O processo de interiorização da educação superior em Vitória da Conquista/Bahia: a FFPVC

Autores

  • Luciana Canário Mendes Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Ana Palmira Bittencourt Santos Casimiro Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8643876

Palavras-chave:

História da educação. Educação superior. Faculdade de formação de professores em Vitória da Conquista.

Resumo

O presente estudo objetiva tecer algumas considerações sobre os primórdios da educação superior pública em Vitória da Conquista – Bahia, na década de 1970, tendo como eixo central a implantação da Faculdade de Formação de Professores em Vitória da Conquista (FFPVC). Essas reflexões são baseadas em dados da pesquisa realizada a respeito do processo de expansão e interiorização do ensino público superior nesta cidade, que se articulou dialeticamente com a sociedade estruturada sob o modo de produção capitalista e com a função coercitiva que o Estado assumiu no período ditatorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Canário Mendes, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutoranda e Mestre em Memória: Linguagem e Sociedade/UESB, na linha de pesquisa Memória, Cultura e Educação / bolsista CAPES. Especialista em Fundamentos Sociais e Políticos da Educação/UESB. Graduada em Pedagogia/UESB, onde foi bolsista de Iniciação Científica/FAPESB (2008-2010). Membro do grupo de Pesquisa "Museu Pedagógico: a Educação Escolar", na linha de pesquisa: História e Memória das Políticas Educacionais e Trajetórias Sócio-Geracionais, coordenado pela Profa. Dra. Lívia Diana Rocha Magalhães. Atua principalmente nos seguintes temas: Políticas Educacionais, História e Memória da Educação, Educação Superior, Instituições escolares.

Ana Palmira Bittencourt Santos Casimiro, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Professora do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Doutora em Educação pela UFBA e Pós-Doutora em Educação pela UNICAMP. É pesquisadora vinculada ao Grupo de Estudos e Pesquisas História, Educação e Sociedade no Brasil – HISTEDBR e ao Museu Pedagógico, no qual coordena o Grupo de Pesquisa Fundamentos em Memória, Religião, Imagem e Educação. 

Referências

BAHIA. Plano Integral de Educação e Cultura. Salvador/SEC, 1969.

BAHIA. Assembleia Legislativa. Lei n. 1.802, de 25 de outubro de 1962. Cria as Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras de Feira de Santana, Ilhéus, Jequié, Caetité, Vitória da Conquista e Juazeiro e dá outras providências.

BOAVENTURA, Edvaldo M. A construção da universidade baiana: origens, missões e afrodescendência. Salvador: EDUFBA, 2009.

BRASIL. Lei nº. 5.540 – de 28 de novembro de 1968. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5540.htm. Acesso em: 28/03/2013.

BRASIL. Lei nº. 5.692 – de 11 de agosto de 1971. Disponível em: http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/l5692_71.htm. Acesso em: 20/02/2013.

CHAPANI, Daisi Terezinha. A formação de professores na gênese do sistema estadual de ensino superior da Bahia. Revista Brasileira Histórica de Educação. Campinas – SP, v. 12, nº 01, p. 145-166, jan./abr. 2012.

CHAUÍ, MARILENA. Folha de São Paulo, 06 jul. 1977. In: PILETTI, N. História da Educação no Brasil. São Paulo: Editora Ática, 1990.

CUNHA, Maria Couto. A dinâmica e os fatores condicionantes da criação de cursos da educação superior no Estado da Bahia. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2003.

CUNHA, Luiz Antônio. A Universidade reformada: O golpe de 1964 e a modernização do ensino superior. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2007.

CUNHA. O ensino de ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. São Paulo. Ed. Unesp, 2000. 190 p

CUNHA. A universidade crítica: o ensino superior na República Populista. Rio de Janeiro: F. Alves, 1983.

FERREIRA JR, Amarílio e BITTAR, Marisa. A ditadura militar e a proletarização dos professores. Revista Educação & Sociedade. Campinas, vol. 27, n° 97, p. 1159-1179, set./dez. 2006.

FLAVO, Lícia Queiroz. Crescimento do ensino superior estadual na Bahia e seus significados sócio-políticos. Caderno CRH UFBA, volume 03, número 13, 1990.

FREITAG, Bárbara. Escola, Estado & Sociedade. 6. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, 1995.

GERMANO, José Wellington. Estado Militar e educação no Brasil (1964-1985). 5. ed. São Paulo: Cortez, 1993.

MIDLEJ, Moema Maria Badaró Cartibani. Universidade e região: territorialidade da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2004.

NEVES, Erivaldo Fagundes. A ação do Governo do Estado no processo de interiorização do ensino superior na Bahia. Revista Sitientibus. Feira de Santana, 4 (7), p. 113-119, 1987.

OLIVEIRA, Lucia Maria Costa. Licenciaturas curtas: uma avaliação da experiência no Estado da Bahia. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1983.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil (1930-1973). Petrópolis: Vozes, 1986.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, Dermerval. O legado educacional do Regime Militar. Cadernos Cedes, Campinas, v. 28, n. 76, p. 291-312, set./dez, 2008.

SILVA, Antônia Almeida; PINA, Maria Cristina Dantas. “Educar para enriquecer”: o liberal desenvolvimentismo, o projeto tecnocrático e a educação pública na Bahia (1940-1970). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.36, p. 57-69, dez. 2009.

UESB. Diagnóstico estratégico para a ampliação da Uesb na perspectiva da criação de novos cursos. Vitória da Conquista: UESB, 1993.

Downloads

Publicado

2017-02-23

Como Citar

MENDES, L. C.; CASIMIRO, A. P. B. S. O processo de interiorização da educação superior em Vitória da Conquista/Bahia: a FFPVC. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 69, p. 205–221, 2017. DOI: 10.20396/rho.v16i69.8643876. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8643876. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)