Universidades abertas a terceira idade: delienando um novo espaço educacional para o idoso

Autores

  • Rita de Cássia da Silva Oliveira Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Paola Andressa Scortegagna Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Flávia da Silva Oliveira Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i64.8641945

Palavras-chave:

Educação para o idoso. Universidade Aberta para a Terceira Idade. Extensão. Gerontologia. Políticas Públicas

Resumo

Atualmente um dos grandes desafios da sociedade mundial é o envelhecimento da população que tem provocado mudanças significativas no desenho demográfico apresentando diferentes demandas para esta parcela da população que cresce vertiginosamente. As universidades enquanto instituições  baseadas nos tripé de ensino, pesquisa e extensão oportunizam diferentes intervenções na área da educação, Este artigo resulta de uma pesquisa bibliográfica sobre a temática, sob o recorte da educação. Tem como objetivo refletir sobre a educação para o idoso, a educação permanente, uma revisão histórica sobre o surgimento das atividades educacionais voltadas para os idosos na sociedade brasileira. Objetiva também a explanação sobre o surgimento da gerontologia como ciência e área de estudo/pesquisa; aborda a história da criação e implementação da Universidade Aberta para a Terceira idade (UATI) na Universidade Estadual de Ponta Grossa, explicitar os objetivos e a estrutura da UATI enquanto Programa extensionista na UEPG. A UATI/UEPG oferece diferentes atividades aos idosos, distribuídas em quatro grandes eixos: saúde, nutrição e qualidade de vida; educação, cultura e arte; educação, esporte e lazer; direito, empoderamento e cidadania. A UATI volta-se para a valorização do idoso, possibillitar a aquisição de conhecimentos, informação e atualização do idoso, proporcionar uma melhoria na qualidade de vida desta faixa etária e, como decorrência a elevação da auto estima, empoderamento, maior participação e inserção social do idoso. A UATI apresenta benefícios aos idosos que a frequentam, comprovado pelo sucesso e reconhecimento social nestes 24 anos de atividades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita de Cássia da Silva Oliveira, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Pedagoga. Gerontóloga. Pós-doutora em Educação. Professora Permanente do Programa de Pós Graduação Mestrado e Doutorado em Educação na Universidade Estadual de Ponta Grossa. Coordenadora da Universidade Aberta para a Terceira Idade na UEPG. E-mail: soliveira13@uol.com.br

Paola Andressa Scortegagna, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Pedagoga. Mestre em Educação. Doutoranda em Educação. Professora da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Professora da Universidade Aberta para a Terceira Idade na UEPG. E-mail: paola_scortegagna@hotmail.com

Flávia da Silva Oliveira, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Advogada. Mestre em Ciências Sociais Aplicadas. Doutoranda em Ciências Jurídicas. Coordenadora e Professora da UNOPAR/Ponta Grossa. Professora da Universidade Aberta para a Terceira Idade na UEPG. E-mail: flasoliveira@uol.com.br

 

Referências

BRASIL. Lei no 10741 de 3 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso. Diário Oficial da União 2003; 3 out.

BRASIL. Lei o 8842 de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso. Diário Oficial da União 1994; 4 jan.

CACHIONI, M. Envelhecimento bem sucedido e participação numa universidade para a terceira idade: a experiência dos alunos da Universidade São Francisco [dissertação] Campinas, Faculdade de Educação da Unicamp; 1998.

CACHIONI, M. Quem educa os idosos? Um estudo sobre professores de universidades da terceira idade. Campinas: Alínea; 2003.

CASTRO, L.M.C. A universidade, a extensão universitária e a produção de conhecimentos emancipadores. Anais da 27a Reunião Anual da ANPED; 2004 Out; Caxambu.

FREIRE, P. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1979.

FREIRE, P. Política e educação. São Paulo: Cortez; 1997.

GADOTTI, M. A educação contra a educação. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1984.

KLEBA, ME, WENDAUSEN, A. Empoderamento: processo de fortalecimento dos sujeitos nos espaços de participação social e democratização política. Saúde Social, 2009; 18 (4): 733-743.

LOPES, A. Os desafios da gerontologia no Brasil;. Campinas: Alinea, 2000.

MARTÍN GARCÍA, AV. Educación y envejecimiento. Barcelona: PPU; 1994.

MOSQUERA, JJM. Educação: novas perspectivas. Porto Alegre: Sulina; 1975.

NERI, AL, CACHIONI, M. Velhice bem-sucedida e educação. In: NERI, A L; DEBERT, GG. Velhice e sociedade. Campinas: Papirus; 1999. p. 113-140.

OAKLEY, P, CLAYTON, A. Monitoramento e avaliação do empoderamento. Tradução de Zuleika Arashiro e Ricardo Dias Sameshima. São Paulo, Instituto Pólis; 2003.

OLIVEIRA, R.C.S. Terceira Idade: do repensar dos limites aos sonhos possíveis. São Paulo: Paulinas, 1999.

ONU. Informe de laq Primera Asamblea Mundial sobre El Envejecimiento – Viena. Nova York:ONU, 1982.

ONU. Informe de La Segunda Asamblea Mundial sobre El Envejecimiento – Madrid. Nova York:ONU, 2002.

PACHECO, JL. As universidades abertas à terceira idade como espaço de convivência entre gerações. In: SIMSON, ORMV, NERI, AL, CACHIONI, M. As múltiplas faces da velhice no Brasil. Campinas: Alínea; 2003.

PALMA, LTS. Educação permanente e qualidade de vida: indicativos para uma velhice bem-sucedida. Passo Fundo: UPF; 2000.

PETERSON, AD. Educational Gerontology: The State of the Art. Educational Gerontology 1976; 1(2): 61-73.

PINTO, AV. Sete lições sobre a educação de adultos. São Paulo: Cortez; 1989.

SAFONS, MP, PESSOA, IL. Educação, esporte, cultura e lazer para as pessoas idosas. In: CNDI. Avaliação nacional dos direitos da pessoa idosa. Texto base. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos; 2008.

SAVIANI. D. Pedagogia histórico-crítica. Campinas: Autores Associados; 1991.

SILVA, R. Fundamentos teóricos e metodológicos da pedagogia social no Brasil. Anais do 1o Congresso Internacional de Pedagogia Social, 2006, São Paulo. USC. Davis School of Gerontology. Disponível em: www.usc.edu/dept/gero.

VASCONCELOS, EM. O poder que brota da dor e da opressão: empowerment, sua história, teorias e estratégias. São Paulo: Paulus; 2001.

WANDERLEY, LE. O que é universidade. São Paulo: Brasiliense; 1988.

ZAYAS, EL. O Paradigma da Educação Continuada. Porto Alegre: Penso; 2012.

Downloads

Publicado

2015-11-23

Como Citar

OLIVEIRA, R. de C. da S.; SCORTEGAGNA, P. A.; OLIVEIRA, F. da S. Universidades abertas a terceira idade: delienando um novo espaço educacional para o idoso. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 64, p. 343–358, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i64.8641945. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641945. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)