Reflexão ou inflexão? A formação de professores no brasil (2000-2010)

Autores

  • Hellen Jaqueline Marques Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Claudia Barcelos de Moura Abreu Universidade Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8645822

Palavras-chave:

Formação de professores. Ensino reflexivo. Base de conhecimentos para o ensino.

Resumo

O objetivo da pesquisa é apontar o impacto da formação prática reflexiva na produção de conhecimentos da área de formação de professores, a partir dos trabalhos apresentados e publicados pela Associação Nacional de Pós-Graduação em Educação (ANPED) no Grupo de Trabalho (GT) Formação de Professores, nos anos 2000 a 2010. Os resultados permitiram-nos perceber na produção de conhecimentos em educação/formação de professores no País uma ampla representação das proposições para a prática-reflexiva, definida pelo autor Donald Schön. Os textos indicam certas premissas fundamentais para o direcionamento das políticas educacionais, currículos e cursos de formação, baseadas nas críticas à ciência e à transmissão de conhecimentos científicos em favor da formação pela pesquisa da prática cotidiana e troca de experiências através da reflexão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hellen Jaqueline Marques, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professora na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus do Pantanal. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Formação Docente e Educação (GEPEFE). Doutoranda em Educação Escolar na Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquista Filho" (UNESP), Campus de Araraquara.

Claudia Barcelos de Moura Abreu, Universidade Federal de São Paulo

Professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIFESP. Doutora em Educação.

Referências

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm. Acesso em: 27 abr. 2016.

BRZEZINSKI, Iria; GARRIDO, Elsa. Análise dos trabalhos do GT formação de professores: o que revelam as pesquisas do período 1992-1998. Revista Brasileira de Educação, Campinas, SP, n. 18, p. 82-100, set./dez. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n18/n18a08.pdf. Acesso em: 20 maio 2017.

DUARTE, Newton. Conhecimento tácito e conhecimento escolar na formação do professor (por que Donald Schön não entendeu Luria). Educação & Sociedade, v.24, n.83, p.601-625, ago. 2003a. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v24n83/a15v2483.pdf. Acesso em: 20 maio 2017.

DUARTE, Newton. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em Filosofia da Educação. Campinas: Autores Associados, 2003b.

DUARTE, Newton. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 4. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006. (Col. educação contemporânea)

FACCI, Marilda. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor? Campinas: Autores Associados, 2004.

KEMMIS, Stephen; WILKINSON, Mervyn. A pesquisa-ação participativa e o estudo da prática. In: PEREIRA, Júlio Emílio Diniz; ZEICHNER, Kenneth (orgs.). A pesquisa na formação e no trabalho docente.1ª reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2008, p. 43-66.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1976.

MÉSZÁROS, István. A teoria da alienação em Marx. São Paulo: Boitempo, 2006.

MORAES, Maria Célia M.; TORRIGLIA, Patrícia L. Sentidos do ser docente e da construção de seu conhecimento. In: MORAES, Maria Célia M. (Org.) Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003, p. 45-60.

PEREIRA, Júlio Emílio Diniz. A pesquisa dos educadores como estratégia para construção de modelos críticos de formação docente. In: PEREIRA, Júlio Emílio Diniz e ZEICHNER, Kenneth (Orgs.). A pesquisa na formação e no trabalho docente.1ª reimp, Belo Horizonte: Autêntica, 2008, p. 11-42.

PERRENOUD, Philippe. A Prática Reflexiva no Ofício de Professor: Profissionalização e Razão Pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 35. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

SCHÖN, Donald A. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

SCHÖN, Donald A. Formar professores como profissionais reflexivos.In: NÓVOA, Antonio(org.). Os professores e a sua formação.Lisboa: Dom Quixote, 1995, p. 77-91.

TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, Belo Horizonte, n. 13, p. 5-24, 2000. Disponível em: http://anped.tempsite.ws/novo_portal/rbe/rbedigital/RBDE13/RBDE13_05_MAURICE_TARDIF.pdf. Acesso em: 20 maio 2017.

WORLD BANK. Education Strategy 2020. Washington, DC: World Bank, 2011.

YOUNG, Michael. Para que servem as escolas? Educação & Sociedade, vol. 28, n. 101, p. 1287-1302, set./dez. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v28n101/a0228101.pdf. Acesso em: 20 maio 2017.

ZEICHNER, Kenneth M. A pesquisa-ação e a formação docente voltada para a justiça social: um estudo de caso dos Estados Unidos. In: PEREIRA, Júlio Emílio Diniz; ZEICHNER, Kenneth M. (Orgs.). A pesquisa na formação e no trabalho docente. 1.reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2008, p. 67-93.

ZEICHNER, Kenneth M. Novos caminhos para o practicum: uma perspectiva para os anos 90. In: NÓVOA, Antonio (org.). Os professores e a sua formação.Lisboa: Dom Quixote, 1995, pp. 115-138.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

MARQUES, H. J.; ABREU, C. B. de M. Reflexão ou inflexão? A formação de professores no brasil (2000-2010). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 334–359, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i71.8645822. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645822. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos