Banner Portal
O conhecimento e o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão
PDF

Palavras-chave

Ensino
pesquisa e extensão. Conhecimento. Universidade.

Como Citar

PUHL, Mário José. O conhecimento e o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 69, p. 222–232, 2017. DOI: 10.20396/rho.v16i69.8645281. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645281. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

O trabalho tematiza a dinâmica da produção do conhecimento sob a ótica do princípio constitucional da indissociabilidade entre ensino-pesquisa-extensão e do sentido de existir da universidade, sustentado a partir da pesquisa bibliográfica e documental e de elaboração teórica. Objetiva-se debater esta temática acadêmica com vistas a contribuir para uma compreensão integrada destas dimensões do fazer acadêmico, de forma articulada entre si. Defende-se que a adoção de tal princípio projeta novas possibilidades epistêmicas e pedagógicas de reprodução, produção e socialização de conhecimentos, o que contribui na efetivação da interdisciplinaridade, além de ser um meio de transcender a dicotomia entre teoria/prática, sujeito/objeto, empiria/razão. Configura a condição de possibilidade para o fazer e o sentido da Universidade. Integrar as três dimensões da universidade não significa anular metodologias e estabelecer um método único de fazer pesquisa, produzir saberes, mas acena para a sensibilidade e abertura de cada qual às contribuições, leituras, compreensões das outras ciências e dos outros métodos. É na mútua contribuição que se afirma a especificidade de cada ciência na construção dos espaços acadêmicos e do mundo comum, afirmando uma identidade universitária.

https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8645281
PDF

Referências

ARISTÓTELES. Física I e II. Tradução Lucas Angioni. Campinas: UNICAMP, 2009a.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 3. ed. Tradução Edson Bini. Bauru: EDIPRO, 2009b.

ARISTÓTELES. Metafísica: ensaio introdutório. São Paulo: Loyola, 2002. v. 1.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: 1988. 18.ed. Brasília: Câmara dos Deputados, 2002. Série textos básicos, n. 27.

CATANI, Afrânio; OLIVEIRA, João. A educação superior. In: OLIVEIRA, Romualdo Portela de; ADRIÃO, Theresa (orgs.). Organização do ensino no Brasil: níveis e modalidades na Constituição Federal e na LDB. 2. ed. São Paulo: Xamã, 2007. p. 77-88.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. 12. ed. São Paulo: Ática, 1999.

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. 42. ed. São Paulo: Brasiliense, 1997. Coleção primeiros passos, n. 13.

FÁVERO, Maria de Lourdes de A. A dimensão histórico-política da nova Lei de Diretrizes e Bases e a Educação Superior. In: CATANI, Afrânio Mendes (org.). Novas perspectivas nas políticas de educação superior na América Latina no limiar do século XXI. Campinas: Autores Associados, 1998.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. 7. ed. Tradução rev. e apres. Marcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: São Francisco, 2012.

KANT, Immanuel. O que é esclarecimento? Tradução Paulo Cesar Gil Ferreira. Rio de Janeiro: Via Verita, 2011.

KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. Tradução Lucimar Coghi Anselmi; Fulvio Lubisco. São Paulo: Martin Claret, 2009. Coleção a obra-prima de cada autor, n. 3.

KANT, Immanuel. Crítica da razão prática. Tradução Paulo Barrera. São Paulo: Ícone, 2005.

LEITE, Flamarion Tavares. 10 lições sobre Kant. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. Coleção 10 lições.

PLATÃO. Diálogos. Tradução Edson Bini. Bauru: EDIPRO, 2008. v. 3.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. São Paulo: Cortez, 1984.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Competência técnica e sensibilidade ético-política: o desafio da formação de professores. In: Cadernos FEDEP, n.1, fev. 2002. p. 7-20.

TARNAS, Richard. A epopéia do pensamento ocidental: para compreender as ideias que moldaram nossa visão de mundo. 4. ed. Tradução Beatriz Sidou. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.