Banner Portal
Formação de professores na Parahyba do Norte
PDF

Palavras-chave

Programa de ensino. Formação de professores. Parahyba do Norte.

Como Citar

ARAÚJO, Rose Mary de Souza. Formação de professores na Parahyba do Norte. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 70, p. 232–245, 2017. DOI: 10.20396/rho.v16i70.8644528. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8644528. Acesso em: 25 jun. 2024.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo dar visibilidade aos saberes prescritos para a formação de professores para o magistério primário na Parahyba do Norte do século XIX. Nesse sentido, toma-se quatro espaços histórico-temporais onde esses saberes foram normatizados pelo poder público: 1884, 1886, 1892 e 1893. O corpo documental utilizado foi composto por: discursos e relatórios elaborados pelos presidentes da província paraibana, os relatórios dos diretores da instrução pública dirigidos aos presidentes provinciais, Leis e Regulamentos da Instrução Pública e a produção jornalística de época em nível local.O estudo está assentado nos referenciais de Thompson (1981), de Goodson (1995) e de Gramsci (1989). A partir da documentação disponibilizada, observa-se que predominaram os saberes de cultura geral, científica e moral no processo de formação dos professores primários na Província da Parahyba do Norte.

https://doi.org/10.20396/rho.v16i70.8644528
PDF

Referências

AGUIAR, Wellington Hermes Vasconcelos de; MELO, José Octávio de Arruda. Uma cidade de quatro séculos (Evolução e Roteiro). João Pessoa: Governo do Estado da Paraíba, 1985.

ALMEIDA, José Ricardo Pires. Instrução pública no Brasil (1500-1889): História e Legislação. 2. ed. Tradução Antonio Chizzotti. São Paulo: EDUC, 2000.

ARAUJO, José Carlos Souza [et al.], (orgs.). As escolas normais no Brasil: do império à república. Campinas, São Paulo: Alínea, 2008, p. 75-90.

ARAÚJO, Rose Mary de Souza. Escola Normal na Parahyba do Norte: movimento e constituição da formação de professores no século XIX. João Pessoa: Tese de Doutorado, Centro de Educação/Universidade Federal da Paraíba, 2010.

BOTO, Carlota. A Escola do homem novo: entre o Iluminismo e a Revolução Francesa. São Paulo: Editora da UNESP, 1996.

GOODSON, Ivor F. Currículo: teoria e história. Tradução AttílioBrunetta. Petrópolis: Vozes, 1995.

GRAMSCI, Antonio. Concepção dialética da história. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1988.

GURJÃO, Eliete de Queiroz. Morte e vida das oligarquias: Paraíba (1889-1945).João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1994.

MONARCHA, Carlos. Escola Normal da Praça: o lado noturno das luzes. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp. 1999.

PINHEIRO, Antonio Carlos F.; CURY, Claudia Engler (Orgs). Leis e Regulamentos da Instrução da Paraíba no Período Imperial. Brasília: INEP, 2004. Disponível em http://www.inep.gov.br/estatisticas/cdeb_2004/PB.pdf. Acesso em 09/04/2007.

SAVIANI, Dermeval. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas, SP: Autores Associados, 2008. (Coleção Memória da Educação).

THOMPSON, Edward Palmer. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Tradução Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.