Intelectuais, memória e política

Autores

  • Dermeval Saviani FE/UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i67.8646114

Palavras-chave:

Intelectuais orgânicos. Intelectuais tradicionais. Intelectuais e história. Intelectuais e memória. Intelectuais e política

Resumo

Este artigo aborda a relação entre intelectuais, memória e política começando pelo esclarecimento do conceito de intelectual em sentido amplo e, traçando um esboço histórico da emergência da função intelectual, esclarece o sentido estrito do conceito de intelectual. A partir daí caracteriza o significado político e a condição histórico-social dos intelectuais, mostra a relação entre intelectuais e memória coletiva encaminhando, por fim, a questão da criação de intelectuais orgânicos de um novo tipo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dermeval Saviani, FE/UNICAMP

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1966) e doutorado em Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1971). Em 1986 obteve o título de livre-docente; em 1990 foi aprovado no Concurso Público de Professor Adjunto de História da Educação da UNICAMP; e em 1993 foi aprovado no Concurso Público de Professor Titular de História da Educação da UNICAMP.

Referências

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco (1999). Dicionário de política, 2 vols., 12a ed. Brasília: Editora UnB.

HOBSBAWM, Eric (1994). Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras.

GRAMSCI, Antonio (1968). Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

GRAMSCI, Antonio (1975). Quaderni del carcere (edizione critica dell‟Istituto Gramsci a cura di Valentino Gerratana), 4 vol. Torino: Einaudi.

GRAMSCI, Antonio (1978). Concepção dialética da história, 2a ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

GRISONI, Dominique & MAGGIORI, Robert (1973). Lire Gramsci. Paris: Éditions Universitaires.

HOUAISS, Antônio; VILLAS, Mauro de Salles; FRANCO, Francisco Manoel de Mello (2001). Dicionário HOUAISS da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva.

MARTINS, Wilson (1976-1978). História da inteligência brasileira, 7 vol. São Paulo, Cultrix/Editora da Universidade de São Paulo (nova edição lançada em 2010 pela Editora da Universidade Estadual de Ponta Grossa).

MARX, Karl (1968). O Capital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

SAVIANI, Dermeval (2010a). História das ideias pedagógicas no Brasil, 3a ed. Campinas: Autores Associados.

SAVIANI, Dermeval (2010b). “Sistema Nacional de Educação articulado ao Plano Nacional de Educação”. Revista Brasileira de Educação, v. 15, n. 44, maio/ago. 2010, p. 380-393.

TORRINHA, Francisco (1945). Dicionário latino-português, 3a ed. Porto: Marânus.

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

SAVIANI, D. Intelectuais, memória e política. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 67, p. 141–153, 2016. DOI: 10.20396/rho.v16i67.8646114. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8646114. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: X Jorn HISTEDBR-História da Educação: intelectuais, memória e política