Expansão educacional no Sudeste e migração em Minas Gerais: impactos na alfabetização da população de Ituiutaba (1956-1971)

Autores

  • Luciene Teresinha de Souza Bezerra Universidade Federal de Uberlândia. http://orcid.org/0000-0003-2093-3281
  • Betania de Oliveira Laterza Ribeiro Universidade Federal de Uberlândia.
  • José Carlos Souza Araujo Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8645283

Palavras-chave:

Desenvolvimento nacional. Industrialização. Urbanização. Analfabetismo. Escolas rurais.

Resumo

Com este estudo, buscou-se explorar os impactos da migração e da expansão educacional nos índices de analfabetismo no Brasil. No processo de desenvolvimento nacional no período de 1950-1960, a industrialização e urbanização atraíram para a cidade uma massa de população campesina que, até então, superava a população urbana, caso se considerasse o Sudeste ou a própria Minas Gerais. Objetivou-se compreender a influência da migração nas taxas de analfabetismo desse estado, focalizando o município de Ituiutaba entre 1956 e 1971. Como pesquisa documental, este estudo se ancorou em atas da Câmara Municipal, em matérias jornalísticas, em relatos orais e em dados estatísticos. Os resultados mostram que os dados locais põem em xeque eventuais consensos. Por exemplo, esse município experimentou um processo de migração para o campo - e não do meio rural para a cidade - o que ampliou suas taxas de analfabetismo. Nesse caso, o número de escolas rurais superou o de escolas urbanas, quando a tendência da expansão educacional era de feição urbana, como são os grupos escolares. Ainda assim, esse município apresentou taxas de analfabetismo que superavam a média regional e nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciene Teresinha de Souza Bezerra, Universidade Federal de Uberlândia.

Mestra em Educação, na Universidade Federal de Uberlândia-UFU, na linha História e Historiografia da Educação. Possui graduação em Letras - UEMG/FEIT-Universidade Estadual de Minas Gerais (1990). Atualmente é diretora escolar Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Avaliação de Sistemas, Instituições, Planos e Programas Educacionais, atuando principalmente no seguinte tema: violência mudança enfrentamento.

Betania de Oliveira Laterza Ribeiro, Universidade Federal de Uberlândia.

Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro, possui graduação em Pedagogia pela Universidade de Uberaba (1983), foi a primeira discente do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO da Universidade Federal de Uberlândia a defender o MESTRADO EM EDUCAÇÃO no (1992) na UFU. Possui doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (1997). Pós-Doutorado em Psiquiatria, Neurologia e Psicologia Médica (2000). É professora de História da Educação e Política e Gestão da Educação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), na qual é membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em História e Historiografias da Educação (NEPHE-) Membro da Comissão local da organização do VI Luso Brasileiro de História da Educação 2006/UFU/MG. É docente do PROGRAMA DE Pós-Graduação da UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA (FACED),orientando alunos do mestrado e doutorado.Foi membro da CAMARA SHA da Fapemig nos anos de 2002 a 2006.

José Carlos Souza Araujo, Universidade Federal de Uberlândia

Realizou o curso primário no Grupo Escolar Cel. Lucas de Magalhães, em Arceburgo, MG, os cursos de admissão e ginasial no Instituto de Educação Oscar Villares, em Mococa, SP, e o clássico em Rio Claro, SP. Licenciou-se em História pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, cursou Filosofia pelo Instituto Estigmatino de Campinas, e é bacharel em Teologia pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, São Paulo, SP. Mestre em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), e Doutor em Educação na área de Filosofia e História da Educação, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), através da tese intitulada "Filosofia da Educação e Realidade Brasileira no Pensamento Pedagógico Marxista. Atua como professor e pesquisador com ênfase na área da Filosofia e História da Educação, bem como nas áreas da Pedagogia e da Didática. 

Referências

ARAUJO, José. Carlos Souza. Os grupos escolares em Minas Gerais como expressão de uma política pública: uma perspectiva histórica. In: VIDAL, Diana Gonçalves. (Org.). Grupos escolares: cultura escolar primária e escolarização da infância no Brasil (1893–1971). Campinas: Mercado de Letras, 2006, p. 206-249.

ARAUJO, Maria Marta de; MOREIRA, Keila Cruz. O Grupo Escolar Modelo “Augusto Severo” e a educação da criança (Natal–RN, 1908–1913). In: VIDAL, Diana Gonçalves (Org.). Grupos Escolares: cultura escolar primária e escolarização da infância no Brasil (1893–1971). Campinas: Mercado das Letras, 2006.

BESKOW, Paulo R. Agricultura e política no contexto brasileiro da industrialização do pós-guerra (1946-1964). Estudos, Sociedade e Agricultura, ano 12, p. 56-79, abr.1999.

BEISIEGEL, C. R A educação de jovens e adultos analfabetos no Brasil. Alfabetização e Cidadania, São Paulo, n. 16, p. 19-27, jul. 2003.

BEZERRA, Luciene Teresinha de Souza. Da Sombra da Magnólia ao porvir do Grupo Escolar Governador Clóvis Salgado de 1956 a 1971, 2016.121 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

BUFFA, Ester. História e filosofia das instituições escolares. Estudo dois. In: ARAÚJO, José Carlos Souza; GATTI JÚNIOR, Décio. (Orgs.). Novos temas em história da educação brasileira. Instituições escolares e educação na imprensa. Campinas: Autores Associados, 2002, p. 25-38.

ENCICLOPÉDIA dos municípios brasileiros - Rio de Janeiro: IBGE, 1959. v. XXV.

FRATTARI NETO, Nicola José. Educandário Espírita Ituiutaba: caminhos cruzados entre a ação inovadora e sua organização conservadora. Ituiutaba, Minas Gerais (1954-1973), 2009.202 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 1940/1950. Quadro de totais referentes ao Estado e de distribuição segundo os municípios 1940/1950. Rio do Janeiro: Serviço gráfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1950, Tomo XIX.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 1960. Minas Gerais VII Recenseamento Geral do Brasil. Série Regional. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Departamento de Estatística de População, 1960, v. I.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 1970. Minas Gerais VII Recenseamento Geral do Brasil. Série Regional. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Departamento de Estatística de População v. I. Tomo XIX.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA/IBGE. Serviço de Estatística da Educação e Cultura. Anuário estatístico do Brasil: 1957–1971. Rio de Janeiro: IBGE, 1972.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 2010. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/resultados_gerais_amostra_areas_ponderacao/default.shtm>. Acesso em: 15 set. 2015.

ITUIUTABA. Secretaria Municipal de Educação. [Dados sobre a criação e instalação de escolas estaduais de Ituiutaba]. Levantamento feito via Superintendência Regional de Ensino. Ituiutaba, MG, jun. 2015.

ITUIUTABA. Autorização de Funcionamento da Escola Municipal de 1º e 2º grau Machado de Assis. Portaria 78/69. Publicada no Minas Gerais no dia 8 de março de 1969.

LEFÈBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo horizonte: UFMG, 1999.

MINAS GERAIS. Decreto nº. 2.327 cria o Grupo Escolar de Villa Platina pelo vice-presidente Júlio Bueno Brandão e por Estevão Leite de Magalhães Pinto, no dia 22 de dezembro de 1908, e publicado no Minas Geraes - Orgão Official dos Poderes do Estado, Belo Horizonte, ano XVII, n. 304, p. 1, 23 dez.1908.

MORAES, Vera Cruz Oliveira. Tudo pela pátria: a história do instituto “Marden”. 2004.150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2004.

MOURA SOBRINHO. Batista Vicente. Massificação do Ensino em Uberlândia MG: a fala da imprensa (1940 – 1960). 2002, 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2002.

NOSELLA, Paolo; BUFFA, Ester. A pesquisa sobre instituições escolares. Videoconferência promovida pelo HISTEDBR – 20 anos, UNICAMP, em 24/11/2005, interligada com o II Colóquio sobre Pesquisa e Instituições Escolares UNINOVE, São Paulo. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/artigos_pdf/Paolo_Nosella_artigo.pdf. Acesso em: 5 jan. 2016

PORTES, Écio Antônio; SANTOS, Apolliane Xavier Moreira dos. Aspectos da educação e do êxodo rural em Minas Gerais (1950–1970). Caderno de História da Educação, v. 11, n. 2, p. 409-15, jul./dez. 2012.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil. 33. ed. Petrópolis: Vozes, 1978.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 2 ed. rev. e ampl. Campinas: Autores Associados, 2007, p. 303-50.

SILVA, Dalva Maria de Oliveira Memória: lembrança e esquecimento. Trabalhadores nordestinos no Pontal do Triângulo Mineiro (décadas de 1950 e 1960). 1997. 150.f Dissertação (Mestrado em História Social) - Programa de Pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1997.

SILVA, Suely Braga. 50 anos em 5: a odisséia desenvolvimentista do Plano de Metas. Disponível em: http://www.cpdoc.fgv.br/nav_jk/htm/o_brasil_de_jk/50_anos_em_5_o_plano_de_metas.asp. Acesso em: 30 out. 2015.

SILVEIRA, Daiane de Lima Soares. Migrantes nordestinas e escolarização no Pontal Mineiro (1950 a 1960): desafios, resistências, embates e conquistas. 2012. 148.f Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.

SKIDMORE, Thomas Elliot. Brasil: de Getúlio Vargas a Castelo Branco, 1930–1964. 14. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

TEIXEIRA, Anísio. A Educação não é privilégio. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v.6, n.63, p.3-31, jul./set. 1956.

FOLHA DE ITUIUTABA. Fontes Esteve ameaçado de paralisação o Grupo Ildefonso Mascarenhas. Ituiutaba, MG, 09/02/1957.

DIB, Fued José. Arquivo de mp3 (120 minutos). Luciene Bezerra. Ituiutaba, MG, 12 ago. 2015. Entrevista concedida a Luciene Bezerra na residência do entrevistado.

ITUIUTABA. Câmara Municipal de Ituiutaba. Ata da 11ª sessão da 3ª reunião ordinária da Câmara Municipal de Ituiutaba, realizada no dia 16 nov.1955. Livro [s.n.], [n.p.]

MOUKACHAR, Nagib Bitar. 1 fita cassete (60 min.). Valéria Aparecida. Ituiutaba, MG, 4 de fev. 2009. Entrevista concedida a Valéria Aparecida na residência da entrevistada.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

BEZERRA, L. T. de S.; RIBEIRO, B. de O. L.; ARAUJO, J. C. S. Expansão educacional no Sudeste e migração em Minas Gerais: impactos na alfabetização da população de Ituiutaba (1956-1971). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 191–213, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i71.8645283. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645283. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos