Educação integral do homem e a política educacional brasileira: limites e contradições

Autores

  • Mara Regina Martins Jacomeli Universidade Estadual de Campinas
  • Gilcilene de Oliveira Damasceno Barão Universidade Estadual do rio de Janeiro
  • Leandro Sartori Gonçalves Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i3.8651015

Palavras-chave:

Educação integral. CIEP. PDE. (Novo) Mais educação.

Resumo

A formação integral do homem consta como agenda educativa importante, sobretudo nas concepções da esquerda educacional. Recentemente, a educação integral se torna “chave” argumentativa de variadas acepções políticas, ganhando contornos determinados, sobretudo quando vinculados a denominada “qualidade educacional”, seja na política governamental ou em projetos empresariais. Neste artigo inventariamos os principais traços das políticas de educação integral no Brasil, pensando suas concepções, seus limites e contradições. Escolhemos como marco para considerar a educação integral no Brasil o projeto dos CIEPs - realizado no Estado do Rio de Janeiro e com repercussão nacional - que por algum tempo constaram como referência importante de educação integral,. Posteriormente, com o Plano de Desenvolvimento da Educação (2007) se tem substantiva alteração quanto a referência de educação integral em implementação no país, já que o programa “Mais Educação” se torna um dos principais temas na agenda governamental. As ações cujo caráter remete mais complementaridade educativa e ocupação do tempo dos escolares como forma de saneamento social e “proteção da infância” e reforço escolar engendram uma nova integralidade pró-capital, na medida em que há um apagamento dos referencias clássicos de formação humana e passa a ser o sujeito na lógica produtivista e fragmentada dos universos da pós-modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Regina Martins Jacomeli, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora na Faculdade de Educaçãoda da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Gilcilene de Oliveira Damasceno Barão, Universidade Estadual do rio de Janeiro

Doutora na área de História da Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Leandro Sartori Gonçalves, Universidade Estadual de Campinas

Mestrando em Educação, vinculado a linha Filosofia e História da Educação, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). 

Referências

ALMEIDA, Inês Maria M Zanforlin Pires de and OLIVEIRA, Rosalina Rodrigues de. Educação integral e/ou jornada ampliada no ensino fundamental: uma leitura psicanalítica.. In: FORMACAO DE PROFISSIONAIS E A CRIANCA-SUJEITO, 7., São Paulo, N. P., 2008. Proceedings online... Available from: < http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000032008000100039&lng=en&nrm=abn. >. Acessado em: 17 nov. 2017.

BARÃO, Gilcilene de Oliveira Damasceno; SARTORI, Leandro Gonçalves. O Plano Nacional de Educação e a implementação do princípio da gestão democrática: possibilidades e contradições. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 13, n. 33, p. 235-252, 2016. Disponível em: < http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=0ahUKEwjoiZCmuZXTAhXIDpAKHZjCC0AQFgggMAA&url=http%3A%2F%2Frevistaadmmade.estacio.br%2Findex.php%2Freeduc%2Farticle%2Fdownload%2F455%2F1290&usg=AFQjCNHJglyA5BgF0Hc0phTwyQrk3xH00w&bvm=bv.152174688,d.Y2I >. Acesso em: 10 jan. 2017.

BRANCO, V. Desafios para a implantação da Educação integral: análise das experiências desenvolvidas na região sul do Brasil. Educar em Revista. Curitiba, n. 45, jul./set. 2012. p. 111-123.

BRASIL. Decreto nº 6.094 de 24 de abril de 2007a que dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromissos Todos pela Educação. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6094.htm. >. Acesso: 02 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Caminhos para elaborar uma proposta de Educação Integral em Jornada Ampliada 2011. Disponível em: < http://educacaointegral.org.br/wp-content/uploads/2013/08/4_caminhos_elaborar_educacao_integral_cecipe_seb.pdf >. Acesso em: 29 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto 6253/2007. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, regulamenta a Lei no 11.494, de 20 de junho de 2007, e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6253.htm >. Acesso em: 27 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Educação integral/educação integrada e(m) tempo integral: concepções e práticas na educação brasileira – Mapeamento das experiências de jornada escolar ampliada no Brasil. 2009. Disponível em: < https://www.ufmg.br/online/ arquivos/anexos/Pesquisa_Educacao.pdf >. Acesso em: 26 jun. 2017.

BRASIL. Portaria nº 1.144, de 10 de outubro de 2016 que Institui o Programa Novo Mais Educação, que visa melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=49131-port-1144mais-educ-pdf&category_slug=outubro-2016-pdf&Itemid=30192 >. Acesso em: 20 jul. 2017.

BRASIL. Portaria Normativa Interministerial, nº 17, de 24 de Abril de 2007b que institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades sócio-educativas no contraturno escolar. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/mais_educacao.pdf. >. Acesso em: 02 jul. 017.

CAVALIÉRI, A. M. V. Memória das Escolas de Tempo Integral do Rio de Janeiro. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 1., rio de Janeiro, Anais... Rio de Janeiro, N. p., 2000. Disponível em: < http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe1/anais/017_ ana_maria_vilella.pdf >. Acesso em: 27 jun. 2017.

COELHO, L. M. C. C.; HORA, D. M. Políticas Públicas e gestão para a educação integral: formação de professores e condições de trabalho. SIMPÓSIO DE POLÍTICAS E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO, 25., 2011, São Paulo, Anais... São Paulo: ANPAE, N. p., 26 a 30 de abril de 2011. Disponível em: < http://www.anpae.org.br/simposio2011/cdrom2011/PDFs/trabalhosCompletos/comunicacoesRelatos/0285.pdf. >. Acesso em: 29 jun. 2017.

COELHO, L. M. C. da. C. História(s) da educação integral. Em Aberto, Brasília, v. 22, n. 80, p. 83-96, abr. 2009. Disponível em: < http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/2222/2189 >. Acesso em: 28 jun. 2017.

COSTA, A. C. G. Por uma pedagogia da presença. S/d 1. Disponível em: < http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=3&ved=0ahUKEwi8mpL58PXUAhVLD5AKHb5yAvkQFgg8MAI&url=http%3A%2F%2Fwww.dersv.com%2FPOR%2520UMA%2520PEDAGOGIA%2520DA%2520PRESENCA.pdf&usg=AFQjCNGNzx-loSs9uNESSawagpAMKLYvhA >. Acesso em: 20 maio 2017.

COSTA, A. C. G. Protagonismo juvenil: o que é e como praticá-lo. S/d 2. Disponível em: < http://smeduquedecaxias.rj.gov.br/nead/Biblioteca/Forma%C3%A7%C3%A3o%20Continuada/Artigos%20Diversos/costa-protagonismo.pdf >. Acesso em: 20 maio 2017.

FERNANDES, F. Revolução Burguesa no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.

FREITAS, L. C. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, p. 379-404, abr./jun. 2012. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010173302012000200004&script=sci_abstract&tlng=pt >. Acesso em: 15 ago. 2016.

GIOVANNI, G. D.; SOUZA, A. N. de. Criança na escola? Programa de Formação Integral da Criança. Educação & Sociedade, ano 20, n. 67, p. 70-111, ago. 1999. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v20n67/v20n67a03.pdf >. Acesso em: 04 abr. 2017.

GÔMIDE, Â. G. V. Formação de professores, educação e planejamento educacional: concepções da UNESCO para a década de 1960. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS “HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL”, 9., 2012, João Pessoa. Anais... João Pessoa, P. 1179-1196, 2012.. Disponível em: < http://www.histedbr.fe.unicamp.br/acerhistedbr/seminario/seminario9/PDFs/2.32.pdf >. Acesso em: 08 jun. 2013.

LEHER, R. Um novo senhor da educação? A política do Banco Mundial para a periferia do capitalismo. Revista Outubro, 3. ed., N. p., 1999. Disponível em: < http://outubrorevista.com.br/um-novo-senhor-da-educacao-a-politica-educacional-do-banco-mundial-para-a-periferia-do-capitalismo/ >. Acesso em: 08 set. 2016.

MAURÍCIO, L. V. Escola Pública de horário Integral: o que se lê, o que se vê. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 26., 2003, Poços de Caldas, Anais... Poços de Caldas, MG: ANPED, N. p., 2003. Disponível em: < http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=0ahUKEwiQvtuC9fXUAhVDCpAKHdN3DggQFggnMAA&url=http%3A%2F%2F26reuniao.anped.org.br%2Ftrabalhos%2Fluciavellosomauricio.rtf&usg=AFQjCNFP9Y9NL0Fvp8a_kLesgOWys-RT_w >. Acesso em: 27 jun. 2017.

MAURÍCIO, L. V. O que se diz sobre a escola integral de horário integral. Cadernos CENPEC, n. 2, p. 57-67, 2006. Disponível em: < http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=2&ved=0ahUKEwj_gNbB9fXUAhVLH5AKHanyBv8QFgg6MAE&url=http%3A%2F%2Fcadernos.cenpec.org.br%2Fcadernos%2Findex.php%2Fcadernos%2Farticle%2Fdownload%2F173%2F201&usg=AFQjCNHZ-8mH-JC-NvHCnwV25-E6q4UicA >. Acesso em: 27 jun. 2017.

MIGNOT, A. C. V. CIEP – Centro Integrado de Educação Pública – alternativa para a qualidade do ensino ou nova investida do populismo na educação? Em Aberto, Brasília, ano 8, n. 44, p. 45-63, out./dez. 1989. Disponível em: < http://rbep.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/1759/1730 >. Acesso em: 26 jun. 2017.

MONTEIRO, A. M. CIEP – Escola de formação de professores. Em Aberto, Brasília, v. 22, n. 80, p. 35-49, abr. 2009. Disponível em: < http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/2219/2186. >. Acesso em: 26 jun. 2017.

MOTA, P. F. Percursos em busca de educação integral: o Ciep Henfil em Duque de Caxias. 2013. 137 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, RJ, 2013.

NOLASCO-SILVA, L.; FARIA, L. Educação integral e ampliação do tempo escolar diário na cidade do rio de janeiro: aproximações e diferenças entre o projeto ciep e o programa escolas do amanhã. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: SOCIEDADE BRASILEIRA DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 7., N. p., 2013, Cuiabá, MT. N.p. Anais... Cuiabá, MT, 2013. Disponível em: < http://sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe7/pdf/01%20ESTADO%20E%20POLITICAS%20EDUCACIONAIS%20NA%20HISTORIA%20DA%20EDUCACAO%20BRASILEIRA/EDUCACAO%20INTEGRAL%20E%20AMPLIACAO%20DO%20TEMPO%20ESCOLAR.pdf. >. Acesso em: 14 jul. 2017.

SANTOS, M. G. C. dos. S. O Programa ‘Mais Educação’ e a Educação Integral a escola pública: uma análise a partir da perspectiva da formação onilateral. 2014. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2014.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Educação. Diretrizes do Programa Ensino Integral. S/D Disponível em: < http://www.educacao.sp.gov.br/a2sitebox/arquivos/documentos/342.pdf >. Acesso em: 16 de abril de 2017.

SILVA, Y. R. de. O. C. A construção dos cieps e da escolarização em tempo integral através da formação continuada em serviço: memórias de professores. 2009. 229 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2009.

Downloads

Publicado

2017-12-13

Como Citar

JACOMELI, M. R. M.; BARÃO, G. de O. D.; GONÇALVES, L. S. Educação integral do homem e a política educacional brasileira: limites e contradições. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 3, p. 842–860, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i3.8651015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8651015. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>