Talvez vos embarace o numero de meninos pobres que deve admittir cada aula: instrução pública primária - Província da Parahyba do Norte - 1849-1889

Autores

  • Lays Regina Batista de Macena dos Santos Universidade Federal da Paraíba
  • Mauricéia Ananias Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8645825

Palavras-chave:

História da escola pública brasileira. Aulas públicas de primeiras letras. Escolarização da população pobre.

Resumo

Este artigo tem como objetivo indicara presença de alunos pobres nas aulas públicas primárias da Província da Parahyba do Norte no período de 1849 a 1889. O desenvolvimento do argumento central demonstrou a frequência da população pobre nas aulas tendo como mediação a legislação, os requerimentos, ofícios e correspondências trocados entre as autoridades e os professores, bem como os relatórios de presidentes da Província e dos diretores da instrução. A documentação encontrada foi ponderada como oficial e muito próxima do movimento da legislação. Para análise, a pesquisa histórica foi utilizada considerando a produção social de evidências históricas a partir dos conflitos que emergiram do intenso debate e das atividades administrativas na fundação da escola primária brasileira. Tendo como base o registro desta materialidade cotejamos com os jornais da época, a bibliografia produzida acerca da história, da educação e da história da educação na Paraíba. Pretendeu-se que a documentação confrontada com a defesa da escola como uma produção social de determinados sujeitos em épocas e intencionalidades específicas definisse a categoria de escolarização como mostra de uma fundamentação teórica e metodológica. O recorte temporal considerou os dois primeiros regulamentos que organizaram a instrução pública promulgados em 1849. O ano de 1889 por ter marcado a política e a sociedade com a mudança do regime político. Para o entendimento do contexto da instrução, tratamos da organização social da Província e do ideal instrucional pensado e difundido pelos intelectuais e gestores da época. Concluímos, a partir de quatro casos analisados, que a presença de alunos pobres nas aulas primárias estava relacionada à defesa de instruir e civilizar a população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lays Regina Batista de Macena dos Santos, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda no Programa de Pós graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba. Possui mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba. Graduada em Pedagogia também pela Universidade Federal da Paraíba. Pesquisadora da história da educação brasileira e da Paraíba no século XIX e Educação e relações etnicorraciais. Participa dos Grupos de pesquisa: História da Educação no Nordeste Oitocentista- GHENO e Estudos e Pesquisas História da Educação da Paraíba- HISTEDBR/PB, ambos radicados na Universidade Federal da Paraíba e registrados no Diretório de Grupos do CNPQ. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente com temas relacionados à história da educação na Paraíba Imperial, em especial, pesquisando processos de escolarização e a institucionalização da escola pública primária no Brasil.

Mauricéia Ananias, Universidade Federal da Paraíba

Atualmente é professora Associada do Centro de Educação e membro do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba. Possui graduação em Licenciatura Plena em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCC - (1994), mestrado em História da Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP- (2000) e doutorado em História da Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP- (2005). Compõe a Comissão Editorial da Revista HISTEDBR On-line UNICAMP/SP. Integra os Grupos de pesquisa: História da Educação no Nordeste Oitocentista- GHENO e Estudos e Pesquisas História da Educação da Paraíba- HISTEDBR/PB, ambos radicados na Universidade Federal da Paraíba e registrados no Diretório de Grupos do CNPQ. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente com temas relacionados à história da educação na Paraíba Imperial, em especial, pesquisando processos de escolarização e a institucionalização da escola pública primária.

Referências

ALMEIDA, Horácio de. Brejo de Areia. João Pessoa, Editora Universitária, UFPB, 1980.

ANANIAS, Mauricéia. A organização da instrução pública primária: província da Parahyba do Norte (1849 – 1864). In: Anais do VIII Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. São Luís, MA. 2010.

ANANIAS, Mauricéia. As escolas para pobres: instrução, trabalho e civilização: Campinas – SP, 1860-1889. João Pessoa, Editora da UFPB, 2015.

ARAÚJO, Marta Maria de. A produção da história da educação das regiões Nordeste e Norte. O Estado do Conhecimento (1982-2003). In: Pesquisa em história da educação no Brasil. GONDRA, José Gonçalves (org.); VIEIRA, Carlos Eduardo... [et al.]. Rio de Janeiro: DP&A, 2005, p. 289-311.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Tradução de Dora Flaksman. Traduzido da terceira edição de 1975. Primeira edição de 1973. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1978.

BARROS, Surya Aaronovih Pombo de. (Org.). O Estado da arte da pesquisa em história da educação da população negra no Brasil [recurso eletrônico]. In: CURY, Cláudia Engler; ANANIAS, Mauricéia; PINHEIRO, Antonio Carlos F. Coleção Documentos da Educação Brasileira. Vitória, ES: SBHE/Virtual Livros, 2015.

CEDEPLAR/UFMG: Pop-72. (Censo de 1872 digitalizado e corrigido). Disponível em http://www.nphed.cedeplar.ufmg.br/pop72/index.html Acesso em: 25/04/2016.

CURY, Cláudia Engler, ANANIAS, Mauricéia. A escola pública de instrução primária brasileira. Província da Parahyba do Norte: 1822-1849. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, nº 54, p. 115-127, dez 2013.

FARIA FILHO, Luciano Mendes. Instrução elementar no século XIX. In: LOPES, Eliane Marta T; FARIA FILHO, Luciano M. de; VEIGA, Cyntia G. 500 anos de educação no Brasil. 5. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. O processo de escolarização em Minas Gerais: questões téorico-metodológicas e perspectivas de análises. In: VEIGA, Cynthia Greive; FONSECA, Thais Nivia de Lima e (org.). História e historiografia da educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003, p. 77-97.

FONTES para a história da educação da educação da Paraíba Imperial [recurso eletrônico]: documentos diversos (1821-1860). ANANIAS, Mauricéia; CURY, Cláudia Engler; PINHEIRO, Antonio Carlos Ferreira. Coleção Documentos da Educação Brasileira. Vitória, ES: SBHE/Virtual Livros, 2015.

GAUDÊNCIO, Francisco de Sales. Joaquim da Silva: um empresário ilustrado do Império. Bauru, SP: Edusc, 2007.

LEIS E REGULAMENTOS DA INSTRUÇÃO PÚBLICA NO PERÍODO IMPERIAL. PINHEIRO. Antonio Carlos Ferreira; CURY, Cláudia Engler (org.). Coleção Documentos da Educação Brasileira [recurso eletrônico]- Dados eletrônicos- Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2004.

LIMA, Guaraciane Mendonça de. O Collégio de Educandos Artífices (1865-1874): a infância desvalida da Parahyba do Norte. Dissertação. (Mestrado em História). PPGH-UFPB, 2008.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. Ler e escrever no mundo rural do antigo regime. Um contributo para a história da alfabetização e da escolarização em Portugal. (Tese doutorado). Braga: Universidade do Minho, Instituto de Educação, 1994.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. Alquimias da Escrita: Alfabetização, história, desenvolvimento no mundo ocidental do antigo regime. Bragança Paulista: Editora da Universidade São Francisco, 2001.

MARIANO, Nayana Rodrigues Cordeiro. Educação pela higiene: a invenção de um modelo hígido de educação escolar primária na Parahyba do Norte (1849-1886). Tese. (Doutorado em Educação). PPGE-UFPB, 2015.

NÓVOA, António. A produção do modelo escolar e a profissionalização da actividade docente. Análise Psicológica (1987), 3 (v): 413-440. Disponível em: http:// www.repositorio.ispa.pt/bitstream/10400.12/2200/1/1987_3_413.pdf. Acesso em: 07/11/2014.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Jornal Correio Noticioso, 17 de agosto de 1872. Disponível em: http://www.cchla.ufpb.br/jornaisefolhetins. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Jornal da Parahyba, ano 21, nº 2220, 01 de março de 1882.

PARAHYBA DO NORTE, Província. O Publicador, ano 7, nº 1752, 12 de julho de 1868. Disponível em: http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Documentos Diversos da Instrução. Arquivo do Estado da Paraíba Waldemar Bispo Duarte, João Pessoa. 1861.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Documentos Diversos da Instrução. Arquivo do Estado da Paraíba Waldemar Bispo Duarte, João Pessoa. 1866.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Documentos Diversos da Instrução. Arquivo do Estado da Paraíba Waldemar Bispo Duarte, João Pessoa. 1882.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório apresentado a Assembléa Legislativa Provincial da Parahyba do Norte pelo Excelentíssimo Presidente da Província o Dr. Antonio Coelho de Sá e Albuquerque em 2 de Agosto de 1851. Disponível em: http://www.crl.edu/pt-br/brazil/about-project. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório apresentado á Assembléa Provincial da Parahyba do Norte pelo excelentíssimo Vice-Presidente da Província o Dr. Flavio Clementino da Silva Freire na abertura da sessão ordinária em 5 de Agosto de 1853. Disponível em: http://www.crl.edu/pt-br/brazil/about-project. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório apresentado a Assemblea Legislativa da Província da Parahyba do Norte em 15 de Junho de 1860 pelo presidente, Dr. Luiz Antonio da Silva Nunes. Parahyba, Typ. de José Rodrigues da Costa, 1860. Disponível em: http://www.crl.edu/pt-br/brazil/about-project. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Exposição com que o Exm.Sr. Dr. Simbal Odorico de Moura passou a administração da Província da Parahyba ao Exm. Sr.Dr. Felisardo Toscano de Britto em 2.º Julho de 1865. Disponível em: http://www.crl.edu/pt-br/brazil/about-project. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório apresentado a Assembléa Legislativa Provincial da Parahyba do Norte pelo 2º Vice-Presidente, Exm. Sr. Barão de Maraú em 5 de Agosto de 1867.Parahyba, Typ. Liberal Parahybana, 1867. Disponível em: http://www.crl.edu/pt-br/brazil/about-project. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório com que o Exm.º Sr. Presidente, Dr. Américo Brasiliense de Almeida Mello, passou a administração da Província da Parahyba do Norte ao Exm. Sr. Barão de Maraú, 2.º Vice-Presidente, em 22 de Abril de 1867. Disponível em: http://www.crl.edu/pt-br/brazil/about-project. Acesso em: 25/04/2016.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório apresentado á Assembléa Legislativa Provincial da Parahyba do Norte, no dia 2 de Outubro de 1869, pelo Exm. Presidente Dr. Venancio José de Oliveira Lisbôa. Disponível em: http://www.crl.edu/pt-br/brazil/about-project. Acesso em: 25/04/2016.

PETITAT, ANDRÉ. Produção da escola. Produção da sociedade: análise sócio-histórica de alguns momentos decisivos da evolução escolar no ocidente. Tradução de Eunice Gruman. Porto Alegre: Artes médicas, 1994.

PINHEIRO, Antonio Carlos Ferreira. Da era das cadeiras isoladas à era dos grupos escolares na Paraíba. Campinas, SP: Autores Associados, São Paulo: Universidade São Francisco, 2002. – (Coleção educação contemporânea).

SÁ, Ariane Norma de Menezes. Escravos, libertos e insurgentes: Paraíba (1850-1888). 2 ed. João Pessoa: UFPB, 2005.

SILVA, Adriano Soares da. O processo de escolarização na Província da Parahyba do Norte: aulas de primeiras letras (1834-1849). Dissertação de Mestrado. PPGE-UFPB. 2013, p. 36

SOUSA, Ione Celeste Jesus de. Escolas ao povo: experiências de escolarização de pobres na Bahia – 1870 a 1890. Tese (Doutorado em História Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2006.

THOMPSON, Edward Palmer. A história vista de baixo. As peculiaridades dos Ingleses e outros artigos. NEGRO, Antonio Luigi; SILVA, Sérgio (org.). Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2001, p.185-201.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1981.

VIDAL, Diana Gonçalves; FARIA FILHO, Luciano Mendes de. As lentes da história: Estudos de historiografia da educação no Brasil. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2005.

WARDE, Miriam Jorge. Anotações para uma historiografia da educação brasileira. Em Aberto. Brasília, ano 3, n.23, set/out. 1984, pp. 1-11.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

SANTOS, L. R. B. de M. dos; ANANIAS, M. Talvez vos embarace o numero de meninos pobres que deve admittir cada aula: instrução pública primária - Província da Parahyba do Norte - 1849-1889. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 117–138, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i71.8645825. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645825. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)