A excelência nos programas de pós-graduação em educação: visão de coordenadores

  • Joyce Wassem Faculdade de Educação - Unicamp
Palavras-chave: Excelência Acadêmica. Programas de Pós-Graduação em Educação. Avaliação CAPES. Condições de Produção Acadêmica

Resumo

A criação de Programas de Pós-Graduação (PPG) stricto sensu no Brasil há 51 anos tem sido fundamental para o crescimento, desenvolvimento e consolidação da pesquisa e qualificação de mestres e doutores no país. A preocupação com a qualidade desses programas, sua expansão e produção tem sido enfatizada na comunidade acadêmica e a principal referência quanto a isso é a avaliação empreendida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), que avalia os programas classificando-os em uma escala de 1 a 7. Nesta escala os conceitos 6 e 7 são exclusivos para programas que ofereçam doutorado com nível de excelência. Esta pesquisa teve como objeto de estudo 8 (oito) Programas de Pós-Graduação em Educação (PPGE) que tiveram conceitos 6 e 7 no triênio 2007-2009. Como objetivo geral procurou conhecer a visão dos coordenadores desses programas sobre o processo desenvolvido para o alcance do nível de excelência, isto é, para ser alcançado os conceitos 6 e 7. Buscou levantar junto aos coordenadores os elementos que contribuíram para a construção da excelência de seus programas. O desenvolvimento da pesquisa se deu por meio de entrevistas realizadas com os coordenadores dos programas pesquisados e pela análise das fichas de avaliação disponibilizadas pela CAPES de cada um deles. Como resultados observou que cada programa possui características e condições de produção distintas, mesmo sendo classificados com conceitos semelhantes. Neste sentido, nem todos os coordenadores demonstraram ter em seus PPGE condições adequadas para a realização de atividades acadêmicas (recursos acadêmicos, estruturais e financeiros). A respeito dos elementos que contribuem para a construção da excelência de seus programas destacaram aspectos como: Padrões de qualidade da própria Instituição de Ensino Superior (IES); Grupos de pesquisa; Linhas de pesquisa bem definidas; Liderança acadêmica nas áreas de especialidades; Gestão do programa; e, Participação ativa do corpo discente. Quanto ao processo avaliativo da CAPES, analisam importante que se avalie a qualidade dos programas, porém, apontam sugestões e contribuições para seu aperfeiçoamento e melhoria, o que envolve o respeito às especificidades da área e dos programas de pós-graduação, particularmente, em educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joyce Wassem, Faculdade de Educação - Unicamp
Pós-doutoranda no Departamento de Educação da Universidade Federal de Viçosa (UFV/MG) com bolsa CAPES. Professora Doutora em RTP na Faculdade de Educação da UNICAMP, no Departamento de Política, Administração e Sistemas Educacionais (DEPASE), na disciplina EL212 - Política Educacional: Organização da Educação Brasileira. Doutora em Educação pela UNICAMP (2014)
Publicado
2016-10-30
Como Citar
Wassem, J. (2016). A excelência nos programas de pós-graduação em educação: visão de coordenadores. Revista HISTEDBR On-Line, 16(68), 394-394. https://doi.org/10.20396/rho.v16i68.8646262
Seção
Resumo