Escola nova, instrumentos tradicionais: a produção didática de Manoel Bersgtröm Lourenço Filho em discussão

  • Samira Saad Pulchério Lancillotti Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Manual didático. Escola nova. Lourenço Filho. Série de Leitura Graduada Pedrinho.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo discutir a divergência entre a produção didática de Manoel Bersgtröm Lourenço Filho e sua reflexão sobre educação escolar, alicerçada no ideário escolanovista. Toma por objeto a Série de Leitura Graduada 'Pedrinho' e os Guias do Mestre correspondentes. A análise fundamenta-se nas teorizações marxianas sobre o trabalho e em autores que analisam a escola moderna a partir dessa categoria. Foram consultadas fontes clássicas e historiográficas vinculadas à questão em estudo. Parte-se do reconhecimento de que Comenius propôs a organização ideal para a expansão da escola moderna, quando a equiparou às manufaturas de seu tempo, o que está consubstanciado na obra Didáctica Magna, publicada em 1657. A possibilidade de universalização da escola  assentou-se na sua proposição de livros didáticos, instrumentos prescritivos e homogêneos que permitiram o atendimento coletivo e simultâneo de um grande quantitativo de alunos por um único professor. Apesar de ter estabelecido críticas às práticas educativas uniformes e diretivas da escola tradicional, Lourenço Filho produziu livros didáticos marcados por essas mesmas características. É preciso ter em conta que essa parcela da produção do autor tinha em vista a educação pública, de massa, sobre uma base material que não permite conciliar expansão do ensino com sua individualização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samira Saad Pulchério Lancillotti, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Drª em História e Filosofia da Educação. Professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/UEMS.

Referências

ALVES, G. L. A Produção da Escola Pública Contemporânea. Campinas,SP: Autores Associados, Campo Grande: UFMS, 2001.

ALVES, G. L. O Trabalho Didático na Escola Moderna: formas históricas. Campinas,SP: Autores Associados, 2005.

ALVES, G. L. A Produção da Escola Pública Contemporânea. 4. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

ALVES, G. L. A centralidade do instrumento de trabalho na relação educativa: a escola moderna brasileira nos séculos XIX e XX. In: GONÇALVES NETO, W. et al. (Orgs.) Práticas escolares e processos educativos: currículo, disciplinas e instituições escolares [séculos XIX e XX]. Vitória, ES: EDUFES, 2011.

ALVES, G. L. (Org.) Textos escolares no Brasil: clássico, compêndios e manuais didáticos. Campinas,SP: Autores Associados, 2015.

ANTUNES, M. A. M. A Psicologia no Brasil: leitura histórica sobre sua constituição. São Paulo: EDUC; Unimarco, 1999.

ANTUNES, M. A. M. (Org.) A Psicologia no Brasil – Primeiros ensaios. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2004.

AZEVEDO, F. A educação e seus problemas. 4. ed. São Paulo: Edições Melhoramentos. 1958, t.1, v.8.

AZEVEDO, F. Diálogo de uma vida com a educação. In: Um educador brasileiro: Lourenço Filho; livro jubilar organizado pela Associação Brasileira de Educação. São Paulo: Melhoramentos, 1959.

BERTOLETTI, E.N.M. Lourenço Filho e a alfabetização: um estudo de Cartilha do Povo e da cartilha, Upa, Cavalinho! São Paulo: UNESP, 2006.

COMÉNIO, J. A. Didáctica Magna: tratado da arte universal de ensinar tudo a todos. 4.ed. Lisboa, PT: Calouste Gulbekian, 1996.

DEWEY, J. Democracia e Educação: breve tratado de filosofia da educação. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1952.

DEWEY, J. A escola e a sociedade e a criança e o currículo. Lisboa, PT: Relógio D’água, 2002.

FIGUEIRA, P.F.F. Lourenço Filho e a Escola Nova no Brasil: estudo sobre os Guias do Mestre da série graduada de leitura Pedrinho. Araraquara: 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Unesp/Araraquara.

GANDINI, R.P.C.; RISCAL, S.A. Manoel Bergtröm Lourenço Filho. In: FÁVERO, M.L.A; BRITTO, J.M., (orgs.), Dicionário de Educadores no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ, MEC-INEP, 1999, p. 365-373.

LANCILLOTTI, S. P. A constituição histórica do processo de trabalho docente. Campinas: 2008. Tese (Doutorado em Filosofia e História da Educação) – Unicamp

MASSIMI, M. História da psicologia brasileira: da época colonial até 1934. São Paulo: EPU, 1990.

LOURENÇO FILHO, M.B. Pedrinho. 11. Ed. São Paulo: Melhoramentos, 1961.

LOURENÇO FILHO, M.B. Guia do Mestre para o ensino da leitura. São Paulo: Melhoramentos, 1967 v.1.

LOURENÇO FILHO, M.B. Introdução ao Estudo da Escola Nova. 7. Ed. São Paulo: Melhoramentos, 1961. v.2.

LOURENÇO FILHO, M.B. Testes ABC: para verificação da maturidade necessária à aprendizagem da leitura e escrita. 13a. ed. Brasília: Instituto Nacional de estudos e pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2008.

MARX. K. O Capital – O processo de produção do capital. Livro 1, v. I. 9. ed. São Paulo: DIFEL, 1984.

MARX. K. Teorias da Mais-valia. v. I. São Paulo: Difel, 1980.

MONARCHA, C. (org.). Lourenço Filho: outros aspectos, mesma obra. Mercado de Letras, Campinas, 1997.

MONARCHA, C. Lourenço Filho e a organização da psicologia aplicada à educação. Brasília: INEP, 2001.

MONARCHA, C.; LOURENÇO FILHO, R. (orgs.) Por Lourenço Filho: uma biobibliografia. Brasília: INEP/MEC, 2001.

MONARCHA, C. A Escola Normal da Praça: o lado noturno das luzes. Campinas,SP: Unicamp, 1999.

PENNA, A. G. História da psicologia no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

Publicado
2017-07-13
Como Citar
Lancillotti, S. S. P. (2017). Escola nova, instrumentos tradicionais: a produção didática de Manoel Bersgtröm Lourenço Filho em discussão. Revista HISTEDBR On-Line, 17(1), 77-92. https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8649860
Seção
Artigos