O papel do professor de primeiras letras no manual de pedagogia de Jean Baptiste Daligault: reflexões sobre a formação de virtudes e valores

  • Olivia Rochadel Universidade do Sul de Santa Catarina.
  • Leonete Luzia Schmidt Universidade do Sul de Santa Catarina.
Palavras-chave: Manual de pedagogia. Jean Baptiste Daligault. Papel do professor. História da educação catarinense.

Resumo

Este artigo objetiva identificar o papel do professor, refletindo sobre ele, a partir das definições contidas no manual Cours Pratique de Pédagogie, do francês Jean Baptiste Daligault. A obra analisada foi a segunda edição da tradução realizada na província de Santa Catarina. Este manual foi distribuído aos inspetores e aos professores de instrução pública elementar pelo governo provincial, na segunda metade do século XIX. Considerando que esta atitude do governo concebe o manual como uma obra relevante para a formação dos professores da província, e também que Santa Catarina, ainda, conta com poucas pesquisas sobre a educação escolar no século XIX, a compreensão do papel do professor definido por Daligault pode contribuir para ampliar o conhecimento dessa história. Assim, partindo do entendimento de que a educação é resultado de um processo histórico, das relações que os homens mantêm entre si e com a natureza, constata-se que o papel do professor descrito por Daligault é o de formar as futuras gerações dentro dos ideais da sociedade moderna de ordem burguesa, caracterizada como civilizada e coerente com o projeto de Estado nacional brasileiro, em processo de construção naquele momento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olivia Rochadel, Universidade do Sul de Santa Catarina.

Mestre em Educação e professora de Educação Básica.

Leonete Luzia Schmidt, Universidade do Sul de Santa Catarina.

Doutora em Educação pela PUC/SP e Professora do Programa de Pós Graduação em Educação - Mestrado em Educação da Unisul.

Referências

BASTOS, M. H. C. Manuais escolares franceses no Imperial Colégio de Pedro II (1856 - 1892). Revista História da Educação. ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, v. 12, n. 26, p. 39-58, set./dez. 2008. Disponível em: http//fae.ufpel.edu.br/asphe. Acesso em: 10 fev. 2015.

COSTA, E. V. da. Da monarquia à república: momentos decisivos. 7. ed. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999.

DALIGAULT, J. B. Curso Prático de Pedagogia: destinado aos alumnos das Escolas normaes primarias, Aspirantes ao Magisterio, e aos Professores em exercicio. 2. ed. Santa Catarina: Typografia de Ribeiro & Caminha. 1870. 279p. Disponível em: http://www.bu.ufsc.br/projeto_obras_raras/37894.pdf. Acesso em: 10 jun. 2015.

MATOS, M. B. E. P. Thompson e a tradição de crítica ativa do materialismo histórico. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2012.

MATTOS, I. R. de. O Tempo Saquarema – A formação do Estado Imperial. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1990.

MÉSZÁROS, I. O poder da Ideologia. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 4, n. 10, p. 143-150, 2009.

SCHAFASCHEK, R. Educar para civilizar e instruir para progredir – Análise de artigos divulgados pelos jornais do Desterro na década de 1850. 1997.

Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1997.

SCHMIDT, L. L.; SCHAFASCHEK, R.; SCHARDONG, R. A educação em Santa Catarina no século XIX: as escolas de instrução elementar e secundária e os debates nos jornais da época. Florianópolis: DIOESC, 2012.

SILVA, V. L. G. Os sentidos da formação docente: estudo comparado acerca de sentidos da profissão docente do ensino primário, envolvendo Santa Catarina, São Paulo e Portugal na virada do século XIX para o século XX. Tese (Doutorado em Educação)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

SOUZA, R. F. de; VALDEMARIN, V. T. e; ALMEIDA, J. S. de. O Legado Educacional do Século XIX. Araraquara: UNESP – Faculdade de Ciências e Letras, 1998.

THOMPSON, E. P. A miséria da Teoria ou um planetário de erros (uma crítica ao pensamento de Althusser). Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

TREVISAN, T. A.; PEREIRA, B. C. Manuais de ensino franceses e brasileiros para o ensino da leitura e escrita no Brasil (1851 - 1966). In: CONGRESSO BRASILEIRO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, v. 6, 2011, Vitória: SBHE, 2011. Anais eletrônicos... Disponível em: http://www.docstoc.com/docs/158802165/1219. Acesso em: 20 mar. 2015.

VEIGA, C. G. A escolarização como projeto de civilização. Revista Brasileira de Educação, n. 21, p. 90-103, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n21/n21a07.pdf. Acesso em: 01 dez. 2014.

XAVIER, M. E. S. P. Poder político e educação de elite. 3. ed. São Paulo: Cortez Editora, Autores Associados, 1992.

Publicado
2017-07-13
Como Citar
Rochadel, O., & Schmidt, L. L. (2017). O papel do professor de primeiras letras no manual de pedagogia de Jean Baptiste Daligault: reflexões sobre a formação de virtudes e valores. Revista HISTEDBR On-Line, 17(1), 139-157. https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8645836
Seção
Artigos