A literatura de Monteiro Lobato e a escola nova

Autores

  • Ana Aparecida Arguelho de Souza Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8649856

Palavras-chave:

Literatura. Educação. Monteiro Lobato. Escola Nova.

Resumo

Trata este artigo de parte de uma pesquisa sobre duas versões de uma obra de Monteiro Lobato – A Menina do Narizinho Arrebitado e Reinações de Narizinho. O objetivo é investigar em que medida as transformações ocorridas na segunda versão tem relação com o Movimento da Escola Nova e o quanto a obra contribuiu para as transformações pedagógicas preconizadas por ela. Entendendo, por uma questão de método, que toda mudança ocorrida na superestrutura se determina em última instância pelas mudanças estruturais, buscou-se apreender em um primeiro momento no cenário histórico no Brasil, as transformações da literatura enquanto fenômeno superestrutural, no bojo das quais atua Monteiro Lobato. A seguir procurou-se aprender nos fundamentos da Escola Nova os elementos aproximativos à literatura de Lobato que pudessem ter influenciado em sua escrita e a medida dessa influência. A pesquisa conclui que houve sim uma relação com a Escola Nova, mas que as injunções que modificaram a obra são mais amplas do que uma intencionalidade direcionada para atender especificamente os ditames desse movimento pedagógico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Aparecida Arguelho de Souza, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Professora aposentada da UEMS. Doutora em Letras; mestre em Educação.

Referências

AZEVEDO, Carmen Lucia de; CAMARGOS, Márcia; SACCHETTA, Vladimir. Monteiro Lobato: furacão na Botocúndia. São Paulo: SENAC. 1998.

AZEVEDO, Fernando de. A educação e seus problemas. São Paulo: Melhoramentos, 1948.

BARBOSA, Francisco de Assis. Monteiro Lobato e o direito de sonhar. Posfácio ao fac símile da 1ª edição de A menina do narizinho arrebitado. São Paulo, 1982.

BERTOLUCCI, Denise Maria de Paiva. A composição do livro Reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato: consciência de construção literária e aprimoramento da linguagem narrativa. Tese de doutorado. UNESP – Assis, 2005.

BIGNOTO, Cilza. Personagens infantis da obra para adultos e da obra para crianças de Monteiro Lobato: convergências e divergências. Tese de doutorado. UNICAMP, 1999.

CAMARGO, L. A imagem na obra lobatiana. In: LAJOLO, M., CECANTINI, J. L. (Org.) Monteiro Lobato, Livro a livro: obra infantil. São Paulo: Editora UNESP: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

DEWEY, John. Vida e educação. São Paulo: Melhoramentos, 1965.

CARDOSO, Maria Angélica. A literatura de formação e os conteúdos escolares nos escritos de Monteiro Lobato: apontamentos para uma prática pedagógica. Roteiro, Joaçaba, v. 31, n. 1-2, p. 89-122, jan./dez. 2006.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil: história, teoria e análise. 4. ed. São Paulo: Quíron,1987.

LA FONTAINE. Fábulas. Tomo I. São Paulo. Gráfica e Editora Edigraf, s/d.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. Literatura infantil brasileira – história e histórias. 2. ed. São Paulo, Editora Ática, 1985.

MARTHA, Alice Áurea Penteado. Monteiro Lobato e a fábula vestida à nacional, Mimesis, Bauru, v. 20, n. 2, 71-81, 1999.

MENDES, Mariza. B. T. Em busca dos contos perdidos: o significado das funções femininas nos contos de Perrault. São Paulo: Editora UNESP/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2.000.

MONTEIRO LOBATO. Reinações de Narizinho. São Paulo: Círculo do Livro, s/d.

MONTEIRO LOBATO. Fábulas. São Paulo: Editora Brasiliense, 2002.

NUNES, Cassiano. Monteiro Lobato e Anísio Teixeira: o sonho da educação no Brasil. São Paulo: Biblioteca Infantil Monteiro Lobato. 1986.

NETTO, Coelho; BILAC, Olavo. A pátria brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1940. 27ª edição. Disponível em: www.unicamp.br/iel/memoria/ Ensaios/LiteraturaInfantil .

OLAVO BILAC, Poesias infantis, 1904. Disponível em: http://www.brasiliana.usp.br.

PARENTE, Luciane. A linguagem desliteraturizada de Monteiro Lobato em Reinações de Narizinho. Dissertação de Mestrado. UNESP – Campus de Rio Claro, 2012.

ROLIM, Z. Livro das crianças. Boston: C. F. Hammett, 1897. Disponível em: www.unicamp.br/iel/memoria.

SALEM, Nazira. História da literatura infantil. São Paulo: Mestre Jou, 1970.

SANTANA, J. A. Lopes. Monteiro Lobato: ação e literatura no movimento da escola nova no Brasil. Monografia. UEMS, 2011.

SOUZA, Ana A. Arguelho de. Literatura infantil na escola: a leitura em sala de aula. Campinas: Editora Autores Associados, 2010.

SOUZA, Ana A. Arguelho de. A linguagem brasileira de Monteiro Lobato. Revista Philologus. Suplemento: Anais da V JNLFLP. Rio de Janeiro: CiFEFiL, Rio de Janeiro, 2012.

TAMBARA, Elomar; ARRIADA, Eduardo. Civismo e Educação na Primeira República – João Simões Lopes Neto. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, v. 13, n. 27 p. 279-292, Jan/Abr 2009. Disponível em: http//fae.ufpel.edu.br/asphe

TEIXEIRA, Anísio. Carta a Monteiro Lobato, a bordo do Queen Elizabeth, 29 jan. 1947. In: Conversa entre amigos: correspondência escolhida entre Anísio Teixeira e Monteiro Lobato. Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC, 1986. pp. 104-107. Disponível em: http://www.bvanisioteixeira.ufba.br/correspond.htm. Acesso: 01 mar 2017.

VECHIA, A.; LORENZ, K. M. (orgs.). Programa de ensino da escola secundária brasileira: 1850-1951. Curitiba: Ed. do Autor, 1998.

ZILBERMAN Regina. A literatura infantil na escola. 11. ed., São Paulo: Global, 2003.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

SOUZA, A. A. A. de. A literatura de Monteiro Lobato e a escola nova. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 20-41, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i71.8649856. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8649856. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos