Professor(a): a profissão que pode mudar um país?

Autores

  • Olinda Evangelista UFSC
  • Jocemara Triches UFSC

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i65.8642704

Palavras-chave:

Política educacional – 1990-2014. Formação docente. Organizações Multilaterais

Resumo

Este artigo resulta de pesquisas em andamento que tratam das atuais políticas de formação docente para a Educação Básica no país. Procuramos demonstrar, mediante análise de documentos do Estado e de Organizações Multilaterais ou de seus intelectuais, o ideário disseminado e como tem sido construído o consenso em torno da responsabilização do professor pelo futuro do Brasil, traduzido como desenvolvimento econômico e social no horizonte capitalista. Tal intento compõe um conjunto de políticas educacionais consolidadas a partir da década de 1990, articuladas à reestruturação produtiva tendo em vista capturar a subjetividade e o exercício profissional do professor. O slogan “Seja um professor!”, construído pelo Estado, integra um discurso emblemático e ideológico. Duas de suas faces são examinadas: de um lado, enaltece o docente e o responsabiliza pela ascensão social dos alunos e, de outro, articula seu desprestígio via discursos denegridores e sua desqualificação por meio de programas formativos aligeirados e pragmáticos. Concluímos que a demanda oficial é irrealizável, posto que os problemas nacionais não se originam na esfera de atuação do professor, muito menos sua solução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olinda Evangelista, UFSC

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (1980), mestrado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1988) e doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997).

Jocemara Triches, UFSC

Doutora em Educação pelo PPGE/UFSC (2012-2016), com financiamento FUMDES/SC. Mestre em educação pela UFSC (PPGE/CED/UFSC, 2010), com financiamento do CNPq. Formada em Pedagogia, habilitação em Orientação Educacional pela UFSC (2007/1). Formada em Curso Normal, Nível Médio, em 1999 (Paraná). Professora efetiva no EED/UFSC. 

Referências

BANCO MUNDIAL. Ceara: experiências na formação de professores. Departamento de Desenvolvimento Humano; Diretoria do Brasil. Novembro de 1999. Brasília, Brasil: BM, 1999.

BANCO MUNDIAL. Atingindo uma educação de nível mundial no Brasil: Próximos Passos. Sumário executivo. Brasília, Brasil: Banco Mundial, 2010a.

BANCO MUNDIAL.Achieving World Class Education in Brazil: The Next Agenda.Human Development Sector Management Unit and Latin America and the Caribbean Regional Office.December 21, 2010, 2010b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16156. Acesso em: 28 jul 2013.

BANCO MUNDIAL. Nota de Conceitos sobre a Estratégia para o Setor da Educação 020. Banco Mundial, 2010c. Disponível em: http://siteresources.worldbank.org/EDUCATION/Resources/ESSU/ConceptNote_BR.pdf. Acesso em: 20 mai 2013.

BANCO MUNDIAL. Estrategia de Educación 2020 del Banco Mundial. Versión preliminar delresumen.Versión Preliminar. Para comentariosúnicamente. Banco Mundial, 2011a. Disponível em: http://siteresources.worldbank.org/EDUCATION/Resources/ESSU/463292-1269917617150/6915424-1279137061297/ExecSummary_Spanish.pdf. Acesso em: 9mai 2013.

BANCO MUNDIAL. Aprendizagem para Todos. Investir nos conhecimentos e competências das pessoas para promover o desenvolvimento. Estratégia 2020 para a Educação do Grupo Banco Mundial. Resumo executivo. Washington/DC; Banco Mundial, 2011b.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n. 9.394/96,de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: http://www.mec.gov.br/legis/pdf/LDB.pdf. Acesso em: 17 jul 2003.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília: CNE, 2006a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 12 abr 2013.

BRASIL. Decreto No 5.800, de 8 de junho de 2006.Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil – UAB. Brasília: Planalto, 2006b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/decreto/d5800.htm. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL. Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). Diretrizes Gerais. Agosto de 2007. Brasília: MEC, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/diretrizesreuni.pdf. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL. SBPC discute formação de professores. Terça-feira, 15 de julho de 2008 - 14:54. Brasília: MEC, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=10869%20. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL. Decretono 6.755, de 29 de janeiro de 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, disciplina a atuação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES no fomento a programas de formação inicial e continuada, e dá outras providências. 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/Decreto/D6755.htm. Acesso em: 25 mai. 2012.

BRASIL. Plano Nacional de Formação dos Professores. Apresentação. Brasília: MEC, 2009b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=13583&Itemid=971. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL. Censo Escolar da Educação Básica 2011. Resumo Técnico. Brasília: INEP, 2012. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/resumos_tecnicos/resumo_tecnico_censo_educacao_basica_2012.pdf. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL. Sinopse do Censo Escolar da Educação Básica 2013. Brasília: INEP, 2013f. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse. Acesso em: 18 maio 2015.

BRASIL. Sinopse do Censo da Educação Superior 2013. Brasília: INEP, 2015. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/superior-censosuperior-sinopse. Acesso em: 18 maio 2015.

BRASIL. Expansão da rede Federal de Educação Profissional, científica e tecnológica. Expansão. Brasília: MEC, 2013c. Disponível em: http://redefederal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=52&Itemid=2. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL.PROINFANTIL Web. Programa de Formação Inicial para Professores em Exercício na Educação Infantil (PROINFANTIL). Apresentação. Brasília: MEC, 2013a. Disponível em: http://proinfantil.mec.gov.br/apresentacao.htm. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL. Programa de Formação de Professores em Exercício. Secretaria de Educação à Distância. PROFORMAÇÃO. Apresentação. Brasília: MEC, 2013b. Disponível em: http://proformacao.proinfo.mec.gov.br/apresentacao.asp. Acesso em: 08 ago 2013.

BRASIL. Lei no 12.796, de 4 de Abril de 2013. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília: Congresso Nacional, 2013d. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2013/lei-12796-4-abril-2013-775628-publicacaooriginal-139375-pl.html. Acesso em: 8ago 2013.

BRASIL. Seja um professor. Venha construir um Brasil mais desenvolvido, mais justo, com oportunidade para todos. Website. Brasília: MEC, 2013e. Disponível em: http://sejaumprofessor.mec.gov.br/index.php. Acesso em: 5ago 2013.

CORREIO BRASILIENSE. MEC vai lançar programa para incentivar formação de professores. Exatas. Publicação: 10/04/2013 16h27, 2013. Disponível em: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/professor/2013/04/10/professor_interna,359642/mec-vai-lancar-programa-para-incentivar-formacao-de-professores.shtml. Acesso em: 12 abr. 2013.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. 4. São Paulo: Cortez; MEC; UNESCO, 2000.

EVANGELISTA, Olinda (Org.). O que revelam os slogans na política educacional. Araraquara: Junqueira&Marin Editores, 2014.

EVANGELISTA, Olinda. Políticas educacionais, privatização e formação do professor no Brasil. In: LIMA, Antonio B. de; VIRIATO, Edaguimar O. (Org.). Política educacional e qualificação docente. 1 ed. Cascavel/PR: Assoeste, 2001, p. 13-30.

EVANGELISTA, Olinda. Rede Kipus e reconversão docente na América Latina e Caribe. In: Quarto Seminário Nacional Estado e Políticas Sociais, 2009, Cascavel PR. Quarto Seminário Nacional Estado e Políticas Sociais. Cascavel PR: UNIOESTE, 2009.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da Cultura. 7. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

HOUAISS. Instituto Antônio Houaiss. Dicionário de língua portuguesa. São Paulo: editora Objetivo, 2004. Disponível em: http://200.241.192.6/cgi-bin/HouaissNeth.dll/creditos. Acesso em: 5ago 2013.

IASI, Mauro. Democracia de cooptação e o apassivamento da classe trabalhadora. Diário da Classe. 19 março 2013. Disponível em:http://www.diariodaclasse.com.br/forum/topics/democracia-de-coopta-o-e-o-apassivamento-da-classe-trabalhadora. Acesso em: 10 abr 2013.

LEHER, Roberto. Educação Popular e luta de classes: um tema do século XXI. RJ: UFRJ, 2012. (mimeo).

LELLA, Cayetano de. Modelos y tendencias de la formación docente. In: I Seminário de perfil e estratégia de formação docente. Organização da OEI. Lima, Peru, setembro, 1999. Disponível em: http://www.oei.es/cayetano.htm. Acesso em:10 out 2013.

MARX, Karl. O Capital. Crítica da Economia Política. O Processo de Produção do Capital. Livro 1, Volume 1. 3 ed. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

MCKINSEY e Company. Como os Sistemas Escolares de Melhor Desempenho do Mundo Chegaram ao Topo. Confidencial, 10 de junho de 2008. Disponível em: http://www.todospelaeducacao.org.br//arquivos/biblioteca/2755c21f-ddb8-45a4-ae85-cf637b2d231b.pdf. Acessoem: 5 ago 2013.

MÉSZÁROS, Istán. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

NEVES, L. Ma W.; PRONKO, M. A. O mercado do conhecimento e o conhecimento para o mercado. Rio de Janeiro: EPSJV, 2008.

NEVES, Lúcia M. W.. As reformas da educação escolar brasileira e a formação de um intelectual urbano de novo tipo. In: Anais da 27a Reunião Anual da ANPED, 2004,Caxambu: ANPEd, 2004. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/27/gt05/t0510.pdf. Acesso em 8ago 2013.

OEI. Declaración de Tarija.In: XIII Conferencia Iberoamericana de Educación, Tarija, Bolívia, 4 e 5 de setembro de 2003, 2003b. Disponível em: http://www.oei.es/xiiicie.htm. Acesso em: 20 abr 2010.

PORTAL PLANETA UNIVERSITÁRIO. Qualificação do Professor: parcerias podem seropção para Programas de Formação Docente. Notícias do Campus. 09 Abril 2013, 2013. Disponível em: http://www.planetauniversitario.com/index.php/notas-do-campus-mainmenu-73/29837-qualificacao-do-professor-parcerias-podem-ser-opcao-para-programas-de-formacao-docente. Acesso em: 12 abr. 2013.

ROUSSEF, Dilma. Pronunciamento à nação da Presidenta da República, Dilma Rousseff, em cadeia nacional de rádio e TV, sobre o Dia do Trabalho.Planalto. 01/05/2013 às 21h05. Brasília: Planalto, 2013. Disponível em: http://www2.planalto.gov.br/imprensa/discursos/pronunciamento-a-nacao-da-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-em-cadeia-nacional-de-radio-e-tv-sobre-o-dia-do-trabalho-1. Acesso em: 2 maio 2013.

RUIZ, Antonio Ibañez; RAMOS, Mozart Neves; HINGEL, Murílio. Escassez de professores no Ensino Médio: propostas estruturais e emergenciais. Relatório produzido pela Comissão Especial instituída para estudar medidas que visem a superar o déficit docente no Ensino Médio (CNE/CEB). Maio de 2007. Brasília: MEC; CNE; CEB, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/escassez1.pdf. Acesso em: 08 ago 2013.

SHIROMA, Eneida O.; EVANGELISTA, Olinda. A colonização da utopia nos discursos sobre profissionalização docente. In: RevistaPerspectiva, Florianópolis: NUP; UFSC, v.22, n. 2, p.525-545, jul./dez., 2004.

SHIROMA, Eneida O.; EVANGELISTA, Olinda. Profissionalização como estratégia de gerenciamento de professores. In: Revista de Estudos Curriculares, Braga/PT, n.2, 2003.

TRICHES, Jocemara. Organizações multilaterais e curso de pedagogia: a construção de um consenso em torno da formação de professores. Dissertação (Mestrado em Educação) Florianópolis, SC: PPGE/UFSC, 2010.

UNESCO. Balance de los 20 años del Proyecto Principal de Educación para América Latina y el Caribe. In: VII Reunión Del Comité Regional Intergubernamental del PRELAC, Santiago de Chile, agosto de 2000.

UNESCO. Educación de qualidad para todos: um asunto do direito humano. Documento de discusión sobre políticas educativas. In: II Reuniónintergubernamentaldel PRELAC. Santiago, Chile: UNESCO, 2007.

VAILLANT, Denise. Construcción de la profesión docente em América Latina. Tendencias, temas y debates. In: PREAL n. 31. 2004. Disponível em: www.preal.org/GTD/index.php. Acesso em: 10 fev 2014.

VAILLANT, Denise. Reformas educacionais: o papel dos docentes. In: Revista PRELAC, n. 1, junho de 2005, p. 38-51. Disponível em: http://www.unesco.cl/medios/biblioteca/documentos/reformas_educacionais_e_papel_dos_docentes_denise_vaillant_revista_prelac_portugues_1.pdf. Acessoem: 12 fev 2014.

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

EVANGELISTA, O.; TRICHES, J. Professor(a): a profissão que pode mudar um país?. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 65, p. 178–200, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i65.8642704. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8642704. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos