O Rei Pasmado e a Rainha Nua: o cinema como fonte para a história da educação

Autores

  • Érica Myeko Ohara Itoda UEM - SEED/PR.
  • Marcília Rosa Periotto UEM

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i67.8645240

Palavras-chave:

História da Educação. Filosofia da Educação. Igreja Católica

Resumo

O estudo traz uma análise histórica e filosófica do filme O Rei Pasmado e a Rainha Nua (1991), cujo enredo se baseia no livro Crónica del Rey Pasmado, do escritor espanhol Gonzalo Torrente Ballester. O propósito da análise justifica-se com a narrativa do filme encadeado às questões históricas do século XVII, época em que se ambienta a trama. Tais aspectos direcionam as ações e a compreensão de mundo das personagens, colocando em relevo a conexão que mantém com a história da educação na medida em que a nova época produzia os conteúdos educativos necessários ao processo transformador em curso. Os diálogos e ações das personagens são explicados pelos argumentos da patrística e pelo pensamento filosófico universal, presente nos  séculos XVI e XVII. As concepções de mundo e o embate que o processo histórico e científico percorreu para o desenvolvimento das ciências naturais e, por conseguinte, estabelecimento da prática capitalista, se evidencia como uma discussão que se efetivou não apenas pelos intelectuais da época, mas também na prática diária, íntima e geral, da nobreza, do clero e do povo em geral. Por conta disso, as transformações se referem à forma educativa da sociedade em questão, fato contributivo à História da Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érica Myeko Ohara Itoda, UEM - SEED/PR.

Mestre em História e Historiografia da Educação pela UEM-PR. Professora da SEED/PR.

Marcília Rosa Periotto, UEM

Pós-Doutora em História da Educação pela UFMG. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação/ UEM-PR.

Referências

ÁLVAREZ, Fe Bajo & PECHARROMÁN, Julio Gil. História de España. 2. ed. Sociedad General Española de Libreria, S.A. 2000.

BACON, Francis. Novum Organum ou verdadeiras indicações acerca da interpretação da natureza. 1ªedição. São Paulo: Abril Cultural, 1973.

BRECHT, Bertoldo. Teatro Completo. RJ: Paz e Terra, 12v, 2ª ed., 1966.

DECARTES, René. Meditações. 3. ed. SP: Abril Cultural, 1983.

FERRO, Marc. A História Vigiada. SP: Martins Fontes, 1989.

HOBBES, Thomas. Leviatã ou Matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. 2. ed. SP: Abril Cultural, 1979.

LOCKE, John. Dois Tratados sobre o Governo. SP: Martins Fontes, 1998.

O REI PASMADO e a Rainha Nua. Direção: Imanol Uribe. Produção: Andrés Santana e Imanol Uribe. Roteiro: Gonzalo Torrente Malvino e Juan Potua. Intérpretes: Gabino Diego, Juan Diego, Joaquim de Almeida e outros. 1991. VHS. (110 min.).

TORRENTE BALLESTER, Gonzalo. O rei pasmado e a rainha nua. Tradução: Clara Diament. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1993.

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

ITODA, Érica M. O.; PERIOTTO, M. R. O Rei Pasmado e a Rainha Nua: o cinema como fonte para a história da educação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 67, p. 129–140, 2016. DOI: 10.20396/rho.v16i67.8645240. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645240. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos