Banner Portal
A precarização do trabalho, o REUNI e o novo desenvolvimentismo
PDF

Palavras-chave

REUNI. Neodesenvolvimento. Trabalho docente. Precarização. Neoliberalismo.

Como Citar

ANDRADE, Antonia Costa; LUCENA, Carlos; BARLETA, Ilma Andrade. A precarização do trabalho, o REUNI e o novo desenvolvimentismo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 18, n. 1, p. 234–257, 2018. DOI: 10.20396/rho.v18i1.8645868. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645868. Acesso em: 29 maio. 2024.

Resumo

Este artigo ao centralizar-se nos governos FHC e Lula e a ressignificação do neodesenvolvimentismo, tomou o REUNI como referência, em termos educacionais, com o objetivo de realizar um estudo comparativo entre os referidos governos, respaldado nas mudanças no neodesenvolvimento e seus impactos na sociedade e na educação. A pesquisa foi dividida em duas partes: a primeira analisa o governo FHC e os primórdios da implantação do Plano Real. A segunda, por sua vez, debate o governo Lula, demonstrando seus pressupostos, continuidades e rupturas com o governo FHC e uma ênfase final no projeto de expansão do ensino superior público denominado REUNI. Foram pesquisadas fontes primárias manifestas em jornais da época, documentos governamentais e análise do discurso dos principais atores políticos do projeto em questão. O que demonstramos é que o governo Lula não rompeu com a lógica monetarista inerente ao governo FHC, no qual houve expansão do ensino superior privado, manifestando projetos precarizantes do trabalho dos professores. No governo Lula, o processo de interiorização da Universidade pública manifestou a contradição do acesso a alunos no ensino superior, porém em condições também precárias para o desenvolvimento da Ciência e Tecnologia.

https://doi.org/10.20396/rho.v18i1.8645868
PDF

Referências

ANDES, Cadernos. Concepções de universidade no contexto do PDE: universidades de ensino X universidades de pesquisa. Brasília, n. 25, p. 1-41, ago. 2007.

ANDRIOLI, A. I.; SCHMALZ, S. O governo Lula: continuidade da política neoliberal no Brasil? Revista Espaço Acadêmico. n. 62, jul. 2006. Disponível em: < http://www.espacoacademico.com.br/062/62andrioli.htm >. Acesso em: 25 abr. 2012.

BRASIL. Decreto n. 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o programa de apoio a planos de reestruturação e expansão das universidades federais – REUNI. Brasília: Casa Civil. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6096.htm >. Acesso em: 2 ago. 2012.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O modelo estrutural de gerência pública. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 2, mar./abr. 2008.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O novo desenvolvimentismo e a ortodoxia convencional. São Paulo em Perspectiva, v. 20, n. 3, p. 5-24, jul./set. 2006.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O paradoxo da esquerda no Brasil. nov. 2005. Disponível em: < http://www.filolite.com/extranet_filolite/content/arquivos_pdf/dedde912ffe64a9b92774cc6d2ef04aa.pdfBrasil >. Acesso em: 12 mar. 2012.

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. Campinas: Autores Associados, 2003.

GOMES, W. Transformações da política na era da comunicação de massa. São Paulo: Paulus, 2004.

LÉDA, D. B.; MANCEBO, D. REUNI: heteronomia e precarização da Universidade e do trabalho docente. Revista Educação e Realidade, n. 34, 2009.

LIMA, K. Contra-reforma da educação nas universidades federais: o REUNI na UFF, 2009. Disponível em: < http://www.aduff.org.br/especiais/download/20090917_contra-reforma.pdf >. Acesso em: 1 set. 2014.

LIMA, K. Contra-reforma da educação superior em FHC e Lula. São Paulo: Xamã, 2007.

LUCENA, C. Portal Trabalho Educação e Sociedade. Disponível em: < https://portaltrabalho.wordpress.com/producao-cientifica/artigos-cientificos >. Acesso em: 5 maio 2013.

LUCENA, C. Tempos de destruição: educação, trabalho e indústria do petróleo no Brasil. Campinas: Autores Associados; Uberlândia: Ed. da EdUFU, 2004.

MARQUES, A. P. B.; PEREIRA, V. P. Nem esquerdas e nem revolução, o processo de busca do centro. Revista Ágora, Vitória, n. 1, 2005.

MARX, K. 18 Brumário de Luís Bonaparte. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Tradução Regis. Barbosa e Flávio R. Kothe. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988. Livro 1, v. 12.

MELO, A. Avaliação institucional do ensino superior: controle e condução de política educacional, científica e tecnológica. In: NEVES, L. M. W.; SIQUEIRA, Â. (Org.). Educação superior: uma reforma em processo. São Paulo: Xamã, 2006. p. 125-146.

MERCADANTE, A. As bases do novo desenvolvimentismo no Brasil: análise do governo Lula entre 2003 e 2010. 2010. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

MÉSZÁROS, I. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo, 2004.

NEVES, L. M. W. (Org.). Reforma Universitária do governo Lula: reflexões para o debate. São Paulo: Xamã, 2004.

NEVES, L. M. W.; SIQUEIRA, Â. Educação superior: uma reforma em processo. São Paulo: Xamã, 2006.

ROSA, R. Ensino superior: a reforma ditada pela União Européia. 2003. Disponível em: < http://resistir.info/rui/educacao_ameacada_5.html> . Acesso em: 28 jan. 2013.

SILVA JÚNIOR, J. dos. R.; SGUISSARDI, V. Novas faces da educação superior no Brasil. Reformas do estado e mudanças na produção. Bragança Paulista: Ed. da EDUSF, 1999.

VAISMAN, E. A obra de juventude e da maturidade: ruptura ou continuidade? In: BOITO JÚNIOR, A. et al. (Org.). A obra teórica de Marx: atualidade, problemas e interpretações. São Paulo: Xamã, 2000. p. 13-23. v. 1.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.