A pátria educadora e o abandono da educação superior: a predominância dos interesses dos empresários da educação

Autores

  • Alisson Slider do Nascimento de Paula Universidade Federal do Ceará http://orcid.org/0000-0001-6356-3773
  • Kátia Regina Rodrigues Lima Universidade Regional do Cariri
  • Emmanoel Lima Ferreira Universidade Regional do Cariri
  • Frederico Jorge Ferreira Costa Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8643831

Palavras-chave:

Educação superior. Educação. Políticas públicas.

Resumo

Este estudo busca desvelar o conteúdo subjacente da política educacional expressa nos governos Lula da Silva e Dilma Rousseff, tendo em vista o lema governamental: Pátria Educadora e sua relação com a educação superior, em especial. Para trato metodológico, realizou-se um estudo teórico e documental, delimitando os documentos: Plano Nacional de Educação 2014-2024, e o documento Pátria Educadora. O método de análise adotado foi o materialismo histórico dialético por se propor em apreender o objeto como síntese de múltiplas determinações, assim, concebendo um fenômeno para além de sua expressão imediata e isolada, partindo do mais geral para o mais específico. Constatou-se que as diretrizes da política educacional brasileira são, em grande medida, engendradas pelo setor empresarial, além de dar uma maior relevância para a educação básica, deixando a educação superior a cargo da iniciativa privada, efetivando, deste modo, o processo de mercadorização deste nível de ensino por ser considerado altamente rentável para extração de lucros para o capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alisson Slider do Nascimento de Paula, Universidade Federal do Ceará

Professor do departamento de educação física do Instituto Superior de Teologia Aplicada (INTA). Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (PPGE-UECE). Membro do Grupo de Pesquisas em Trabalho, Práxis, Política e Educação (GTPPE).

Kátia Regina Rodrigues Lima, Universidade Regional do Cariri

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Docente da Universidade Regional do Cariri (URCA).

Emmanoel Lima Ferreira, Universidade Regional do Cariri

Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor da Universidade Regional do Cariri (URCA).

Frederico Jorge Ferreira Costa, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará, professor na Faculdade de Educação de Itapipocada Universidade Estadual do Ceará, pesquisador colaborador do Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operário (IMO/UECE).

 

Referências

ANDES. Governo anuncia mais cortes, adiamento de reajuste e congelamento de concursos. 2015. Disponível em: http://grevenasfederais.andes.org.br/2015/09/15/governo-anuncia-mais-cortes-adiamento-de-reajuste-e-congelamento-de-concursos/ Acesso em: 01 dez. 2015.

AMARAL, M. P.; Política pública educacional e sua dimensão internacional: abordagens teóricas. Educação e Pesquisa (USP. Impresso), v. 36, p. 39-54, 2010.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCALÇÃO. Análise do documento Pátria Educadora. (mimeo), 2015.

BANCO MUNDIAL. Relatório sobre desenvolvimento mundial 1997: o Estado num mundo em transformação. Washington/DC: Banco Mundial, 1997.

BASTOS, Remo Moreira Brito; ROCHA, Antonia Rozimar Machado. A política educacional do Banco Mundial para os países periféricos como expressão da geopolítica do conhecimento. Contribuciones a las Ciencias Sociales, v. 140, p. Única, 2015. Disponível em: http://www.eumed.net/rev/cccss/2015/01/geopolitica.html. Acesso em: 08 dez. 2015.

BERNARDI, L. M.; ROSSI, A. J.; UCZACK, L. H. Do Movimento Todos pela Educação ao Plano de Ações Articuladas: empresários interlocutores e clientes do Estado. In: X ANPED Sul - Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, Florianópolis, 2014. Disponível em: http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/596-0.pdf Acesso em: 30 de nov. 2015.

BRASIL. Constituição Federal. Brasília, 1988.

BRASIL. Decreto nº 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. [S.l.], 2007a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6096.htm. Acesso em: 6 nov. 2015.

BRASIL. MEC. O Plano de Desenvolvimento da Educação: razões, princípios e programas. Brasília: MEC, 2007b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/livro/index.htm. Acesso em: 11 nov. 2015.

BRASIL. Lei 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Disponível em: http://http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/125099097/lei-13005-14. Acesso em: 15 de nov. de 2015.

BRASIL. Secretaria de Assuntos Estratégicos. Pátria Educadora: qualificação do ensino básico como obra de construção nacional. 2015. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwitktSLwqPLAhVTlpAKHTK6AEYQFggcMAA&url=http%3A%2F%2Fcedes.preface.com.br%2Fdl%2F1IAKTzzA0_MDA_7e05e_&usg=AFQjCNERabAhNdMMKFqYYPJFwr0CA2QG3w. Acesso em: 02 fev. 2016.

DE PAULA, Alisson Slider do Nascimento. A Degradação da Universidade: a educação superior a serviço do capital. Universidade e Sociedade, v. 56, p. 58-71, 2015.

FERNANDES, Florestan. Universidade brasileira: reforma ou revolução? São Paulo: Alfa-Omega, 1975.

FREITAS, Luiz Carlos de. Pátria Educadora II. 2015. Disponível em: http://avaliacaoeducacional.com/2015/04/23/patria-educadora-ii/. Acesso em: 05 fev. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - Inep. Censo da Educação Superior 2012. Brasília, DF: Inep, 2013. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/superior-censosuperior-sinopse>. Acesso em: 18 nov. 2015.

LIMA, Kátia Regina de Souza. O Programa Reuni e os desafios para a formação profissional em Serviço Social. Rev. katálysis [online], vol.16, n.2 ISSN 1414-4980, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-49802011000100010. Acesso em: 02 jan. 2016.

BRASIL. Plano Nacional de Educação 2014-2024. Universidade e Sociedade, v. 55, p. 32-43, 2015.

BRASIL. Expansão e reestruturação das universidades federais e intensificação do trabalho docente: o programa REUNI. Revista de Políticas Públicas (UFMA), v. Especial, 2012.

BRASIL. Contra-reforma da educação nas universidades federais: o REUNI na UFF. Universidade e Sociedade, n. 44, p. 147-157, 2009.

MARTINS, A. A educação básica no século XXI: o projeto do organismo “Todos pela Educação”. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 4, n. 1, jan./jun. 2009.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

MÉSZÁROS, Istvan. A crise Estrutural do Capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

MINTO, Lalo Watanabe. A educação da miséria: particularidade capitalista e educação superior no Brasil. São Paulo: Outras Expressões, 2014.

NISHIMURA, Shin Pinto. A precarização do trabalho docente como necessidade do capital. Universidade e Sociedade, v. 56, 2014.

OLIVEIRA, Francisco. Hegemonia às avessas. In: OLIVEIRA, Francisco; BRAGA, Ruy; RIZEK, Cibele (Orgs). Hegemonia às avessas. São Paulo: Boitempo, 2010.

REIS, LUIZ FERNANDO. Dívida Pública, Política Econômica e o financiamento das universidades federais nos governos Lula e Dilma (2003-2014). Universidade e Sociedade (Brasília), v. 57, p. 16-35, 2016.

RODRIGUES, José. Os empresários e a educação superior. Campinas: Autores Associados, 2007.

SENADO FEDERAL. Demonstrativos da Execução Orçamentária: 2003-2014. Portal Orçamento (Siga Brasil). Disponível em: http://www9.senado.gov.br/portal/orcamento_senado/SigaBrasil. Acesso em: 10 jan. 2016.

SGUISSARDI, Valdemar. Modelo de expansão da educação superior no Brasil: predomínio privado/mercantil e desafios para a regulação e a formação universitária. Educ. Soc. [online]. vol.29, n.105, 2008.

SGUISSARDI, Valdemar.; SILVA JÚNIOR, João dos Reis. O trabalho intensificado nas federais: pós-graduação e produtivismo acadêmico. São Paulo: Xamã, 2009.

SHIROMA, Eneida Otto; GARCIA, Rosalba Maria Cardoso; CAMPOS, Roselane Fatima. Conversão das “almas” pela liturgia da palavra: uma análise do movimento Todos pela Educação. In: BALL, Stephen J.; MAINARDES, Jefferson. Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

SCHULTZ, Theodore. O Capital Humano. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

SILVA JÚNIOR, J. R.; ANELLI JÚNIOR, L. C.; MANCEBO, D. O lulismo e a mudança da natureza do trabalho docente. Revista Eletrônica de Educação (São Carlos), v. 8, p. 106-118, 2014.

UNGER, Roberto Mangebeira. Carta Pátria Educadora. 2015. Disponível em: http://www.anped.org.br/forum/uploads/Uploader/17/6159be4fd09c911934df528b80f6b9.pdf Acesso em: 13 nov. 2015.

VILELLA, Milú. Hora de pensar na educação. Jornal Folha de São Paulo, Tendências/Debates, p.03, 11 de julho de 2006.

Downloads

Publicado

2017-02-23

Como Citar

PAULA, A. S. do N. de; LIMA, K. R. R.; FERREIRA, E. L.; COSTA, F. J. F. A pátria educadora e o abandono da educação superior: a predominância dos interesses dos empresários da educação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 69, p. 187-204, 2017. DOI: 10.20396/rho.v16i69.8643831. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8643831. Acesso em: 27 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)