org.) Desigualdade e a questão social. São Paulo: EDUC, 2007.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis - RJ: Vozes, 1994.

COSTA, L. S. M. da. Abuso no curso médico e bem-estar subjetivo. 2003. Tese (Curso de doutorado em psicologia social). Universidade Federal do Rio de Janeiro.

DUBET. F. Quando o sociólogo quer saber o que é ser professor – entrevista com François Dubet. Revista Brasileira de Educação. Set/Out/Nov/Dez 1997 no 6, p. 222-231, 1997.

FOUCAULT, M. Os anormais: curso no Collège de France (1974-1975). São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GOFFMAN, E. Estigma e identidade social In. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1975.

RANGEL, M. “Bom aluno: real ou ideal? 1995. Tese (concurso para Professora Titular da área de ensino-aprendizagem). Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

RYFF, C. D. Happiness is everything or is it? Exploration on the meaning of psychosocial well being. Journal of Personality and Social Psychology. v.57, n.6, p.1069-1081, 1989.

SENNA, L. A. G. (org.). Letramento: princípios e processos. Curitiba: Ibpex, 2007.

VELHO, G. Desvio e divergência: uma crítica da patologia social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, 1989.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.