A revista “A Escola” e o primeiro congresso de professores públicos do Paraná (1910): o princípio liberal de universalidade

Autores

  • Maria Isabel Moura Nascimento Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Claudia Maria Petchack Zanlorenzi Universidade Estadual do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i4.8651219

Palavras-chave:

Liberalismo. Imprensa. Revista A Escola. Universalidade.

Resumo

Este artigo buscou identificar a expressão das condições materiais do Paraná no início do século XX na revista A Escola, que foi veículo para a disseminação das ideias liberais apresentadas em suas folhas e reproduzidas aos professores das escolas públicas do Estado. Este veículo de comunicação aponta para as contradições de uma sociedade que se consolidava no capitalismo e, para tanto, havia a necessidade de assegurar a sua perpetuação, por meio da ideologia e seus princípios, angariando assim adeptos para a sua manutenção. Trata, especificamente, sobre o I Congresso de Professores Públicos do Paraná, o qual foi promovido pelos articulistas da revista e amplamente divulgado pela mesma. No evento foram debatidas nove teses previamente proposta por seu grupo idealizador. A partir da análise das teses, verificou-se que a de número seis foi considerada como a principal e que retrata com mais ênfase o princípio liberal de universalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Isabel Moura Nascimento, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutora em Educação, Área de Concentração: Filosofia e História da Educação, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Pós-Doutorado em História e Filosofia da Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora do Programa de Pós Graduação em Educação.

Claudia Maria Petchack Zanlorenzi, Universidade Estadual do Paraná

Doutora em história da educação pelo Programa de Pós Graduação da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Professora da rede municipal de ensino de Irati e professora colaboradora da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR).

Referências

A ESCOLA: REVISTA DO GRÊMIO DOS PROFESSORES PÚBLICOS DO ESTADO. Curitiba: Acervo Biblioteca Pública do Paraná: divisão estadual. 1906-1910.

ALVES, G. O liberalismo e a produção da escola pública moderna. In: LOMBARDI, José C.; SANFELICE, J. L. (Org.). Liberalismo e educação em debate. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2007. p. 61-86.

CHAUÍ, M. Cultura e democracia: o discurso competente e outras falas. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

CHAUÍ, M. Ideologia e educação. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 42, n. 1, p. 245-257, jan./mar. 2016.

CHAVES, E. O. C. O liberalismo na política, economia e sociedade e suas implicações para a educação. In: LOMBARDI, J. C.; SANFELICE, J. L. (Org.). Liberalismo e educação em debate. Campinas, SP: Autores Associados; HISTEDBR, 2007. p. 01-60.

COLLICHIO, T. A. F. Dois eventos importantes para a história da educação brasileira: a exposição pedagógica de 1883 e as conferêncais populares da Freguesia da Glória. Fac. Educ., São Paulo, v. 13, n. 2, jul./dez. 1987.

COSTA, E. V. Da Monarquia à República. 6. ed. São Paulo: Ed. da UNESP, 1999.

CURY, C. R. J. Ideologia e educação brasileira: católicos e liberais. 4. ed. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1988.

GONÇALVES NETO, W. et al. Educação e Imprensa: análise de jornais de Uberlândia, MG, nas primeiras décadas do século XX. Revista de Educação Pública. Cuiabá, n. 6, 1997.

LOCKE, J. Ensaio acerca do entendimento humano. Segundo tratado sobre o governo. 5. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991. (Os pensadores).

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã I. Lisboa: Presença, 1979.

MARX, K.; ENGELS, F. Obras Escolhidas. São Paulo: Alfa-Omega, v. 3, s/d.

MARX, K. Manuscritos econômicos e filosóficos. Tradução, apresentação e notas de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2008.

MOACYR. P. A Instrução e o Império. São Paulo: Companhia Editora Nacional. v. 2, 1937. Disponível em: < http://www.brasiliana.com.br/obras/a-instrucao-e-o-imperio-2-vol. >. Acesso em: 20 dez. 2017.

MORAES, R. C. C. Liberalismo clássico: notas sobre sua história e alguns de seus argumentos. Textos didáticos. Campinas-SP: IFCH/UNICAMP. n. 40, 2000.

PARANÁ. Relatório do Diretor Geral de Instrução Pública. Curitiba: Acervo Arquivo Público do Paraná, 1910.

PERIOTTO, M. R. Educar para o bom governo: a reforma moral dos homens públicos no Jornal de Tímon. In: MIZUTA, C. M. M.; FARIA FILHO, L. M.; PERIOTTO, M. R. (Org.). Império em debate: Imprensa e educação no Brasil oitocentista. Maringá, PR: Ed. da EDUEM, 2010. p. 253-297.

RIBEIRO, M. L. História das políticas educacionais: a questão das fontes. In: LOMBARDI, J. C.; NASCIMENTO, M. I. M. (Org.). Fontes, história e historiografia da educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. p. 87-96. (Coleção Memória da Educação).

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: Primeiras aproximações polêmicas do nosso tempo. 11. ed. São Paulo. Autores associados, 2008.

SMITH, A. Riqueza das nações. 2. ed. São Paulo: Húmus, 1981.

Downloads

Publicado

2017-12-21

Como Citar

NASCIMENTO, M. I. M.; ZANLORENZI, C. M. P. A revista “A Escola” e o primeiro congresso de professores públicos do Paraná (1910): o princípio liberal de universalidade. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 4, p. 1096–1106, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i4.8651219. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8651219. Acesso em: 15 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>