Novas estratégias de gestão corporativa no ensino superior privado com fins lucrativos no Brasil

o caso da Estácio Participações S.A. (2007-2014)

Palavras-chave: Financeirização do capital, Estácio Participações S.A., Gestão corporativa

Resumo

Este texto tem como objetivo principal discutir algumas das novas estratégias de gestão corporativa na Estácio Participações S.A., no período de 2007 a 2014. O estudo de caso se insere num processo mais amplo de financeirização do capital, em nível mundial, nos últimos 50 anos. Para viabilizar o trabalho, realizou-se uma análise qualitativa, com a seleção de livros, teses acadêmicas, artigos científicos publicados em periódico diversos, a legislação pertinente à discussão, e os documentos da empresa. A análise crítica conduziu a construção textual. Assim, pelos dados, foi possível perceber seu importante crescimento operacional e financeiro. Por meio de parcerias importantes, tais quais aquelas realizadas com os Fundos de Investimentos Privados Estrangeiros, o Fundo Público, seu público consumidor, entre outros, o sucesso na gestão corporativa da companhia permitiu a quase constante valorização acionária na bolsa de valores em curto espaço de tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Luciano Oliveira Costa, Universidade de São Paulo

Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Pesquisador da Universidade de São Paulo (USP).

Referências

AGUIAR, V. Ampliação e diversificação do acesso no ensino superior: a formação do sistema de massa no setor privado (1995-2010). 2013. 224p. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2013.

ALMEIDA, W. M. ProUni sob balanço: avanços e limites à luz de experiências estudantis na cidade de São Paulo. In: MARINGONI. G. (org.). O negócio da educação: a aventura das universidades privadas na terra do capitalismo sem risco. São Paulo: Olho D’Água: FAPESP, 2017. p. 115-127.

AMARAL, N. C. Autonomia e financiamento das IFES: desafios e ações. Avaliação, Campinas, Sorocaba, SP, v. 13, n. 3, p. 647-680, nov. 2008. Disponível em: www.scielo.br/pdf/aval/v13n3/03.pdf. Acesso em: 28 jan. 2013.

ANDREZO, A. F.; LIMA, I. S. Mercado financeiro. São Paulo: Atlas, 2007. 367p.

ASSAF NETO, A.; LIMA, F. G. Investimento em ações: guia teórico e prático para investidores. Ribeirão Preto, SP: Inside Books, 2008. 232p.

BACHA, E. L.; OLIVEIRA FILHO, L. C. Mercado de capitais e crescimento econômico. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria; São Paulo: ANBID, 2005. 416p.

BONVENTTI, R. C. Avanço verde-amarelo. Ensino Superior, São Paulo, n. 119, ago. 2008. Disponível em: http://revistaensinosuperior.uol.com.br/textos.asp? Acesso em: 15 out. 2009.

BARREYRO, G. B.; ROTHEN, J. C. Avaliação da educação superior como política pública. In: ROTHEN, J. C.; BARREYRO, G. B. (org.). Avaliação da educação: diferentes abordagens críticas. São Paulo: Xamã, 2011. p. 75-87.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 1988. 413p.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sinopse Estatística da Educação Superior (2007). Brasília, DF. 2008.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sinopse Estatística da Educação Superior (2014). Brasília, DF. 2015.

BRASIL. Lei nº 6.385, de 7 de dezembro de 1976. Dispõe sobre o mercado de valores mobiliários e cria a Comissão de Valores Mobiliários. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 1976a.

BRASIL. Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre a Sociedade por Ações. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 1976b.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF. 1996.

BRENNER, R. O boom e a bolha: os Estados Unidos na economia mundial. Trad. Zaida Maldonado. Rio de Janeiro: Record, 2003. 414p.

CARVALHO, C. H. A. de. A mercantilização da educação superior brasileira e as estratégias de mercado das instituições lucrativas. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 35., 2012, Porto de Galinhas, PE. Anais [...]. Porto de Galinhas, PE: [s. n.], 2012. p. 1-15. Disponível: www.anped11.uerj.br. Acesso: 07 abr. 2013.

CATANI, A. M.; OLIVEIRA, J. F.; DOURADO, L. F. Política educacional, mudanças o mundo do trabalho e reforma curricular dos cursos de graduação no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 22, n. 75, p. 67-83, ago. 2001. Disponível em: www.scielo.br. Acesso: 12 abr. 2013.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996. 208p.

CONTEE. O aprofundamento da mercantilização da educação. Revista Conteúdo, n. 7, p. 18-23, ago. 2010. Disponível em: http://www.contee.org.br/. Acesso: 30 nov. 2013.

COSTA, F. L. O. Financeirização do capital no ensino superior privado com fins lucrativos no Brasil (2007-2012). 2016. 367p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação da educação superior. Avaliação (Campinas), Campinas, v. 8, n. 2, p. 31-64, 2003.

ESTÁCIO. Demonstrações financeiras padronizadas para o ano de 2007. 2008. 52p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 26 maio 2014.

ESTÁCIO. Demonstrações financeiras padronizadas para o ano de 2008. 2009. 116p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 26 maio 2014.

ESTÁCIO. Demonstrações financeiras padronizadas para o ano de 2009. 2010. 66p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 26 maio 2014.

ESTÁCIO. Demonstrações financeiras padronizadas para o ano de 2010. 2011. 118p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 26 maio 2014.

ESTÁCIO. Demonstrações financeiras padronizadas para o ano de 2011. 2012. 131p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 26 maio 2014.

ESTÁCIO. Demonstrações financeiras padronizadas para o ano de 2012. 2013. 121p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 26 maio 2014.

ESTÁCIO. Relatório Anual de 2013. 2014. 298p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 15 jun. 2015.

ESTÁCIO. Relatório Anual de 2014. 2015. 309p. Disponível em: http://www.estacioparticipacoes.com.br. Acesso em: 10 ago. 2016.

GARAGORRY, J. A. S. Economia e política no processo de financeirização do Brasil (1980-2006). 2007. 317 p. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

GRAMANI, M. C. N. A influência da qualidade na atratividade de instituições de ensino superior com capital aberto. Ensaio: aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 60, p. 437-454, jul./set. 2008. Disponível em: www.scielo.br/. Acesso em: 08 jul. 2012.

GUTTMANN, R. Uma introdução ao capitalismo dirigido pelas finanças. Novos estud. CEBRAP, São Paulo, n. 82, p. 11-33, nov. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/. Acesso em: 31 mar. 2013.

HARVEY, D. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. Trad. Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2010. 349p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC). Código das melhores práticas de governança corporativa. 4. ed. São Paulo, 2009. 73 p. Disponível em: http://www.ibgc.org.br. Acesso em: 25 maio 2014.

LAMEIRA, V. J. Mercado de capitais brasileiro: uma introdução. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000. 195p.

MALVESSI, O. Análise econômico-financeira de empresas do setor de educação: período anual (2011-2015). In: MARINGONI. G. (org.). O negócio da educação: a aventura das universidades privadas na terra do capitalismo sem risco. São Paulo: Olho D’Água: FAPESP, 2017. p. 75-104.

OLIVEIRA, R. P. A financeirização da economia e suas consequências para a educação superior no Brasil. In: MARINGONI. G. O negócio da educação: a aventura das universidades privadas na terra do capitalismo sem risco. São Paulo: Olho D’Água: FAPESP, 2017. p. 27-35.

PLIHON, D. Desequilíbrios mundiais e instabilidade financeira. (A responsabilidade das políticas liberais: um ponto de vista keynesiano). Economia e Sociedade, Campinas, n. 7, p. 85-127, dez. 1996. Disponível em: www.eco.unicamp.br/. Acesso em: 20 nov. 2012.

POLIZEL, C.; STEINBERG, H. Governança corporativa na educação superior: casos práticos de instituições privadas (com e sem fins lucrativos). São Paulo: Saraiva, 2013. 146p.

RAJAN, R; ZINGAES, L. Salvando o capitalismo dos capitalistas: acreditando no poder do livre mercado para criar mais riqueza e ampliar oportunidades. Trad. Maria José Cyhlar Monteiro. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. 393p.

RANIERI, N. B. Educação superior, direito e Estado. São Paulo: Ed. USP: Fapesp, 2000. 403p.

SARFATI, G.; SHWARTZBAUM, A. Sinergias nas fusões e aquisições do setor de educação superior no Brasil. RPCA, Rio de Janeiro, v. 7, n. 4, p. 1-23, out./dez. 2013. Disponível em: www.uff.br/pae/index.php/pca/article/viewFile/317/225. Acesso em: 11 maio 2014.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas, SP: Autores Associados, 2008. 112p.

SÉCCA, R. X.; LEAL R. M. Análise do setor de ensino superior privado no Brasil. BNDES Setorial - Educação, n. 30, p. 103-156, set. 2009. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/. Acesso em: 11 abr. 2013.

SGUISSARDI, V. Estudo diagnóstico da política de expansão da (e acesso à) educação superior no Brasil – 2002-2012. Brasília: SESU, 2014. Edital N. 051/2014.

VALE, A. A. do. “As faculdades privadas não fazem pesquisa porque não querem jogar dinheiro fora”: a trajetória da Estácio de Sá da filantropia ao mercado financeiro. 2011. 325p. Tese (Doutorado) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

Publicado
2019-06-04
Como Citar
Costa, F. L. O. (2019). Novas estratégias de gestão corporativa no ensino superior privado com fins lucrativos no Brasil . Revista HISTEDBR On-Line, 19, e019027. https://doi.org/10.20396/rho.v19i0.8654021