História da institucionalização dos direitos sociais: princípios e conceitos

Autores

  • Margarita Victoria Rodríguez Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8649862

Palavras-chave:

Direitos sociais. Política educacional. Constituições nacionais.

Resumo

O artigo é o resultado da pesquisa que analisa historicamente o conceito e a materialização das políticas sociais na sociedade capitalista na América Latina, mais especificamente as políticas educacionais e o papel do Estado como o seu indutor. As fontes documentais são as Constituições Nacionais promulgadas durante o século XX no México, na Colômbia, na Venezuela e no Brasil. O texto também discorre acerca dos alcances e limites das políticas educacionais como instrumentos de consolidação dos direitos sociais. As definições constitucionais e as políticas educacionais sintetizam as tensões e as lutas sociais travadas nos diferentes momentos históricos, com vistas à efetivação dos direitos humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Margarita Victoria Rodríguez, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Filosofia e História da Educação, professora do Curso de Pedagogia e Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMS-Centro de Ciências Humanas e Sociais, Campo Grande/MS.

Referências

ALEMANHA. Constitución del Imperio (Reich) Alemán de 11 de agosto de 1919. In: Textos Constitucionales españoles y extranjeros. Editorial Athenaeum: Zaragoza, 1930. Disponível em: http://www.unav.es/constitucional/Materiales/Constitucion%20 de%20Weimar%20(1919).pdf. Acesso em: 25 dez. 2015.

ARENAS MONSALVE, Gerardo. El derecho colombiano de la seguridad social. Bogotá: Legis, 2009.

AZEVEDO, Janete M. Lins de. A educação como política pública. Campinas, SP: Autores Associados, 1997. – (Coleção polêmicas de nosso tempo; v. 56).

BIANCHETTI, Lucídio. Modelo Neoliberal e Políticas Educacionais. 3. ed. São Paulo:Cortez, 2001.

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQINO, Gianfranco. Dicionário de Política. 5. ed. Brasília: Editora da Universidade de Brasília: São Paulo: Imprensa Oficial/Editora, 2000.

BOBBIO, Norberto. O conceito de Sociedade Civil. Rio de Janeiro: Editora Geral, 1982.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil, de 16 de julho de 1934. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ Constitui%C3%A7ao34.htm. Acesso em: 2 out, 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ constitui%C3%A7ao.htm. Acesso em: 25 jan. 2016.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 1967. Disponível em: http://wwwplanaltogovbr/ccivil_03/constituicao/Constitui%C3%A7ao67.htm.. Acesso em: 25 jan. 2016.

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 18 de setembro de 1946. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Constitui%C3%A7ao46.htm. Acesso em: 2 out, 2015.

CHAUÍ, Marilena. Convite a Filosofia, Editora Ática, 2003

COLOMBIA. Constitución Política de Colombia 1936. Disponível em: < http://banrepcultural.org/sites/default/files/ACTO_LEGISLATIVO_1_DE_1936.pdf. Acesso em: 01 fev. 2015.

COLOMBIA. Constitución Política de Colombia 1991. Disponível em: http://pdba.georgetown.edu/Constitutions/Colombia/colombia91.pdf Acesso em: 01 fev. 2016.

CONDORCET, Marie-Jean-Antoine-Nicolas Caritat. Cinco memórias sobre la instrucción pública e otros escritos. Madrid: Edições Morata, 2001.

COSTA, Nilson do Rosário. Políticas Públicas, Justiça Distributiva e inovação. Saúde e Saneamento na Agenda Social. São Paulo: Editora Hucitec, 1998.

CURY, Carlos Roberto Jamil. A Educação como desafio na ordem jurídica. In: LOPES, E. M. T.; GREIVE, C.; FARIA FILHO, L. (org.). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

DUARTE, Clarice Seixas. Direito público subjetivo e políticas educacionais. São Paulo Perspec. [online]. 2004 vol.18, nº 2, pp. 113-118. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/spp/v18n2/a12v18n2.pdf. Acesso em: 15 setembro 2015.

ELIZAGA, Raquel Sosa. Los códigos ocultos del Cardenismo. México: Plaza e Valdez/Universidad Nacional Autónoma de México, 1996.

FAURÉ, Christine. Las Declaraciones de los Derechos Del Hombre de 1789. [Trad.Diana Sanchez y José Luis Nuñez Herrejon], México, Comisión Nacional deDerechos Humanos. 1996.

GONZÁLEZ, Luis. El liberalismo triunfante. In: Historia General de México. El Colegio de México. Centro de Estudios Históricos: México, 2007.

GRAMSCI, Antonio. Notas sobre Maquiavelo, sobre Política y sobre el Estado Moderno. Buenos Aires/Madrid: Edições Nueva Visión, 1980.

HART, John Mason. El México revolucionário: gestación y proceso de la Revolución Mexicana. México: Alianza Editorial Mexicana, 1990.

HÖFLING, Eloisa de Mattos. Estado e Políticas (Públicas) Sociais. Cad. CEDES, vol. 2, 1 nº 55, Campinas, nov./2001.

HORTA, José Silvério Baia. Direito à Educação e obrigatoriedade escolar. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, Fundação Carlos Chagas, nº 4, p. 5-34, jul. 1998.

IANNI, Octavio. A sociedade global. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1992.

MARSHALL, Thomas Humphrey. Cidadania, Classe Social e Status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2005.

MASON, Hart, John. El México Revolucionario, Gestación y Proceso de la Revolución Mexicana, Alianza Editorial, México, 1997.

MEXICO. Constitución Política de los Estados Unidos Mexicanos. Diário Oficial, Tomo V, 4ª Época, Número 30 México, 1917. Disponível em: http://www.diputados.gob.mx/LeyesBiblio/ref/cpeum/CPEUM_orig_05feb1917.pdf. Acesso em: 12 dez. 2015.

LÓPEZ OLIVA, José O. La Constitución de Weimar y los derechos sociales. La influencia en el contexto constitucional y legal colombiano a la luz de los derechos sociales asistenciales a la seguridad social en salud. Prolegómenos - Derechos y Valores. Bogotá, D.C. Colombia - Volumen XIII - No. 26 - Julio - Diciembre 2010. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/876/87617274014.pdf. Acesso em: 12 dez. 2015.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Adotada e Proclamada na Assembleia-Geral na sua Resolução 217a (III), de 10/12/48.

SAVIANI, Dermeval. Da nova LDB ao novo plano nacional de educação: por uma outra política educacional. 2. ed. Campinas SP: Autores Associados, 1998.

SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia M. de & EVANGELISTA, Olinda. Política educacional. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2002.

VENEZUELA. Constitución de los Estados Unidos de Venezuela 1936. Disponível em: http://www.cervantesvirtual.com/servlet/SirveObras/01482741567835946320035/p0000001. htm#I_1_. Acesso em: 01 dez. 2015.

VENEZUELA. Constitución de Venezuela de 1961. Disponível em: http://download.rincondelvago.com/constitucion-de-venezuela-de-1961. Acesso em: 03 jan. 2016.

VENEZUELA. Constitución de la República Bolivariana de Venezuela 1999. Disponível em: https://docviewer.yandex.com/?url=ya-diskpublic%3A%2 F%2FdUaaY%2B6%2FjmMSaxOjDYkND9hcunkYNC7h9vuIed3y20w%3D&name=Constituci%C3%B3n%20de%20la%20Rep%C3%BAblica%20Bolivariana%20de%20Venezuela.pdf&c=589bfa8b379d. Acesso em 01 dez. 2015.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

RODRÍGUEZ, M. V. História da institucionalização dos direitos sociais: princípios e conceitos. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 230–248, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i71.8649862. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8649862. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos