O lema “aprender a aprender” no ensino de literatura: precisas implicações no processo de formação humana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i3.8645880

Palavras-chave:

Decadência ideológica. Pensamento pós-moderno. Arte literária. Pedagogia histórico-crítica. Ensino de literatura.

Resumo

O trabalho que ora se apresenta presta-se a traçar algumas reflexões acerca da influência do lema “Aprender a aprender” no campo do ensino da Língua Portuguesa e, portanto, de Literatura, e suas implicações para o processo de desenvolvimento humano. O artigo defende o argumento de que tal influência é um dos aspectos característicos das concepções pós-modernas, cuja origem deve ser averiguada nas primeiras manifestações do processo de decadência ideológica da burguesia, no século XIX.  Com base nos pressupostos da pedagogia histórico-crítica, também argumenta que as propostas de ensino pautadas nos princípios do pensamento pós-moderno preconizam a não socialização do saber objetivo e, assim, refletem os instrumentos ideológicos da classe dominante, cujo propósito é esvaziar a educação escolar destinada à maioria da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Quachio Costa, Universidade Estadual Paulista

Possui graduação em Letras e em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e mestrado em Educação Escolar pela mesma instituição. No momento, cursa Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar, sob orientação do Prof. Dr. Newton Duarte, e é integrante do grupo de pesquisa “Estudos Marxistas em Educação”.

UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara – SP – Brasil. 14800-001 – lalaquachio@yahoo.com.br


Referências

ABAURRE, M. L.; PONTARA, M. Fundamentação teórico-metodológica. In: ABAURRE, M. L.; PONTARA, M. Literatura: tempos, leitores e leituras. 2. ed. São Paulo, Moderna, 2010.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. São Paulo: Fapesp, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura (MEC). Parâmetros Curriculares Nacionais + Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos PCN. Brasília: MEC/ Semtec, 2002.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 1999.

CANDIDO, A. Direitos humanos e literatura. In: FESTER, A. C. RIBEIRO. Direitos humanos e... . São Paulo, Brasiliense, 1989.

CANDIDO, A. Literatura e sociedade. 8. ed. São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.

CEREJA, W. R. Ensino de literatura: uma proposta dialógica para o trabalho com literatura. São Paulo: Atual, 2005.

CHAUÍ, M. Vocação política e vocação científica da universidade. Educação Brasileira, Brasília, MEC/CRUB, v. 15, n. 31, 1993.

COTRIM, L. A arma da crítica: política e emancipação humana na Nova Gazeta Renana. In: MARX, K. Nova Gazeta Renana: artigos de Karl Marx. Apresentação e tradução: Lívia Cotrim. São Paulo: EDUC, 2010.

COUTINHO, C. N. Literatura e humanismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1972.

DERISSO, J. L. Construtivismo, pós-modernidade e decadência ideológica. In: DUARTE, N.; MARTINS, L. M. (Org.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

DUARTE, N. A rendição pós-moderna à individualidade alienada e a perspectiva marxista da individualidade livre e universal. In: DUARTE, N. (Org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas: Autores Associados, 2004.

DUARTE, N. Lukács e Saviani: a ontologia do ser social e a pedagogia histórico- crítica. In: HISTEDBR - VIII Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas “História, Sociedade e Educação", 2009, Campinas. Caderno de resumos. Campinas: UNICAMP, 2009. p. 230.

DUARTE, N. Luta de classes, educação e revolução. In: SAVIANI, D.; DUARTE, N. (Org.). Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2012.

DUARTE, N. Vigotski e o “Aprender a Aprender”: críticas às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2006.

FREDERICO, C. Lukács e a defesa do realismo. Revista Cerrados, n. 39, Brasília, v. 24, 2015. p. 108-117.

FREDERICO, C. Marx, Lukács: a arte na perspectiva ontológica. Natal: Editora UFRN, 2005.

HOBSBAWM, E. A era do capital. 21. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

HOBSBAWN, E. A era das revoluções. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

LUKÁCS, G. Arte e sociedade: escritos estéticos 1932-1967. 2. ed. Rio de janeiro: Editora UFRJ, 2011a.

LUKÁCS, G. Correspondência entre Anna Seghers e Georg Lukács. In: LUKÁCS, G. Problemas del realismo. México: Fondo de Cultura Económica, 1966a.

LUKÁCS, G. El asalto a la razón: la trayectoria del irracionalismo desde Schelling hasta Hitler. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 1959.

LUKÁCS, G. Estética: la peculiaridad de lo estético. Barcelona: Grijalbo, 1966b. v. 2.

LUKÁCS, G. Introdução a uma estética marxista: sobre a particularidade como categoria estética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970.

LUKÁCS, G. Marxismo e teoria da literatura. 2 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

LUKÁCS, G. O Romance Histórico. São Paulo: Boitempo, 2011b.

LUKÁCS, G. Realismo crítico hoje. Brasília: Coordenada, 1969.

MARX, K. As lutas de classes na França. São Paulo: Global, 1986.

MARX, K. Nova Gazeta Renana. São Paulo: EDUC, 2010.

PAULO NETTO, J. Posfácio. In: COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

SAVIANI, D.; DUARTE, N. Pedagogia histórico-crítica e a luta de classes na educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1986.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas: Autores Associados, 2008a.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 7. ed. Campinas: Autores Associados, 2000.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 8. ed. Campinas: Autores Associados, 2008b.

TROTSKY, L. Literatura e revolução. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

Downloads

Publicado

2017-12-13

Como Citar

COSTA, L. Q. O lema “aprender a aprender” no ensino de literatura: precisas implicações no processo de formação humana. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 3, p. 940–967, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i3.8645880. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645880. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos