A Athenas brasileira no pós-abolição: Experiências na escolarização pública primária

Palavras-chave: Escolarização. Cultura escolar. Experiências. Pós-abolição

Resumo

Este artigo procura se debruçar sobre diferentes experiências vividas por diversos agentes da escolarização publica primária na cidade do Salvador, durante o período do pós-abolição, 1888-1903, utilizando as proposições da História Social. É fruto de pesquisas voltadas para a produção da dissertação de mestrado em Educação, intitulada: Pela instrucção dos filhos do povo: escolarização e cultura escolar na Salvador do pós-abolição. Utilizamos como procedimento teórico-metodológico o cruzamento de diversas experiências encontradas uma gama variada de documentação, além de bibliografia especializada e dados censitários, no intuito de elucidar diferentes versões sobre a escolarização e a cultura escolar na Salvador do pós-abolição. Procuramos analisar a relação entre instrução pública primária, raça e trabalho no centro urbano soteropolitano, além de dialogar sobre questões de gênero, raça e classe ligadas à escolarização pública primária. Foram de extrema importância os diferentes mapas escolares, relatórios e ofícios da instrução pública, que permitiram, além do já citado, algumas considerações sobre as relações entre os diferentes agentes envolvidos na instrução pública primária, dando destaque aos embates e tensões entre professores e delegados escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ian Andrade Cavalcante, Universidade Federal Fluminense
Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Licenciado e Bacharel em História pela Universidade Católica do Salvador (UCSal), pesquisador em História da Educação, integrante do Grupo de Pesquisa História Social da Educação (PPG-EDUC/UFF) e professor do Ensino Básico, na rede privada de Salvador-Ba.

Referências

ALBUQUERQUE, Wlamyra R. de. O jogo da dissimulação: abolição e cidadania negra no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

ANANIAS Mauricéia. Propostas de educação popular em Campinas: “As aulas noturnas”. Campinas,SP: Cadernos Cedes, ano XX, no 51; novembro/2000.

BARROS, Surya A. Pombo de. Negrinhos que por ahi andão: a escolarização da população negra em São Paulo (1870-1920). Dissertação de mestrado. São Paulo, FaE/USP, 2005.

CASTELLUCCI, Aldrin A. Silva. Trabalhadores, máquina política e eleições na Primeira República. Salvador: UFBA/FFCH (tese de doutorado), 2008.

CAVALCANTE, Ian A. Pela instrucção dos filhos do povo: escolarização e cultura escolar na Salvador do pós-abolição, 1888-1906. Dissertação (Mestrado em Educação). FaE/PPG-Educ UFF: Niterói-RJ, 2015, 195p.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 2002.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril: cortiços e epidemias na Corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DANTAS, Carolina Vianna. Racialização e mobilização negra nas primeiras décadas republicanas. In: Cadernos PENESB - FEUFF, n 12. Niterói: Ed. Alternativa/EdUFF, 2010, pp. 141-152.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Educação pública: a invenção do presente. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012.

FERREIRA FILHO, Alberto Heráclito. Desafricanizar as ruas: elites letradas, mulheres pobres e cultura popular em Salvador (1890-1937). Afro-Ásia, nº 21-22, 1998-1999, pp. 239-256.

FRAGA FILHO, Walter. Encruzilhadas da liberdade: histórias e trajetórias de escravos e libertos na Bahia, 1870 – 1910. Tese de Doutorado em História – UNICAMP: Campinas, 2004.

FRAGA FILHO, Walter. Mendigos, moleques e vadios na Bahia do Século XIX. São Paulo: Hucitec; Salvador: EDUFBA, 1996.

GOMES, Flavio dos Santos. Negros e política(1888-1937). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

LARA, Silvia Hunold. Introdução: a história social e o racismo. In: Dossiê racismo: história e historiografia. História Social, n. 19, segundo semestre de 2010.

MATTOS, Marcelo Badaró. E. P. Thompson e a tradição de crítica ativa do materialismo histórico. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2012.

MATTOS, Hebe Maria e RIOS, Ana Lugão. Memórias do cativeiro: família, trabalho e cidadania no pós-abolição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

MENEZES, Jaci Maria Ferraz de. A República e a construção do direito à educação na Bahia. In: SANTANA, Elizabete Conceição et al (Orgs.). A construção da escola primária pública na Bahia: guia de referências temáticas nas leis de reforma e regulamentos, 1890-1930. Salvador: EDUFBA, 2011. pp. 17-29.

NOGUEIRA, Maria Alice; NOGUEIRA, Claudio M. Martins. Bourdieu e a Educação. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

OLIVEIRA, Marcus Aurélio Taborda de; MEURER, Sidmar dos Santos. Tensões entre o prescrito e o realizado na escolarização paranaense na década inicial do século XX: experiências de professores primários a partir da análise dos relatórios da instrução pública. In: OLIVEIRA, Marcus Aurélio Taborda de (org.). Cinco estudos em História e Historiografia da Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

PAIXÃO, Lea Pinheiro. Compreendendo a escola na perspectiva das famílias. In: MULLER, Maria Lúcia e PAIXÃO, Lea Pinheiro (Orgs.). Educação, diferenças e desigualdades Cuiabá: EdUFMT, 2006.

PEREIRA, Amilcar Araujo. O mundo negro: relações raciais e a constituição do Movimento Negro no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas: FAPERJ, 2013.

REIS, João José. De olho no canto: trabalho de rua na Bahia na véspera da abolição. Afro-Ásia, nº 24, 2000, pp. 199-242.

SANTOS, Mário Augusto da Silva. A República do povo: sobrevivência e tensão. Salvador: EDUFBA, 2001.

SCHUELER, Alessandra F. M. de. Projetos de educação em disputa no período da abolição e pós-abolição (1870 – 1910): intelectuais negros, imprensa e reformas sociais no Rio de Janeiro, Projeto de pesquisa, UFF, 2011.

SCHUELER, Alessandra; RIZZINI, Irma. Escolarização de meninos e meninas na Capital Federal no pós-abolição (1888-1910). In: XI Congresso Iberoamericano de História da Educação Latinoamericana: Sujetos, poder y disputas por la educación. XI Congresso Iberoamericano de História da Educação Latinoamericana. Toluca: Colégio Mexiquense, 2014. v. 0. p. 1-18.

SENRA, Nelson. História das Estatísticas Brasileiras: 1822-2002. Vol. 1 e 2. Rio de Janeiro: IBGE, 2006.

SILVA, Maria Conceição B. da Costa e. O ensino primário na Baia: 1889 – 1930. (Tese de Doutorado) Salvador: Faced/UFBA, 1997.

SOUSA, Ione Celeste de. Prover as aulas, regular o Tempo: uma leitura sobre cultura escolar na Bahia oitocentista. In: LUZ, José Augusto e SILVA, José Carlos (Orgs.). História da educação na Bahia. Salvador: Arcadia, 2008.

SOUSA, Ione Celeste de. Escolas ao Povo: experiências de escolarização de pobres na Bahia - 1870 a 1890. Tese de Doutorado em História Social, PEPGHS, PUC/São Paulo; 2006.

THIN, Daniel. Famílias de camadas populares e a escola: confrontação desigual e modos de socialização. Trad. de: Janine Françoise AndreéHounard. In: MULLER, Maria Lúcia e PAIXÃO, Lea Pinheiro (Orgs.). Educação, diferenças e desigualdades. Cuiabá: EdUFMT, 2006.

THOMPSON, Edward P. Folclore, Antropologia e História Social. In: THOMPSON, Edward P. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas: Ed. Unicamp, 2012.

THOMPSON, Edward P. A formação da classe operária Inglesa, v. I: a árvore da liberdade. Tradução de Denise Bottmann. 6 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

THOMPSON, Edward P. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

THOMPSON, Edward P. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

VIANA, Larissa. O idioma da mestiçagem: as irmandades de pardos na América Portuguesa. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2007.

VIDAL, Diana Gonçalves. Faces da obrigatoriedade escolar: lições do passado, desafios do presente. In: VIDAL, Diana Gonçalves; SÁ, Elizabeth Figueiredo de; SILVA, Vera Lúcia Gaspar da. Obrigatoriedade escolar no Brasil. Cuiabá: EdUFMT, 2013.

VIDAL, Diana Gonçalves. Mapas de freqüência a escola de primeiras letras: fontes para uma história da escolarização e do trabalho docente em São Paulo na primeira metade do século XIX. Revista Brasileira de História da Educação, n. 17, mai/ago. 2008.

VILLELA, Heloisa de O. S. A trajetória de um professor negro no Brasil escravocrata. In: OLIVEIRA, Iolanda de (Org.). Relações raciais no contexto social, na educação e na saúde: Brasil, Cuba, Colômbia e África do Sul. Rio de Janeiro: Quartet: 2012.

Publicado
2016-10-30
Como Citar
Cavalcante, I. A. (2016). A Athenas brasileira no pós-abolição: Experiências na escolarização pública primária. Revista HISTEDBR On-Line, 16(68), 32-56. https://doi.org/10.20396/rho.v16i68.8643973
Seção
Artigos