A possibilidade democrática das políticas educacionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i2.8645425

Palavras-chave:

Educação. Cidadania. Participação. Política pública.

Resumo

Este trabalho aborda a temática da instituição e da efetivação da educação compreendida como uma política pública de caráter social, através da participação dos indivíduos e da sociedade nos diferentes espaços públicos articuladores desta ação. Uma elaboração sustentada na pesquisa bibliográfica e documental com um olhar direcionado à educação de caráter republicano, a qual intenta debater e afirmar a participação do conjunto das pessoas nos espaços públicos democráticos, com vistas à efetivação de um direto da cidadania. Defende-se uma educação de caráter público, universal, gratuita e laica, instituída pelos mecanismos democráticos e republicanos, pela participação direta e indireta dos cidadãos e cidadãs. A participação na formulação do currículo escolar, independentemente do nível de educação, democratiza a escola como lócus formativo e o seu currículo. Um currículo democrático contribui na formação e educação democrática e também para uma sociedade democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário José Puhl, Universidade Regional do Noroeste

Doutor em Educação nas Ciências (UNIJUI). Professor Substituto na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Cerro Largo, RS e Professor nas Faculdades Integradas Machado de Assis – FEMA, Santa Rosa, RS

Alexandre José Krul, Instituto Federal Farroupilha

Mestre em Educação nas Ciências. Doutorando em Educação nas Ciências (UNIJUI). Professor no Instituto Federal Farroupilha, Campus Alegrete, RS

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 6. ed. Tradução Alfredo Bosi e Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.

AZEVEDO, Janete Maria Lins de. A educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 1997.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Tradução Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia. Tradução Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: 1988. 18. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, 2002. Série textos básicos, n. 27.

BRASIL. Lei Complementar n.º 101, de 4 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp101.htm >. Acesso em: 3 jun. 2014.

BRASIL. Lei n.º 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes de bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.senado.gov.br/legbras >. Acesso em: 3 jun. 2014.

BRASIL. Lei n.º 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_ 2001 /l10257.htm >. Acesso em: 3 jun. 2014.

CORRÊA, Darcísio. A construção da cidadania: reflexões histórico-políticas. Ijuí: UNIJUI, 1999. Coleção ciências sociais.

CORRÊA, Darcísio. Estado, cidadania e espaço público: as contradições da trajetória humana. Ijuí: UNIJUI, 2010. Coleção direito, política e cidadania, n. 22.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo. São Paulo: Martin Claret, 2002. Coleção, A obra prima de cada autor.

MAAMARI, Adriana Mattar. A fundamentação filosófica da escola republicana. Contexto & Educação, ano 24, n. 82, p. 59-81, jul./dez. 2009. Disponível em: < https://www.revistas .unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/viewFile/1012/767 >. Acesso em: 19 maio 2014.

MACHADO, Nílson José. Ensaios transversais: cidadania e educação. São Paulo: Escrituras, 1997.

MARQUES, Mário Osório. Aprendizagem na mediação social do aprendido e da docência. Ijuí: UNIJUI, 2000.

OCKHAM, Guilherme de. Brevilóquio sobre o principado tirânico. Tradução Luiz Alberto de Boni. Petrópolis: Vozes, 1988. Coleção clássicos do pensamento político.

OCKHAM, Guilherme de. Obras políticas. Tradução José Antônio de C. R. de Souza. Porto Alegre: EdiPUCRS, 1999.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. São Paulo: Ática, 2004.

ROUSSEAU, Jean-Jaques. A origem da desigualdade entre os homens. Tradução Ciro Mioranza. São Paulo: Lafonte, 2012. Coleção Grandes clássicos da filosofia.

ROUSSEAU, Jean-Jaques. O contrato social. Tradução Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2013. Coleção L&PM POCKET, v. 631.

SCHIO, Sônia Maria. Hannah Arendt: história e liberdade - da ação à reflexão. Caxias do Sul: EDUSC, 2006.

TEIXEIRA, Elenaldo. Sociedade civil e participação cidadã no poder local. 1998. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Inovações e projeto político-pedagógico: Uma relação regulatória ou emancipatória? Caderno Cedes, Campinas, v. 23, n. 61, p. 267-281, dez. 2003. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v23n61/a02v2361.pdf. >. Acesso em: 20 maio 2014.

WEFFORT, Francisco. Por que democracia? São Paulo: Brasiliense, 1985.

Downloads

Publicado

2017-12-13

Como Citar

PUHL, M. J.; KRUL, A. J. A possibilidade democrática das políticas educacionais. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 3, p. 968–981, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i2.8645425. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645425. Acesso em: 16 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos