Trabalho do professor na universidade brasileira: Hegemonia e Neoamericanismo

Autores

  • João dos Reis Silva Júnior UFSCar - Departamento de Educação DEd
  • Daniel Schugurenski Arizona State University.

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i67.8645238

Palavras-chave:

Mudança na Universidade. Comercialização da Ciência. Pesquisas Comercializáveis

Resumo

O artigo tem como objetivo contribuir para o entendimento sobre a mudança da natureza do trabalho professor – que se torna de forma predominante imaterial e produtivo - diante dada mercantilização da universidade americana e seus novos papeis no âmbito social e econômico. O que a faz parte central do sistema de produção. Esta compreensão possibilita melhor entender as mudanças estruturais em curso no Brasil e suas consequências para a vida do intelectual pesquisador da universidade estatal e para a natureza de seu trabalho cada vez mais comercializável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João dos Reis Silva Júnior, UFSCar - Departamento de Educação DEd

Livre-Docente em Educação - USP
National Counsel of Technological and Scientific Development – International Researcher - Level 1A

Visiting Professor at Arizona State University

São Carlos Federal University
Department of Education

Referências

BERMAN, E. P. Creating the marketing university – how academic science became an economic engine. Princenton: Princeton University Press, 2012.

BRASIL. CGEE. Ministério de Ciência e Tecnologia do Brasil. Livro Azul 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Brasil Sustentável, 2010.

BRASIL. Ministério de Relações Exteriores. Políticas de Inovação no Brasil e nos Estados Unidos: a busca da competitividade – oportunidades para a ação diplomática, 2011.

BELLUZO, Luiz Gonzaga. Belluzzo: motor quebrou e Levy quer arrumar a lataria. Disponível em http://www.cut.org.br/imprimir/news/48ee0f6e11e6d73d17757157c63792eb/ e acesso em 14 de abril de 2016.

CUMMINGS, B. The changing landscape of intellectual property management as a revenue-generating asset for U.S research universities. George Mason Law Review. 21(4), pp. 1027-1047. Disponível em http://connection.ebscohost.com/c/articles/97014125/changing-landscape-intellectual-property-management-as-revenue-generating-asset-u-s-research-universities. Acesso em 16 de abril de 2016.

ETZKOWITZ, H. The triple helix: university-industry-government innovation in action. New York, Routledge, 2008.

GRAMSCI, A. (1988). Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira.

HOROWITZ, I. L.La génesis intelectual de C. Wright Mills. Prefacio al libro Mills, C. W. Sociología y pragmatismo. Buenos Aires: Ediciones Siglo Veinte, 1968.

LMUCCI, Sergio. Tentativa de crescer com poupança externa é estratégia errada, diz Bresser. Disponível em http://www.sintex.org.br/noticia/2009/09/18/57954-tentativa-de-crescer-com-poupanca-externa-e-estrategia-errada-diz-bresser acesso em 16 de abril de 2016.

IANNI, O. Globalização: o novo paradigma das ciências sociais. Revista de Estudos Avançados. 8(21), 1994, pp. 147-163. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40141994000200009&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S0103-40141994000200009. Acesso em 16 de abril de 2016.

LOISE, V.; STEVENS, A.J. The Bay-Dole Act Turns 30. SCI Transl Med, 2(52), 2011, pp.1-5, DOI: 10.1126/scitranslmed.3001481. Disponível em http://stm.sciencemag.org/content/2/52/52cm27.full acesso 16 de abril de 2016.

MARGINSON, S.; ORDORIKA, I. Hegemonía en la era del conocimiento: competencia global en la educación superior y la investigación científica, 2010. Cidade do México: Universidad Nacional Atónoma de México.

MARQUES, F. (2008). Lições Inovadoras. Revista Pesquisa FAPESP, São Paulo, n. 147, pp. 34-36, Maio. Disponível em http://revistapesquisa.fapesp.br/2008/05/01/licoes-dos-inovadores/. Acesso 16 de abril de 2016.

MILLS, C. W. Sociologia y pragmatismo: Buenos Aires: Ediciones Siglo Veinte

Mowery, D. et al. (2004). Ivory Tower and Industrial Innovation: University-Industry Technology Transfer Before and After the Bayh-Dole Act. Palo Alto, Calif.: Stanford Business Books, 1968.

OLIVEIRA, F. de. A face do horror. In: Silva Júnior, J. R.; Sguissardi, V. (eds.). As novas faces da educação superior no Brasil – reforma do Estado e mudanças na produção. Bragança Paulista e São Paulo: EDUSF e Cortez Editora, 2001, 2ª edição.

Paulani, L. Brasil delivery – servidão financeira e estado de emergência econômico. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

PAULANI, Leda. Dependência Redobrada. Disponível em https://www.diplomatique.org.br/print.php?tipo=ar&id=1219 e acesso em 14 de abril de 2016.

PERORAZIO, T.E. Curiosity and commercialization: faculty perspectives on sponsored research academic science and research agendas (doctoral dissertation). University of Michigan. ProQuest, UMI Dissertations Publishing, UMI No. 3392864, 2009.

SGUISSARDI, V.; Silva Júnior, J. dos R. Trabalho intensificado nas federais – pós-graduação e produtivismo acadêmico.São Paulo: EJR Xamã Editora, 2009.

SLAUGHTER, S.; RHOADES, G. Markets in Higher Education. In: Altbach, P. G.; Gumport, P. J.; Berdahl, R. O. (eds.). American higher education in the twenty-first century – social, political and economic challenges. Baltimore: The John Hopkins University Press, 3rd. ed., 2011, pp. 433-464.

SLAUGHTER, S.; RHOADES, G. Academic capitalism and new economy – market, State and higher education. Baltimore: The John Hopkins University Press, 2011, 3rd. ed..

WEBER, M. Ciência como Vocação. In: WEBER, M. Ensaios de sociologia. Rio de Janeiro: LTC, 2002, pp. 90-110.

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

SILVA JÚNIOR, J. dos R.; SCHUGURENSKI, D. Trabalho do professor na universidade brasileira: Hegemonia e Neoamericanismo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 67, p. 5–22, 2016. DOI: 10.20396/rho.v16i67.8645238. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645238. Acesso em: 21 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos