Banner Portal
Teoria de estado e políticas públicas sociais: um estudo sobre a influência do pensamento neoliberal nos rumos tomados pela educação brasileira a partir da década de 1990
PDF

Palavras-chave

Neoliberalismo. Políticas educacionais. Educação brasileira

Como Citar

SILVA, D. A. S. M. da. Teoria de estado e políticas públicas sociais: um estudo sobre a influência do pensamento neoliberal nos rumos tomados pela educação brasileira a partir da década de 1990. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 64, p. 310–330, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i64.8641943. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641943. Acesso em: 23 fev. 2024.

Resumo

As mudanças estruturais de ordem econômica e política ocorridas na última década do século XX em âmbito internacional levaram o Brasil a adaptar-se e aderir à nova lógica capitalista, reestruturada segundo o paradigma da ideologia neoliberal, para fazer parte da economia mundial. A alteração e a adequação de sua economia à nova ordem mundial implicaram, no entanto, a reforma do Estado e de suas instituições, dentre elas: a educacional. Esta reestruturação se desenvolveu sob a tutela de agências internacionais reguladoras, cuja atuação desenvolveu-se no sentido de monitoramento e intervenção nos processos de ajustes estruturais no país, subordinando estes à obtenção de financiamentos. Na educação, as consequências desta intervenção incidiram tanto na esfera ideológica, com a elaboração de documentos norteadores do rumo da educação, como em termos legais, onde foi preciso construir uma estrutura jurídica para imprimir os fundamentos do modelo neoliberal. Com o intuito de compreender a ressonância da teoria de estado neoliberal no âmbito educacional no Brasil, este artigo se propõe a revisitar os escritos dos precursores desta vertente a fim de verificar como seus princípios foram incorporados à reforma educacional promovida na década de 1990.

https://doi.org/10.20396/rho.v15i64.8641943
PDF

Referências

ANDERSON, Perry. Balanço do neoliberalismo. In: SADER, Emir; GENTILLI, Pablo. Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995, p. 9 – 23.

CARNOY, Martin. Razões para investir em educação básica. New York: UNICEF, 1992.

DELORS, Jacques. Educação, um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre a Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1996.

DRAIBE, Sônia M. As políticas sociais e o neoliberalismo: reflexões suscitadas pelas experiências latino-americanas. Revista Usp, São Paulo, 1993, n. 17, p. 86 – 101, mar./maio, 1993. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/25959. Acesso em: 16.01.1914.

FRIEDMAN, Milton. Capitalismo e liberdade. São Paulo: Nova Cultural, 1988. (Os economistas).

GENTILI, Pablo. Neoliberalismo e educação: manual do usuário. In: SILVA, Thomaz Tadeu; GENTILI, Pablo. Escola S. A.: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: CNTE, 1996, p. 9 – 49.

HARVEY, David. O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

HAYEK, Friedrich August Von. O caminho da servidão. Campinas: Vide Editorial, 2013.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis: Vozes, 2000.

SAVIANI, Demerval. Da nova LDB ao novo Plano Nacional de Educação: por uma outra política educacional. Campinas: Autores Associados, 2002.

SILVA Jr., João dos Reis. O papel político da municipalização na construção dos novos trações da sociedade civil na década de 1990. In: MARTINS, Angel amaria et al. Descentralização do Estado e municipalização do ensino: problemas e perspectivas. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, 1991

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.