Fundeb e a valorização da educação pública: limites na remuneração do magistério de São Luís – MA

Autores

  • Regina Sheila Bordalo Martins Universidade Federal do Maranhão.
  • Maria José Pires Barros Cardozo Universidade Federal do Maranhão.

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i65.8642703

Palavras-chave:

Fundeb. Financiamento da Educação. Valorização do Magistério

Resumo

O artigo aborda a política de fundos no contexto da Reforma do Estado Capitalista, desvelando as concepções de financiamento educacional e a consequente vinculação constitucional dos recursos destinados à educação pública. A análise apresenta as limitações dessa política de fundos, considerando o Fundeb,diante dos ínfimos recursos destinados para a educação pública.Apresenta a aplicação dos recursos do Fundeb no período de 2007-2013, analisando os impactos na valorização do Magistério Público da rede municipal de São Luís - MA, principalmente no que concerne à remuneração salarial. Conclui-se que apesar do aumento dos recursos destinados à educação pública municipal pelo Fundeb, observou-se a diminuição do percentual aplicado com a remuneração dos professores e a consequente desvalorização profissional do Magistério Público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regina Sheila Bordalo Martins, Universidade Federal do Maranhão.

Coordenadora Pedagógica da rede pública municipal e estadual; militante da Setorial da Educação da Central Sindical e Popular Coordenação Nacional de Lutas (CSPConlutas)

Maria José Pires Barros Cardozo, Universidade Federal do Maranhão.

Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Maranhão (1989), especialização em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal do Maranhão (1994), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (1998) e doutorado em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2007). Atualmente é professora adjunta do Departamento de Educação II e do Programa de Pós-graduação em Educação-PPGE da Universidade Federal do Maranhão.

Referências

ARELARO, Lisete Regina Gomes. Financiamento e Qualidade da Educação Brasileira: Algumas reflexões sobre o documento “Balanço do 1o Ano do FUNDEF – relatório MEC”. In: DOURADO, Luis Fernando. (Org.). Financiamento da Educação Básica. Campinas, SP: Autores Associados, 1999, p.27-44.

ARELARO, Lisete Regina Gomes; GIL, I-Juca-Pirama. Política de fundos na educação: duas posições. In: LIMA, Maria José Rocha, DIDONET, Vital. (Org.) FUNDEB - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação: avanços na universalização da Educação Básica. Brasília: INEP, 2006, p.71-88.

BRASIL. Ministério da Administração e Reforma do Estado (MARE). Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado - PDRAE. Brasília: MEC, 1995.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei Federal no 9.424, de 24 de dezembro de 1996. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização dos Profissionais do Magistério – FUNDEF. Brasília. Disponível em: http://www.mec.gov.br/sef/fundef/legisla. Acesso em: 16 mar. 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei Federal no 11.494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB. Brasília. Disponível em: http://www.mec.gov.br/sef/fundef/legisla. Acesso em: 16 mar. 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. O plano de desenvolvimento da educação: razões, princípios e programas. Brasília: MEC, 2007.

BRASIL. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Financiamento da educação: necessidades e possibilidades. Brasília: IPEA, Documentos do IPEA, n. 124, dez/2011.

CABRAL NETO, Antônio; RODRIGUEZ, Jorge. Reformas Educacionais na América Latina: Cenários, Proposições e Resultados. In: CABRAL NETO, Antônio (Orgs). Pontos e Contrapontos da Política Educacional: Uma Leitura Contextualizada de Iniciativas Governamentais. Brasília, Líber Livro Editora, 2007, p. 13-47.

CURY, Jamil. Estado e políticas de financiamento em educação. Educação e sociedade, Campinas/SP, v. 28, n. 100, p. 831-855, out. 2007.

DAVIES, Nicholas. Financiamento da educação: novos ou velhos desafios? São Paulo: Xamã, 2004.

DAVIES, Nicholas. FUNDEB: a redenção da Educação Básica?Campinas/SP: Autores Associados, 2008.

MARANHÃO. Lei Orçamentária Anual de 2014. Dispõe sobre o orçamento da Prefeitura Municipal de São Luís para 2014. São Luís: 2014a. Disponível em:www.saoluis.ma. gov.br. Acesso em: 22 jul., 2014.

MARANHÃO. Boletim da Setorial da Educação/CSPConlutas. São Luís, v.2, n.2, 2013.

PINTO, José Marcelino de Rezende, ADRIÃO, T. A política recente de fundos para o financiamento da educação e seus efeitos no pacto federativo. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 877-897, out. 2007.

PINTO, José Marcelino de Rezende. Um fundinho chamado “fundão”. In: DOURADO, Luis Fernando. Financiamento da Educação Básica. Campinas SP: Autores Associados, 1999.

SAVIANI, Dermeval. Da nova LDB ao FUNDEB: por uma outra política educacional. Campinas/SP: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, Dermeval. PDE – Plano de Desenvolvimento da Educação: Análise crítica da política do MEC. Campinas/SP: Autores Associados, 2009.

TEIXEIRA, Anisio. Educação é direito. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1996.

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

MARTINS, R. S. B.; CARDOZO, M. J. P. B. Fundeb e a valorização da educação pública: limites na remuneração do magistério de São Luís – MA. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 65, p. 160–177, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i65.8642703. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8642703. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos