O jornal Diabo Coxo (1864-1865): a caricatura e a crítica à elite política-social no segundo império

Autores

  • Analice Czyzewski UEM
  • Marcília Rosa Periotto UEM

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i66.8643700

Palavras-chave:

Jornal Diabo Coxo. Imprensa. Educação. Caricatura

Resumo

O jornal Diabo Coxo (1864-1865), publicado por Ângelo Agostini (1843-1910) e Luís Gama (1830-1882) na província de São Paulo, destacou-se por utilizar caricaturas como estratégias na compreensão de fatos sociais e dos interesses de classe emanados tanto da elite local como da vinculação com o governo imperial. A hipótese é de que influenciou na educação política do povo na província paulista a partir das imagens caricatas que ilustravam os fatos cotidianos, da conjuntura social, política e econômica. Esse quadro, com as ilustrações, permitia aos iletrados a compreensão das condições de vida exatamente como se apresentavam na realidade. A imagem e a representação do fato eram suficientes para por o leitor em contato com a realidade e, a partir dela, refletir o significado do cotidiano social e das decisões imperiais e de seus dirigentes. A imprensa do século XIX colaborou e faz parte do conjunto de ações educativas desse período. Nesse sentido, o objetivo deste artigo será discutir como o jornal utilizou-se da caricatura como arma crítica contra as instituições imperiais representantes das forças atrasadas da nação brasileira, transformando-as em subsídio educativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Analice Czyzewski, UEM

Mestrado - UEM.

Marcília Rosa Periotto, UEM

Graduação em Pedagogia na Universidade Estadual de Maringá, mestrado em Educação na Universidade Federal de São Carlos, doutorado em Educação na Universidade Estadual de Campinas e pós-doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais. É professora não-titular da Universidade Estadual de Maringá.

Referências

AGOSTINI, Angelo. O Diabo Coxo. São Paulo: EDUSP, 2005 (Edição fac-similar).

CAGNIN, Antonio Luiz. 130 anos do Diabo Coxo: o primeiro periódico ilustrado de São Paulo, 1864-1994. Comunicação e Educação, São Paulo, v. 1, p. 15-46, set. 1994.

CARVALHO, José Murilo. A construção da ordem: a elite política imperial: teatro de sombras: a política imperial. 2. ed. rev. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, Relume Dumará, 1996.

COSTA, Camilo F. Riani-. Linguagem & Cartum... tá rindo do quê? In: INTERCOM-SBEIC. Anais. XXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Salvador/BA, 1 a 5 set 2002. Disponível em: http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/69208210912106167039727179422688187903.pdf

COTRIN, Álvaro. O Rio na Caricatura. Exposição organizada pela Seção de Exposições da Biblioteca Nacional e patrocinada pelo Jornal do Brasil, como contribuições aos festejos do 4o Centenário da Cidade. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1965. Disponível em: http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_iconografia/ icon693341.pdf. Acesso em: 20 jul. 2015.

ENCICLOPÉDIA INTERCOM DE COMUNICAÇÃO. São Paulo: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2010. Disponível em: http://www.ciencianasnuvens.com.br/site/wp-content/uploads/2013/07/Enciclopedia-Intercom-de-Comunica%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 20 jul. 2014.

FARIA FILHO, Luciano Mendes; CHAMON, Carla Simone; ROSA, Walquiria Miranda. Educação Elementar: Minas Gerais na primeira metade do século XIX. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio. 7. ed. Curitiba: Editora Positivo, 2008.

GALLOTTA, B. Ciro. Humor nos periódicos paulistanos: o Diabo Coxo (1864-1865) e o Cabrião (1866-1867). Intercon – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, São Paulo, p. 1-12, maio/jun. 2007.

GAWRYSZEWSKI, Alberto. Conceito de caricatura: não tem graça nenhuma. Domínios da Imagem, Londrina, ano 1, n. 2, p. 7-26, maio 2008.

HERMES, Gilmar Adolfo. As ilustrações jornalísticas: definição e história. In: ENCONTRO NORDESTE DE HISTÓRIA DA MÍDIA, 2., 2012. Teresina. Anais... : Teresina: EDUFPI, 2012. p. 1-15.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1996.

LIMA, Herman. História da caricatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1963.

LOBATO, Monteiro. Idéias de Jeca Tatu. São Paulo: Brasiliense Limitada, 1946.

MOREIRA, Luciano Silva da. Imprensa e opinião pública no Brasil Império: Minas Gerais e São Paulo (1826-1842). 2011. 264 f. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

PALLARES-BURKE, Maria Lucia G. A imprensa periódica como uma empresa educativa no século XIX. Caderno de Pesquisa, São Luis: UFMA, n. 104, p. 144-161, jul. 1998.

PERIOTTO, Marcília Rosa. A espiral do progresso e a felicidade da nação. 2001. 201 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Campinas, SP, 2001.

PIRES, Maria da Conceição Francisca. Ângelo Agostini na história das ideias e dos intelectuais do Brasil. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA HISTORIOGRAFIA: TEMPO PRESENTE & USOS DO PASSADO, 4., 2010, Ouro Preto. Cadernos de Resumo... Outro Preto: EdUFOP, 2010. p. 1-11.

SANCHOTENE, Carlos Renan Samuel. Mídia, humor e política: a charge da televisão. Rio de Janeiro: E-papers, 2011.

SANTOS, Délio Freire dos. Introdução. In: AGOSTINI, Ângelo; CAMPOS, Américo de; REIS, Antônio Manoel dos. Cabrião: semanário humorístico: 1866-1867. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Editora UNESP, Imprensa Oficial do Estado, 2000. p. 11-14.

RAMOS, Everardo. Origens da imprensa ilustrada brasileira (1820-1850): imagens esquecidas, imagens desprezadas. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2008.

Downloads

Publicado

2016-02-26

Como Citar

CZYZEWSKI, A.; PERIOTTO, M. R. O jornal Diabo Coxo (1864-1865): a caricatura e a crítica à elite política-social no segundo império. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 66, p. 32–41, 2016. DOI: 10.20396/rho.v15i66.8643700. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8643700. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos