O projeto industrialista dos empresários no governo Vargas

a fotografia como fonte histórica de trabalho-educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v21i00.8660288

Palavras-chave:

Trabalho-educação, Fotografia, Fonte histórica, Autoritarismo, Industrialismo

Resumo

Neste texto, destacamos aspectos da história recente do Brasil, desde outubro de 2018, em particular, o crescimento de manifestações autoritárias pelo país, nas relações entre os cidadãos, no discurso agressivo contra opositores, expandido nas redes sociais, na ineficiência, indiferença e arbitrariedades do chefe da nação frente à pandemia do Covid19, além do apelo a uma retórica nos moldes fascistas. Teórica e metodologicamente, apoiamo-nos na concepção da fotografia como mediação histórica e nas reflexões de Fulvia Zega, historiadora italiana, que investiga a fotografia como fonte história do fascismo na Itália; do varguismo no Brasil; e do peronismo na Argentina. No estudo de como se escreve a história de Trabalho-Educação, temos a fotografia como fonte de pesquisa histórica no livro Além da fábrica – O projeto Industrialista em São Paulo 1928-1948” de Paulo Miceli, editado pela FIESP em 1992.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Ciavatta, Universidade Federal Fluminense

Doutorado em Ciências Humanas (Educação) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Professora Titular em Trabalho e Educação do Programa de Pós-graduação da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

ABBUD, B.; DAL PIVA, J. Bolsonariando. Revista Época, n. 1059, p. 31, 15 out. 2018.

ALMEIDA, R. de; TONIOL, R. (Org.). Conservadorismos, fascismos e fundamentalismos: análises conjunturais. Campinas: Ed. da Unicamp, 2018.

AMENDOLA, E. P. La nascita del fascismo. 1919-1925, Roma: Riuniti, 1998.

BLOCH, M. Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BOBBIO, N. Perfil ideológico del siglo XX in Italia. México, DF: Fondo de Cultura Económica, 1989.

BRAGA, R. A rebeldia do precariado. Trabalho e neoliberalismo no sul global. São Paulo: Boitempo, 2017.

BRASIL. Decreto-Lei nº 4.048, de 22 de janeiro de 1942. 1942a. Cria o Serviço Nacional de Aprendizagem dos Industriários (SENAI). Disponível em: https://bit.ly/3jPwlZh. Acesso em: 25 mar. 2021.

BRASIL. Decreto-Lei nº 4.073, de 30 de janeiro de 1942. 1942b. Lei orgânica do ensino industrial. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-4073-30-janeiro-1942-414503-publicacaooriginal-1-pe.html Acesso em: 25 mar. 2021.

CIAVATTA, M. Da história da educação à história de trabalho-educação. A fotografia como fonte de pesquisa histórica. Niterói: UFF, 2017. Projeto de pesquisa (CNPq, 2018-2023).

CIAVATTA, M. Historiografia em trabalho-educação – Como se escreve a história da educação profissional. Uberlândia: Navegando, 2019.

CIAVATTA, M. Mediações históricas de relação trabalho e educação. Gênese da disputa na formação dos trabalhadores (1930-1960). Rio de Janeiro: Lamparina: CNPq: FAPERJ, 2009.

CIAVATTA, M. O trabalho docente e os caminhos do conhecimento. A historicidade da educação profissional. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (CNI). Portal. Disponível em: https://bit.ly/3jP4ngh. Acesso em: 27 jun. 2020.

CRUVINEL, T. O time de Pilatos. Jornal do Brasil, 12 out. 2018. Política, p. 2.

CUNHA, L. A. O ensino profissional na irradiação do industrialismo. São Paulo: UNESP; Brasília: SENAI, 2000.

ECO, U. Il fascismo eterno. Milano: La Nave di Teseo, 2018.

FAUSTO, B. Trabalho urbano e conflito social. São Paulo: DIFEL, 1986.

FEDERAÇÃO das Indústrias do Estado de São Paulo. Wikipédia, 05 maio 2020. Disponível em: https://bit.ly/3sd8eYh. Acesso em: 27 jun. 2020.

FERNANDES, F. A revolução burguesa no Brasil. Ensaio de interpretação sociológica. 3. ed. Rio de Janeiro: ZAHAR, 1981.

FERREIRA, M. A. Populismo e democracia em Francisco Weffort. Conversas & Controvérsias, v. 6, n. 1, jan./jun. 2019.

FERREIRA, R. L.; ANHANLETE, A. O Presidente Bolsonaro na manhã de domingo, em meio aos apoiadores. 2020. Revista Carta Capital, ano XXV, n. 1109, capa, 10 de junho de 2020. 1 fotografia, acervo da Carta Capital, autores Renato Luiz Ferreira e Andressa Anhanlete.

FRAZÃO, F. Edir Macedo declara apoio a Bolsonaro. O Estado de São Paulo, Política – Estadão, 30 set. 2018. Disponível em: https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,edir-macedo-declara-apoio-a-bolsonaro,70002526353. Acesso em: 14 out. 1018.

FREYRE, G. Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro: Record, 1995.

GOMES, A. C. A construção do homem novo: o trabalhador brasileiro. In: OLIVEIRA, L.; VELLOSO, M. P.; GOMES, A. C. Estado Novo. Ideologia e poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

HARDMAN, F. F. Nem pátria, nem patrão. Memória operária, cultura e literatura no Brasil. 3. ed. São Paulo: UNESP, 2002.

IANNI, O. Estado e planejamento econômico no Brasil. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

IANNI, O. O colapso do populismo no Brasil. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

LACERDA, A. L. A “Obra Getuliana” ou como as imagens comemoram o regime. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 7, n. 14, p. 241-263, 1994.

LOWY, M. O conservadorismo e a extrema direita na Europa. Revista de Serviço Social, São Paulo, n. 124, p. 652-664, out./dez. 2015.

LUKÁCS, G. As bases ontológicas do pensamento e da atividade do homem. Temas de Ciências Humanas, São Paulo, n. 4, 1978.

MARX, K. Contribuição para a crítica da Economia Política. Lisboa: Estampa, 1977.

MARX, K. O capital. Livro 1: O processo de produção do capital. 6. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980. (Crítica da economia política).

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã (I - Feuerhach). São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

MENEZES, T. Contra a parede. Folha de São Paulo, Ilustrada, quinta-feira, 11 out. 2018. p. C1.

MICELI, P. Além da fábrica: o projeto Industrialista em São Paulo 1928-1948. São Paulo: FIESP, 1992.

NOVO Dicionário Aurélio. Dicionário Eletrônico. Versão 5.0. Positivo Informática, 2004.

OLIVEIRA, L. Apresentação. In: OLIVEIRA, L.; VELLOSO, M. P.; GOMES, A. C. Estado Novo. Ideologia e poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1982, p. 10.

PAÍS teve primeira morte em 12 de março. O Globo, Sociedade, 28 jun. 2020, p. 14.

PAIVA, F. M. Meninas, eu vi. Carta Capital, ano XXIV, n. 1024, 10 out. 2018, p. 24.

ROCHA, M. Em Salvador, mestre Moa do Katendê ensinava a capoeira para crianças em situação de vulnerabilidade social. Revista Época. A margem de erro. O que está por trás das pesquisas eleitorais, nº 1059, 2018. 1 fotografia, acervo Rede Brasil de Festival, autor desconhecido.

SANTOS, E. O cantor Roger Waters em show no Allianz Parque, em São Paulo. 2018. 1 fotografia do Jornal Folha de São Paulo, impressa, p. C1, 2018, acervo Folhapresss.

SANTOS, W. G. dos. Cidadania e justiça. Rio de Janeiro: Campus, 1979.

SCHWARTZMAN, S. Bases do autoritarismo. Rio de Janeiro: Ed. da FGV, 1982.

SHEFFIELD, G. O conflito se arrasta. Tropas exaustas na Ofensiva Nivelle e na Batalha de Passchendaele. Primeira Guerra Mundial. v. 6. São Paulo: Folha de São Paulo, 2014.

SINGER, A. et al. Fascismo à brasileira. Folha de São Paulo, São Paulo, dom., 24-06-2020, p. B16-B17.

SOUZA, F. Apoiadores de Bolsonaro se reúnem na frente da casa do candidato, em um condomínio na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. 2018. Revista Época. A margem de erro. O que está por trás das pesquisas eleitorais, n. 1059, 2018. 1 fotografia, acervo AFP, autor Fernando Souza.

STANDING, G. O precariado. A nova classe perigosa. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

VELLOSO, M. P. Cultura e poder político. Uma configuração do campo intelectual. In: OLIVEIRA, L.; VELLOSO, M. P.; GOMES, A. C. Estado Novo. Ideologia e poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1982. p. 71-108.

Downloads

Publicado

2021-05-03

Como Citar

CIAVATTA, M. . O projeto industrialista dos empresários no governo Vargas: a fotografia como fonte histórica de trabalho-educação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e021008, 2021. DOI: 10.20396/rho.v21i00.8660288. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8660288. Acesso em: 19 set. 2021.