Banner Portal
A educação escolar e a formação humana em tempos de neoliberalismo: reflexões sobre a formação do professor
PDF

Palavras-chave

Educação. Neoliberalismo. Formação de professores.

Como Citar

COIMBRA, L. J. P.; SOUSA, A. P. R. de. A educação escolar e a formação humana em tempos de neoliberalismo: reflexões sobre a formação do professor. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 3, p. 861–885, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i3.8645853. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645853. Acesso em: 1 mar. 2024.

Resumo

Analisa-se nesse ensaio a formação humana e, mais especificamente, a formação dos professores no contexto da sociedade capitalista neoliberal. Se a apropriação dos bens materiais e culturais é condição para o completo desenvolvimento humano, observa-se que o processo, cada vez mais intenso, de apropriação desses bens por parte de uma pequena parcela da população, como grave obstáculo para o processo de desenvolvimento e humanização dos homens. Nesse sentido, a análise sobre a formação dos profissionais da educação, os responsáveis pela formação das demais categorias de trabalhadores, é exemplar. O tecnicismo pedagógico e as políticas atuais para formação de professores no Brasil trouxeram uma série de novos desafios que precisam ser enfrentados se quisermos construir uma educação de qualidade socialmente referenciada.

https://doi.org/10.20396/rho.v17i3.8645853
PDF

Referências

ANDERY, M. A. P. A. et al. Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. 13. ed. Rio de Janeiro: Garamond; São Paulo: Ed. da EDUC, 2004.

BANCO MUNDIAL. Professores excelentes: como melhorar a aprendizagem dos estudantes da América Latina e Caribe. Washington, DC, 2014. Disponível em: < http://www.worldbank.org/content/dam/Worldbank/Highlights%20&%20Features/lac/LC5/Portuguese-excellent-teachers-report.pdf. >. Acesso em: 21 set. 2017.

BRASIL. Lei 9.131, de 24 de novembro de 1995. Altera dispositivos da Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961, e dá outras providências. Disponível em: < https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/108165/lei-9131-95. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CNE/CES no. 266. Referenciais orientadores para os Bacharelados Interdisciplinares e Similares das Universidades Federais. Diário Oficial, Brasília, DF, seção 1, p. 16, 14 out. 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CNE/CES 776/97, de 3 de novembro de 1997. Orientação para as Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação. Brasília, DF, 1997. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/PCNE776_97.pdf. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP no. 01, de 18 de fevereiro de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em:

< http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf. >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP no. 01, de 30 de setembro de 1999. Dispõe sobre os Institutos Superiores de Educação, considerados os Art. 62 e 63 da Lei 9.394/96 e o Art. 9º, § 2º, alíneas "c" e "h" da Lei 4.024/61, com a redação dada pela Lei 9.131/95. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp001_99.pdf >. Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP no. 02, de 18 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP022002.pdf. >. Acesso:20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. O que é o reuni. 25 de março de 2010. Disponível em:

< http://reuni.mec.gov.br/o-que-e-o-reuni. >. Acesso em: 14 abr. 2016.

CAMARGO, A. M. M. de. O princípio da flexibilidade curricular dos cursos de graduação. In: CHAVES, V. L. J.; CABRAL NETO, A.; NASCIMENTO, I. V. (Org.). Políticas de educação superior no Brasil: velhos temas, novos desafios. São Paulo: Xamã, 2009, p. 211-225.

COIMBRA, L. J. P. Educação para o capital: o projeto pedagógico da Fundação Bradesco de São Luís-MA. 2009. 113 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2009.

COIMBRA, L. J. P.; SOUSA, A. P. R. de. As licenciaturas interdisciplinares e o processo de expansão das IFES: implicações para a formação de professores. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, n. 65, p. 141-159, out. 2015.

DUARTE, N. A individualidade para si: contribuição a uma teoria histórico-crítica da formação do indivíduo. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

FONTANA, J. A história dos homens. Bauru, SP: Ed. da EDUSC, 2004.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

FRIGOTTO, G. Os delírios da razão: crise do capital e metamorfose conceitual no campo educacional. In: GENTILI, P. (Org.). Pedagogia da exclusão: o neoliberalismo e a crise da escola pública. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. p. 77-108. (Coleção estudos culturais em educação).

KUENZER, A. Z. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L. (Org.). Capitalismo, trabalho e educação: debates contemporâneos 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2005. p. 77-95.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

MAARS, W. L. À guisa de introdução: adorno e a experiência formativa. In: ADORNO, T. W. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

MARTINS, L. M. Da formação humana em Marx à crítica da pedagogia das competências. IN: DUARTE, N. (Org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. p. 53-74.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

MARX, K. A ideologia alemã. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. (Clássicos).

MARX, K. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2005.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Martin Claret, 2005a.

MARX, K. O capital: crítica da economia política: livro I. 21. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

MELLO, G. N. Magistério de 1º grau: da competência técnica ao compromisso político. 12. ed. São Paulo: Cortez, 1998.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

NUNES, I. de. M. L. Formação docente e licenciaturas interdisciplinares: o caminho percorrido pela Universidade Federal do Maranhão. Portugal: Ed. da FLUP, 2014.

SANFELICE, J. L. A formação docente e os desafios da profissão. Avesso do Avesso: Revista de Educação e Cultura, Araçatuba, v. 8, n. 8, nov. 2010.

SAVIANI, D; DUARTE, N. A Formação humana na perspectiva histórico-ontológica. In: SAVIANI, D.; DUARTE, N. Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar Campinas, SP: Autores Associados, 2012. p. 13-36. (Coleção polêmicas do nosso tempo).

SAVIANI, D. Educação socialista, pedagogia histórico-crítica e os desafios da sociedade de classes. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D. (Org.). Marxismo e educação: debates contemporâneos. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2005b.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 39. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007. (Coleção polêmicas do nosso tempo, v. 5).

SAVIANI, D. História da escola pública no Brasil: questões para pesquisa. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; NASCIMENTO, M. I. M. (Org.). A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2005. (Coleção memória da educação).

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005a. (Coleção educação contemporânea).

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO. UFMA. Matriz curricular do curso de licenciatura em ciências humanas com ênfase em sociologia. 2017. 1 quadro. (Adaptado pelos autores).

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO. UFMA. Pró-Reitoria de ensino. Departamento de Desenvolvimento do Ensino de Graduação. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Humanas/Sociologia – Campus Bacabal. São Luís, 2013.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da Práxis. 4. ed. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1977.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.