Banner Portal
A legislação educacional paraense e o projeto liberal civilizador: entre discursos e práticas (1841-1870)
PDF

Palavras-chave

Instrução pública. Liberalismo. Província do Grão-Pará.

Como Citar

DUARTE, Dércio Pena; SÁNCHEZ GAMBOA, Silvio. A legislação educacional paraense e o projeto liberal civilizador: entre discursos e práticas (1841-1870). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 69, p. 33–51, 2017. DOI: 10.20396/rho.v16i69.8648232. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8648232. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

Como forma de compreender as relações entre as condições materiais de uma sociedade e os discursos que circulam em seu entorno, este artigo busca analisar parte da legislação educacional produzida no Pará entre os anos de 1841 e 1870, no período do Segundo Reinado. Buscamos confrontar estas leis com discursos nos quais se evidencia a importância da instrução pública como elemento de progresso e civilização de um povo, sustentada como ideia universal e consensual. De fato, tais discursos são marcados pelo ideário liberal predominante entre políticos e intelectuais brasileiros daquele período, entendidos como reflexo da inserção do Pará e do Brasil no contexto do capitalismo internacional e sua busca por se adequar a este novo contexto.

https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8648232
PDF

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ADORNO, Sérgio. Os aprendizes do poder: o bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

BASTOS, Maria Helena Camara. A formação de professores para o ensino mútuo no Brasil: O “Curso Normal para professores de primeiras letras do Barão de Gérando (1839)”. História da Educação. ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas (3): 95-119, abr. 1998.

BATES, Henry Walter. Um naturalista no rio Amazonas. São Paulo/Belo Horizonte, EdUSP/Itatiaia, 1979.

BOTO, Carlota. A escola do homem novo: entre o Iluminismo e a Revolução Francesa. São Paulo: Unesp, 1996.

CASTANHA, André Paulo. Pedagogia da moralidade: a Ordem Civilizatória Imperial. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/artigos_frames/artigo_014.html. Acessado em 11/12/2015, 17h14.

COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. 8. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

Diario do Gram-Pará. Belém, 09 de janeiro de 1860.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador, volume 1: uma história dos costumes. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

HOBSBAWM, Eric J. A era do capital. 15. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

Lei Provincial nº. 203 de 27 de outubro de 1851. Reformando a instrução primária e secundária.

Lei Provincial nº. 348 de 6 de dezembro de 1859. Autoriza o governo da província a reformar a instrução pública.

Lei Provincial nº. 664 de 31 de outubro de 1870. Divide o ensino primário em inferior e superior e dá as providências relativas à reforma da instrução primária.

Lei Provincial nº. 97 de 28 de junho de 1841. Cria o Liceu Paraense e regula a instrução primária e secundária nesta província.

MACHADO, Maria Cristina Gomes. Rui Barbosa – pensamento e ação: uma análise do projeto modernizador para a sociedade brasileira com base na questão educacional. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2002. (Coleção educação contemporânea)

MARX, Karl& ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). São Paulo: Boitempo, 2007.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O tempo Saquarema. São Paulo: HUCITEC; Brasília: INL, 1987.

O Liberal do Pará. Belém, 16 de outubro de 1870.

O Liberal do Pará. Belém, 18 de outubro de 1870.

O Liberal do Pará. Belém, 22 de outubro de 1870.

PENNA, Domingos Soares Ferreira. A Instrução Pública no Pará. O Colombo. Belém, 13 de maio de 1869.

Regulamento para o Liceu Paraense de 8 de novembro de 1851.

SARGES, Maria de Nazaré. Belém: riquezas produzindo a Belle-Époque (1870-1912). Belém: Paka-Tatu, 2000.

WALLACE, Alfred Russel. Viagens pelos rios Amazonas e Negro. São Paulo: Editora da USP, 1979.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.