O fim do livro? O que as escritas e os escritores virtuais nos auxiliam nessa discussão na perspectiva da história das práticas de leitura e escrita

Autores

  • Larissa Camacho Carvalho Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Educação Pós-doutoranda em Educação - CAPES
  • Maria Stephanou PROFESSORA ASSOCIADA IV da Universidade Federal do Rio Grande do Sul , Brasil

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i63.8641191

Palavras-chave:

História Cultural. Suportes. História das Práticas de Leitura e Escrita. História da Educação

Resumo

Na história das práticas de leitura e escrita os suportes que contém os textos possuem grande relevância, pois são fundamentais para a compreensão das apropriações dos textos pelos seus leitores e das possibilidades dos protocolos de leitura colocados nos textos pelos seus escritores. Como lemos envolve em que suporte o fazemos e isso modifica nossa relação com o escrito. A partir do referencial da História Cultural, este texto realiza uma análise dos suportes de escrita e leitura a partir das transformações ocasionadas pelos computadores e a internet e buscando outras revoluções nos suportes na história do livro chegando à passagem do rolo ao códex no século V d.C.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Camacho Carvalho, Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Educação Pós-doutoranda em Educação - CAPES

Possui graduação em História Bacharelado pela Universidade Federal do Rio Grande (2004), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012) com pesquisa na área de Juventudes e Práticas de Leitura e escrita. Tem experiência na área de Educação e História, com ênfase em História da Cultura Escrita, Práticas de Leitura e Escrita, Métodos e Técnicas de Ensino, Ensino de História, História da Educação, História Cultural. Atualmente é bolsista PNPD no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Caxias do Sul.

Maria Stephanou, PROFESSORA ASSOCIADA IV da Universidade Federal do Rio Grande do Sul , Brasil

Graduada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1982). Mestre em Educação (1990) e Doutora em Educação (1999)/UFRGS. Realizou seu pós-doutoramento na França (Paris) junto ao Service dHistoire de lÉducation do IFÉ - Institut Français de LÉducation (2011-2012). Professora Associada IV da Universidade Federal do Rio Grande do Sul,com atuação junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação como docente desde 2001 e Coordenadora do Programa (jan. 2013 - jan.2015), tendo já sido membro da Comissão Coordenadora (2007-2010) e Vice-Coordenadora (2011-2012). Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq. Foi Presidente da Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação (2008 a 2011) e é atualmente sua Vice-Presidente (nov. 2013 a nov. 2015). Associada à ARTHE - Association Transdisciplinaire pour eles Recherches Historiques sur lÉducation desde outubro de 2012; da BIOGRAPH - Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, onde atuou como Secretária na gestão 2010-2012 e integrou a Diretoria da Região Sul na gestão 2012-2014. Em 2009 e 2010 integrou a Comissão de Avaliação - Área de Educação da CAPES. Tem experiência nas áreas de História e Educação, com ênfase em História da Educação,com investigações nos temas: história da cultura escrita, práticas de leitura, escrituras de foro privado, manuais de civilidade e urbanidade, medicina e educação, memória e história, memória e patrimônio. Integra o conselho consultivo e conselho editorial dos seguintes periódicos: Anais do Museu Paulista (USP), Revista Brasileira de História da Educação (SBHE), Revista HISTEDBR on-line, Revista Aulas e Revista Vydia (UNIFRA). Desde janeiro de 2011 é co-editora da Revista História da Educação (ASPHE). Integra a rede transnacional TRANSFOPRESS (França - Brasil), desde 2013. Membro do Conselho Editorial da Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul no período 2015-2017.

Referências

ASSIS, Machado de. O jornal e o livro. In.: ASSIS, Machado de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, V.III, 1994. Disponível em http://machado.mec.gov.br/images/stories/html/cronica/macr13.htm, acesso em 30 de nov. 2011.

BRIGGS, Asa; BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutemberg à internet. 2a Ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2006.

CARRIÈRE, Jean-Claude, ECO, Umberto. Não contem com o fim do livro. Rio de Janeiro: Record, 2010.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Editora UNESP/Imprensa Oficial do estado de São Paulo, 1999a.

CHARTIER, Roger. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Tradução de Mary Del Priori. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999b.

CHARTIER, Roger. Os desafios da escrita. Tradução de Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: Editora UNESP, 2002b.

CHARTIER, Roger. (Org). ¿Qué es un texto? Madrid: Ediciones Ciencias Sociales, 2006.

COZER, RAQUEL. Novo livro de Dan Brown chega com tiragem recorde. Folha Online – Ilustrada. São Paulo, 21 nov. 2009. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u655537.shtml, acesso em 15 de dez. 2011.

ECO, Umberto. Da internet à Gutemberg. RexLab – Laboratório de Experimentação Remota: 2003. 21 págs. (Conferência apresentada por Umberto Eco na Academia Americana para Estudos Avançados na América. 12 de novembro de 1996). Disponível em: http://www.inf.ufsc.br/~jbosco/FromInternetToGutenberg.pdf.

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.

GINZBURG, Carlo. História na era Google. Ciclo de Conferências Fronteiras do Pensamento, realizada no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS, 29 de nov. 2010. (comunicação oral). Disponível em http://www.youtube.com/watch?v=wSSHNqAbd7E, acesso em 20 de dez. 2011.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? São Paulo: Ed. 34, 1996.

Downloads

Publicado

2015-10-03

Como Citar

CARVALHO, L. C.; STEPHANOU, M. O fim do livro? O que as escritas e os escritores virtuais nos auxiliam nessa discussão na perspectiva da história das práticas de leitura e escrita. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 63, p. 367–381, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i63.8641191. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641191. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos