As pesquisas com intelectuais em história da educação: um campo profícuo

Autores

  • Maria Cristina Gomes Machado Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Antonio Marcos Dorigão Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR / FECEA.
  • Gizeli Fermino Coelho Universidade Estadual de Maringá-UEM

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i67.8645233

Palavras-chave:

Educação. Intelectuais. História da Educação. Pesquisa

Resumo

Este artigo investiga a categoria intelectual, suas obras e proposições teóricas como objeto de pesquisa na área de História da Educação. A proposta problematiza os procedimentos teórico-metodológicos que devem ser adotados nessas pesquisas para alcançar resultados profícuos. Trata-se de uma análise bibliográfica que se utiliza como fonte de estudo artigos e livros dedicados à história da educação, valendo-se da obra e de ações de intelectuais e textos relacionadas à metodologia de pesquisa em história da educação. Compreende-se que os intelectuais são personalidades diretamente ligados à vida pública dotados de uma visibilidade que os aproximam dos meios políticos, culturais e midiáticos, profissionalmente produzem obras artísticas ou científicas pautadas em ideias que refletem o seu contexto histórico. Desta forma, estudar as produções e a atuação dessas personalidades no cenário intelectual requer a localização no tempo e espaço da construção de suas ideias, situando-o na rede de relações e fatos políticos, econômicos, culturais e sociais na qual forjou sua perspectiva teórica, este procedimento evita eternizar, naturalizar e universalizar as propostas de intelectuais tomadas como objeto de estudo na área de História da Educação. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Gomes Machado, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Pedagoga, mestre em educação pela Universidade Estadual de Maringá, doutora em Filosofia e História da Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Professora do curso de pedagogia, do mestrado e doutorado em educação da Universidade Estadual de Maringá e coordenadora do GT – Maringá do Grupo de Estudos e Pesquisas «História, Sociedade e Educação no Brasil» (HISTEDBR).

Antonio Marcos Dorigão, Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR / FECEA.

Cientista Social, mestre em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Londrina, doutorando em Educação da Universidade Estadual de Maringá, Professor da Universidade Estadual do Paraná e membro do GT – Maringá do Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação no Brasil (HISTEDBR).

Gizeli Fermino Coelho, Universidade Estadual de Maringá-UEM

Pedagoga, mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá, doutoranda na área de história e Historiografia da educação pela Universidade Estadual de Maringá -uem.

Referências

ARNAULT DE TOLEDO, C. A.; GIMENEZ, J. C. Educação e pesquisa: fontes e documentos. In: CASIMIRO, A. P. B. S.; LOMBARDI, J. C.; MAGALHÃES, L. D. R. A pesquisa e a preservação de arquivos e fontes para a educação, cultura e memória. Campinas, SP: Alínea, 2009, p. 109-125.

BEIRED, J. L. B. A função social dos intelectuais. In: AGGIO, A. (Org.). Gramsci: a vitalidade de um pensamento. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

CADIOU, F. S. et al. Como se faz a história: historiografia, método e pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

CASTANHO, S. Teoria da história e história da educação: por uma história cultural não culturalista. Campinas, SP: Autores Associados, 2010.

CARDOSO, Ciro Flamarion. História e Paradigmas Rivais. In: ARDOSO, Ciro F.;VAINFAS, Ronaldo. (Orgs.). Domínios da História: Ensaios de Teoria e Metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997, pp. 1-23.

CERQUEIRA, M. N. O intelectual e a liberação do pensamento (Gramsci e Said). ENCONTRO DE HISTÓRIA ANPUH – Rio. Identidades, 13. Anais... Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: http://www.encontro2008.rj .anpuh. org/ resources/content/anais /. Acesso em: 12 jul. 2011.

COSTA, C. J. O epistolário jesuítico como fonte privilegiada de pesquisa sobre história da educação no Brasil Colonial. In: MACHADO, M. C. G. M.; OLIVEIRA, T. (Orgs.). Educação na história. São Luis: Editora UEMA, 2008, p. 73-95.

ELIAS, N. A sociedade de corte: Investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

ELIAS, N. Mozart - Sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

FACHIN, O. Fundamentos de metodologia. São Paulo: Saraiva, 2006.

FALCON, F. História das ideias. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997. p. 139-188.

FERRÉOL, G.; NORECK, J. P. Introdução à sociologia. São Paulo: Ática, 2007.

GALIANI, C. Educação e democracia em John Dewey. Maringá, PR: EDUEM, 2009.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

HOBSBAWM, E. Sobre a história. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

KELLEY, D. R. Horizons of intellectual history: Retrospect, circumspect, prospect. Journal of the History of Ideas, v. 48, n. 1, p. 143-169, Jan.-Mar. 1987.

KELLEY, D. R. What is happening to the history of ideas? Journal of the History of Ideas, v. 51, n. 1, p. 3-25, Jan.-Mar. 1990.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Sociologia geral. São Paulo: Atlas, 2006.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1990.

LEONEL, Z. Tendência atual da história da educação. In: SCHELBAUER, A. R.; LOMBARDI, J. C.; MACHADO, M. C. G. (Orgs.). Educação em debate: perspectivas, abordagens e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados, 2006. p. 53-71.

LOMBARDI, J. C. História e historiografia da educação. In. LOMBARDI, J. C; NASCIMENTO, M. I. M. Fontes, história e historiografia da educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. p. 141-177.

LOMBARDI, J. C. História e historiografia da educação: fundamentos teórico-metodológicos. In: SCHELBAUER, A. R.; LOMBARDI, J. C.; MACHADO, M. C. G. (Orgs.). Educação em debate: perspectivas, abordagens e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados, 2006. p. 73-98.

LOPES, E. M. T.; GALVÃO, A. M de O. História da Educação. Rio de Janeiro: DPEA, 2001.

LÖWY, M. Para uma sociologia da intelligentsia capitalista. In: (Org.) LÖWY, M. Para uma sociologia dos intelectuais revolucionários. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1979. p. 1-92.

MACHADO, M. C. G.. Rui Barbosa: pensamento e ação. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

MALINA, A.; OLIVEIRA, V. M.; AZEVEDO, A. C. B. Uma discussão sobre o conceito de intelectual em Karl Mannheim e Antonio Gramsci. Trabalho & Educação, v. 16, n. 2, p. 69-80, jul. / dez. 2007.

MARRACH, S. Outras histórias da educação: do iluminismo à indústria cultural (1823 – 2005). São Paulo: Editora UNESP, 2009.

MAXIMO, A. C. Os intelectuais e a educação das massas: o retrato de uma tormenta. Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

NETTO, J. P. Relendo a teoria marxista da história. In: SAVIANI, D.; LOMBARDI, J. C.; SANFELICE, J. L. (Orgs.). História e História da Educação: o debate teórico-metodológico atual. 3ª ed. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2006 (Coleção Educação Contemporânea).

NÓVOA, A. História da Educação: Percursos de uma disciplina. Lisboa, 1999.

SARTRE, J.P. Em defesa dos intelectuais. São Paulo: Ática, 1965.

SAVIANI, D. O debate teórico e metodológico no campo da história e sua importância para pesquisa educacional. In: SAVIANI, D; LOMBARDI, J. C.; SANFELICE, J. L. (Orgs.). História e história da educação. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados/HISTEDBR, 2006. p. 7-16.

VIEIRA, C. E. Intelligentsia e intelectuais: sentidos, conceitos e possibilidades para a história intelectual. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, SP: Autores Associados, n. 16, p. 63-85, jan./abr. 2008.

VIEIRA, C. E. História dos intelectuais: representações, conceitos e teorias. Disponível em: http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe4/coordenadas/eixo06. Acesso em: 15 fev. 2012.

VON HUMBOLDT, W. Sobre a tarefa do historiador. In: MARTINS, E. R. (Org.). História pensada. São Paulo: Contexto, 2010. p. 82-100.

VON RANKE, L. O conceito de história universal. In: MARTINS, E. R. (Org.). História pensada. São Paulo: Contexto, 2010. p. 201-215.

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

MACHADO, M. C. G.; DORIGÃO, A. M.; COELHO, G. F. As pesquisas com intelectuais em história da educação: um campo profícuo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 67, p. 175–188, 2016. DOI: 10.20396/rho.v16i67.8645233. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645233. Acesso em: 23 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: X Jorn HISTEDBR-História da Educação: intelectuais, memória e política

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>