A educação escolar e a formação humana em tempos de neoliberalismo: reflexões sobre a formação do professor

  • Leonardo José Pinho Coimbra Universidade Federal do Maranhão
  • Ana Paula Ribeiro de Sousa Universidade Federal do Maranhão
Palavras-chave: Educação. Neoliberalismo. Formação de professores.

Resumo

Analisa-se nesse ensaio a formação humana e, mais especificamente, a formação dos professores no contexto da sociedade capitalista neoliberal. Se a apropriação dos bens materiais e culturais é condição para o completo desenvolvimento humano, observa-se que o processo, cada vez mais intenso, de apropriação desses bens por parte de uma pequena parcela da população, como grave obstáculo para o processo de desenvolvimento e humanização dos homens. Nesse sentido, a análise sobre a formação dos profissionais da educação, os responsáveis pela formação das demais categorias de trabalhadores, é exemplar. O tecnicismo pedagógico e as políticas atuais para formação de professores no Brasil trouxeram uma série de novos desafios que precisam ser enfrentados se quisermos construir uma educação de qualidade socialmente referenciada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo José Pinho Coimbra, Universidade Federal do Maranhão
É professor Assistente da Universidade Federal do maranhão (UFMA). Trabalha na área de Fundamentos da Educação, nos cursos de Ciências Naturais e Ciências Humanas.
Ana Paula Ribeiro de Sousa, Universidade Federal do Maranhão

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora assistente da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).  Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação no Brasil - HISTEDBR (GT- Maranhão). 

Referências

ANDERY, M. A. P. A. et al. Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. 13. ed. Rio de Janeiro: Garamond; São Paulo: Ed. da EDUC, 2004.

BANCO MUNDIAL. Professores excelentes: como melhorar a aprendizagem dos estudantes da América Latina e Caribe. Washington, DC, 2014. Disponível em: < http://www.worldbank.org/content/dam/Worldbank/Highlights%20&%20Features/lac/LC5/Portuguese-excellent-teachers-report.pdf. >. Acesso em: 21 set. 2017.

BRASIL. Lei 9.131, de 24 de novembro de 1995. Altera dispositivos da Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961, e dá outras providências. Disponível em: < https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/108165/lei-9131-95. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CNE/CES no. 266. Referenciais orientadores para os Bacharelados Interdisciplinares e Similares das Universidades Federais. Diário Oficial, Brasília, DF, seção 1, p. 16, 14 out. 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CNE/CES 776/97, de 3 de novembro de 1997. Orientação para as Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação. Brasília, DF, 1997. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/PCNE776_97.pdf. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP no. 01, de 18 de fevereiro de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em:

< http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP no. 01, de 30 de setembro de 1999. Dispõe sobre os Institutos Superiores de Educação, considerados os Art. 62 e 63 da Lei 9.394/96 e o Art. 9º, § 2º, alíneas "c" e "h" da Lei 4.024/61, com a redação dada pela Lei 9.131/95. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp001_99.pdf >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP no. 02, de 18 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP022002.pdf. >. Acesso:20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. O que é o reuni. 25 de março de 2010. Disponível em:

< http://reuni.mec.gov.br/o-que-e-o-reuni. >. Acesso em: 14 abr. 2016.

CAMARGO, A. M. M. de. O princípio da flexibilidade curricular dos cursos de graduação. In: CHAVES, V. L. J.; CABRAL NETO, A.; NASCIMENTO, I. V. (Org.). Políticas de educação superior no Brasil: velhos temas, novos desafios. São Paulo: Xamã, 2009, p. 211-225.

COIMBRA, L. J. P. Educação para o capital: o projeto pedagógico da Fundação Bradesco de São Luís-MA. 2009. 113 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2009.

COIMBRA, L. J. P.; SOUSA, A. P. R. de. As licenciaturas interdisciplinares e o processo de expansão das IFES: implicações para a formação de professores. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, n. 65, p. 141-159, out. 2015.

DUARTE, N. A individualidade para si: contribuição a uma teoria histórico-crítica da formação do indivíduo. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

FONTANA, J. A história dos homens. Bauru, SP: Ed. da EDUSC, 2004.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

FRIGOTTO, G. Os delírios da razão: crise do capital e metamorfose conceitual no campo educacional. In: GENTILI, P. (Org.). Pedagogia da exclusão: o neoliberalismo e a crise da escola pública. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. p. 77-108. (Coleção estudos culturais em educação).

KUENZER, A. Z. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L. (Org.). Capitalismo, trabalho e educação: debates contemporâneos 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2005. p. 77-95.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

MAARS, W. L. À guisa de introdução: adorno e a experiência formativa. In: ADORNO, T. W. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

MARTINS, L. M. Da formação humana em Marx à crítica da pedagogia das competências. IN: DUARTE, N. (Org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. p. 53-74.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

MARX, K. A ideologia alemã. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. (Clássicos).

MARX, K. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2005.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Martin Claret, 2005a.

MARX, K. O capital: crítica da economia política: livro I. 21. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

MELLO, G. N. Magistério de 1º grau: da competência técnica ao compromisso político. 12. ed. São Paulo: Cortez, 1998.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

NUNES, I. de. M. L. Formação docente e licenciaturas interdisciplinares: o caminho percorrido pela Universidade Federal do Maranhão. Portugal: Ed. da FLUP, 2014.

SANFELICE, J. L. A formação docente e os desafios da profissão. Avesso do Avesso: Revista de Educação e Cultura, Araçatuba, v. 8, n. 8, nov. 2010.

SAVIANI, D; DUARTE, N. A Formação humana na perspectiva histórico-ontológica. In: SAVIANI, D.; DUARTE, N. Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar Campinas, SP: Autores Associados, 2012. p. 13-36. (Coleção polêmicas do nosso tempo).

SAVIANI, D. Educação socialista, pedagogia histórico-crítica e os desafios da sociedade de classes. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D. (Org.). Marxismo e educação: debates contemporâneos. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2005b.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 39. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007. (Coleção polêmicas do nosso tempo, v. 5).

SAVIANI, D. História da escola pública no Brasil: questões para pesquisa. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; NASCIMENTO, M. I. M. (Org.). A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2005. (Coleção memória da educação).

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005a. (Coleção educação contemporânea).

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO. UFMA. Matriz curricular do curso de licenciatura em ciências humanas com ênfase em sociologia. 2017. 1 quadro. (Adaptado pelos autores).

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO. UFMA. Pró-Reitoria de ensino. Departamento de Desenvolvimento do Ensino de Graduação. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Humanas/Sociologia – Campus Bacabal. São Luís, 2013.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da Práxis. 4. ed. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1977.

Publicado
2017-12-13
Como Citar
Coimbra, L. J. P., & Sousa, A. P. R. de. (2017). A educação escolar e a formação humana em tempos de neoliberalismo: reflexões sobre a formação do professor. Revista HISTEDBR On-Line, 17(3), 861-885. https://doi.org/10.20396/rho.v17i3.8645853
Seção
Artigos