O imaginário e a construção do gênero e da docência na cidade de Londrina: conceito, contexto e implicações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v18i4.8651394

Palavras-chave:

Imaginário. Gênero. Docência. Feminização.

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar de maneira crítica e reflexiva a construção do imaginário social acerca do gênero e da docência na cidade de Londrina – Paraná. Isto posto, fez-se necessário compreender os seguintes aspectos: os conceitos referentes ao imaginário social, que constituiu as relações entre gênero e docência; questões do magistério feminino, tendo como parâmetro os aspectos: culturais, sociais, gênero e política. Para o desenvolvimento deste estudo, utilizou-se como metodologia, a pesquisa bibliográfica e a análise documental. Ao término da pesquisa, constatou-se que a construção do imaginário em relação ao gênero, docência e feminização é permeado de ideologias, valores e relações de poder.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Regina de Jesus Santos, Universidade Estadual de Londrina

Doutorado em Educação pela Pontificia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Docente do curso de Pedagogia e do Programa de Mestrado e Doutorado da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Referências

ALMEIDA, J. S. de. Mulher e educação: a paixão pelo possível. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998. (Prismas).

BACHELARD, G. A poética do devaneio. São Paulo: Martins fontes, 1988.

BACHELARD, G. A terra e os devaneios da vontade: ensaio sobre a imaginação das forças. Trad. Maria Ermantina Galvão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BACHELARD, G. O ar e os sonhos: ensaio sobre a imaginação do movimento. Trad. Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

BRANDÃO, J. de. S. Introdução ao mito dos heróis. In: BRANDÃO, J. de. S. Mitologia Grega. v. 3. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

BOURDIEU, P. A Dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

CASTORIADIS, C. A instituição imaginária da sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 1982.

CASTRO, R. A. A. O cotidiano e a cidade: prática, papéis e representações femininas em Londrina (1930-1960). 1994. Dissertação (Mestrado em História) – Departamento de História, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1994.

CATANI, D. B. et al. História, memória e autobiografia da pesquisa educacional e na formação. In: CATANI, D. B. et al. (Org.) Docência, memória e gênero: estudos sobre formação. São Paulo: Escrituras, 1997.

CERNEV, J. Liberalismo e colonização: o caso do Norte do Paraná. Londrina, PR: Eduel, 1997.

COSTA, J. F. Ordem médica e norma familiar. 3. ed. Rio de Janeiro: Grall, 1989.

COUTINHO, H. P. Londrina: 25 anos de sua história. São Paulo: Gráfica Universal, 1959.

DURAND, G. As estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

FORQUIN, J. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artmed, 1993.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

HEILBORN, M. L. Gênero e condição feminina: uma abordagem antropológica. Mulher e Políticas Públicas. Rio de Janeiro: IBAM/UNICEF, 1991.

JESUS, A. R. de. Gênero e docência: infantilização e feminização na representação dos discentes do curso de pedagogia da Universidade Estadual de Londrina. 2009. Tese (Doutorado em Educação e Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

LIMA, M. M. L. Magistério, a condição feminina: um estudo sobre a construção do gênero no ICEIA. 1996. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1996.

LOPES, A. R. C. Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 1999.

POSTIC, M. O imaginário na relação pedagógica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, 1995.

SILVA, T. T. da.; MOREIRA, A. F. (Org.). Territórios contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

SOUZA, G. P. de. As três chamas do lar: 1. Esposa; 2. Mãe e educadora; 3. Dona-de-casa. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1958.

ZORTÉA, A. J. Jornal de Londrina, Londrina. Primeiro Caderno, 1962.

ZORTÉA, A. J. Londrina através dos tempos e crônicas da vida. São Paulo: Juriscred, 1975.

Downloads

Publicado

2018-12-21

Como Citar

SANTOS, A. R. de J. O imaginário e a construção do gênero e da docência na cidade de Londrina: conceito, contexto e implicações. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 18, n. 4, p. 1089-1108, 2018. DOI: 10.20396/rho.v18i4.8651394. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8651394. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)