Banner Portal
As pesquisas com intelectuais em história da educação: um campo profícuo
PDF

Palavras-chave

Educação. Intelectuais. História da Educação. Pesquisa

Como Citar

MACHADO, Maria Cristina Gomes; DORIGÃO, Antonio Marcos; COELHO, Gizeli Fermino. As pesquisas com intelectuais em história da educação: um campo profícuo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 67, p. 175–188, 2016. DOI: 10.20396/rho.v16i67.8645233. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645233. Acesso em: 12 jun. 2024.

Resumo

Este artigo investiga a categoria intelectual, suas obras e proposições teóricas como objeto de pesquisa na área de História da Educação. A proposta problematiza os procedimentos teórico-metodológicos que devem ser adotados nessas pesquisas para alcançar resultados profícuos. Trata-se de uma análise bibliográfica que se utiliza como fonte de estudo artigos e livros dedicados à história da educação, valendo-se da obra e de ações de intelectuais e textos relacionadas à metodologia de pesquisa em história da educação. Compreende-se que os intelectuais são personalidades diretamente ligados à vida pública dotados de uma visibilidade que os aproximam dos meios políticos, culturais e midiáticos, profissionalmente produzem obras artísticas ou científicas pautadas em ideias que refletem o seu contexto histórico. Desta forma, estudar as produções e a atuação dessas personalidades no cenário intelectual requer a localização no tempo e espaço da construção de suas ideias, situando-o na rede de relações e fatos políticos, econômicos, culturais e sociais na qual forjou sua perspectiva teórica, este procedimento evita eternizar, naturalizar e universalizar as propostas de intelectuais tomadas como objeto de estudo na área de História da Educação. 

https://doi.org/10.20396/rho.v16i67.8645233
PDF

Referências

ARNAULT DE TOLEDO, C. A.; GIMENEZ, J. C. Educação e pesquisa: fontes e documentos. In: CASIMIRO, A. P. B. S.; LOMBARDI, J. C.; MAGALHÃES, L. D. R. A pesquisa e a preservação de arquivos e fontes para a educação, cultura e memória. Campinas, SP: Alínea, 2009, p. 109-125.

BEIRED, J. L. B. A função social dos intelectuais. In: AGGIO, A. (Org.). Gramsci: a vitalidade de um pensamento. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

CADIOU, F. S. et al. Como se faz a história: historiografia, método e pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

CASTANHO, S. Teoria da história e história da educação: por uma história cultural não culturalista. Campinas, SP: Autores Associados, 2010.

CARDOSO, Ciro Flamarion. História e Paradigmas Rivais. In: ARDOSO, Ciro F.;VAINFAS, Ronaldo. (Orgs.). Domínios da História: Ensaios de Teoria e Metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997, pp. 1-23.

CERQUEIRA, M. N. O intelectual e a liberação do pensamento (Gramsci e Said). ENCONTRO DE HISTÓRIA ANPUH – Rio. Identidades, 13. Anais... Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: http://www.encontro2008.rj .anpuh. org/ resources/content/anais /. Acesso em: 12 jul. 2011.

COSTA, C. J. O epistolário jesuítico como fonte privilegiada de pesquisa sobre história da educação no Brasil Colonial. In: MACHADO, M. C. G. M.; OLIVEIRA, T. (Orgs.). Educação na história. São Luis: Editora UEMA, 2008, p. 73-95.

ELIAS, N. A sociedade de corte: Investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

ELIAS, N. Mozart - Sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

FACHIN, O. Fundamentos de metodologia. São Paulo: Saraiva, 2006.

FALCON, F. História das ideias. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997. p. 139-188.

FERRÉOL, G.; NORECK, J. P. Introdução à sociologia. São Paulo: Ática, 2007.

GALIANI, C. Educação e democracia em John Dewey. Maringá, PR: EDUEM, 2009.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

HOBSBAWM, E. Sobre a história. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

KELLEY, D. R. Horizons of intellectual history: Retrospect, circumspect, prospect. Journal of the History of Ideas, v. 48, n. 1, p. 143-169, Jan.-Mar. 1987.

KELLEY, D. R. What is happening to the history of ideas? Journal of the History of Ideas, v. 51, n. 1, p. 3-25, Jan.-Mar. 1990.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Sociologia geral. São Paulo: Atlas, 2006.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1990.

LEONEL, Z. Tendência atual da história da educação. In: SCHELBAUER, A. R.; LOMBARDI, J. C.; MACHADO, M. C. G. (Orgs.). Educação em debate: perspectivas, abordagens e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados, 2006. p. 53-71.

LOMBARDI, J. C. História e historiografia da educação. In. LOMBARDI, J. C; NASCIMENTO, M. I. M. Fontes, história e historiografia da educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. p. 141-177.

LOMBARDI, J. C. História e historiografia da educação: fundamentos teórico-metodológicos. In: SCHELBAUER, A. R.; LOMBARDI, J. C.; MACHADO, M. C. G. (Orgs.). Educação em debate: perspectivas, abordagens e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados, 2006. p. 73-98.

LOPES, E. M. T.; GALVÃO, A. M de O. História da Educação. Rio de Janeiro: DPEA, 2001.

LÖWY, M. Para uma sociologia da intelligentsia capitalista. In: (Org.) LÖWY, M. Para uma sociologia dos intelectuais revolucionários. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1979. p. 1-92.

MACHADO, M. C. G.. Rui Barbosa: pensamento e ação. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

MALINA, A.; OLIVEIRA, V. M.; AZEVEDO, A. C. B. Uma discussão sobre o conceito de intelectual em Karl Mannheim e Antonio Gramsci. Trabalho & Educação, v. 16, n. 2, p. 69-80, jul. / dez. 2007.

MARRACH, S. Outras histórias da educação: do iluminismo à indústria cultural (1823 – 2005). São Paulo: Editora UNESP, 2009.

MAXIMO, A. C. Os intelectuais e a educação das massas: o retrato de uma tormenta. Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

NETTO, J. P. Relendo a teoria marxista da história. In: SAVIANI, D.; LOMBARDI, J. C.; SANFELICE, J. L. (Orgs.). História e História da Educação: o debate teórico-metodológico atual. 3ª ed. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2006 (Coleção Educação Contemporânea).

NÓVOA, A. História da Educação: Percursos de uma disciplina. Lisboa, 1999.

SARTRE, J.P. Em defesa dos intelectuais. São Paulo: Ática, 1965.

SAVIANI, D. O debate teórico e metodológico no campo da história e sua importância para pesquisa educacional. In: SAVIANI, D; LOMBARDI, J. C.; SANFELICE, J. L. (Orgs.). História e história da educação. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados/HISTEDBR, 2006. p. 7-16.

VIEIRA, C. E. Intelligentsia e intelectuais: sentidos, conceitos e possibilidades para a história intelectual. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, SP: Autores Associados, n. 16, p. 63-85, jan./abr. 2008.

VIEIRA, C. E. História dos intelectuais: representações, conceitos e teorias. Disponível em: http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe4/coordenadas/eixo06. Acesso em: 15 fev. 2012.

VON HUMBOLDT, W. Sobre a tarefa do historiador. In: MARTINS, E. R. (Org.). História pensada. São Paulo: Contexto, 2010. p. 82-100.

VON RANKE, L. O conceito de história universal. In: MARTINS, E. R. (Org.). História pensada. São Paulo: Contexto, 2010. p. 201-215.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.