A escola de educação física e desportos da UFRJ no período do governo militar (1968-1979): o curso de formação de professores e sua “invenção”

Autores

  • Gustavo da Motta Silva Pontifícia universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i67.8643805

Palavras-chave:

Formação de Professores. Educação Física. História da Educação Física. História da Educação

Resumo

Este estudo teve como principal objetivo analisar o modelo de formação de professores concebido pela Escola de Educação Física e Desportos (EEFD/UFRJ) durante o período do regime militar, mais especificamente entre 1968 e 1979. Escolheu-se como marco inicial o ano de 1968, quando a Escola Nacional de Educação Física e Desportos (ENEFD) se transformou em EEFD e como limite final o ano de 1979, no qual se inicia a discussão para uma nova reformulação curricular na instituição. Desse modo, pretendeu-se investigar a Escola em seus primeiros anos de existência, em um período caracterizado por significativas mudanças estruturais representadas pela criação de um novo Regimento (1972), que modificou sensivelmente a estrutura do curso introduzindo o sistema seriado, os departamentos e as disciplinas de complementação pedagógica, algo inédito para a instituição, e pela transferência do campus da Praia Vermelha para a Ilha do Fundão, fato ocorrido em 1973.  O corpus documental desta pesquisa consistiu em uma articulação de fontes escritas e orais. Os documentos consultados, analisados e problematizados pelo estudo foram: o Regimento da Escola de 1972, as Atas de Congregação e Conselho Departamental entre 1973 e 1979, os planos de curso de 1972 e 1973 e o conteúdo gerado pela produção de quatro entrevistas. O referencial teórico escolhido compõe-se de estudos voltados para as seguintes temáticas: instituições educacionais, memória e currículo. O conceito de “invenção” utilizado por Durval Muniz de Albuquerque e as categorias “tática” e “estratégia” problematizadas por Michel de Certeau constituíram as principais categorias de análise desta dissertação. Os resultados apontaram para uma formação esportiva e biomédica, porém com peculiaridades e “desvios” ocorridos pela mudança de campus, pela entrada de um novo elenco de disciplinas no currículo e pela atuação dos docentes da instituição, responsáveis por criar e recriar suas práticas a partir das possibilidades e condições existentes no referido contexto. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo da Motta Silva, Pontifícia universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Membro do Núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esportes (UFRJ/ NESPEFE-EEFD), do Programa de Estudos e Documentação Educação e Sociedade (PROEDES/UFRJ) e do grupo de pesquisa História da Profissão Docente (PRODOC/PUC-Rio).  

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

SILVA, G. da M. A escola de educação física e desportos da UFRJ no período do governo militar (1968-1979): o curso de formação de professores e sua “invenção”. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 67, p. 311–311, 2016. DOI: 10.20396/rho.v16i67.8643805. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8643805. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Resumo