Banner Portal
Anita Philipovsky
PDF

Palavras-chave

Anita Philipovsky
Mulheres intelectuais
Gênero feminino
Educação das mulheres

Como Citar

CAMPAGNOLI, Karina Regalio. Anita Philipovsky: a construção intelectual de uma feminista. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023022, 2023. DOI: 10.20396/rho.v23i00.8663626. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8663626. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir alguns aspectos que marcaram o percurso de constituição intelectual da escritora e poetisa Anita Philipovsky, especialmente a partir de sua participação como colaboradora de diversos periódicos e revistas paranaenses, abordando o contexto histórico das três primeiras décadas do século XX. Por meio de uma pesquisa qualitativa de cunho documental, procurou-se compreender as estratégias e ações que Anita fez uso para se inserir no meio editorial dos jornais e demais veículos de comunicação impressos que circulavam neste contexto histórico, consolidando-se como escritora e crítica social. Para isso, mobilizou-se o conceito de gênero, articulando-o às possibilidades de escrita consideradas autorizadas para as mulheres, perpassando os perfis de leitora, escritora e, posteriormente constituindo-se como intelectual engajada na luta pelos direitos das mulheres, enfatizando as questões educacionais. Constata-se que as atitudes e posicionamentos de Anita Philipovsky podem ser compreendidos a partir da conformação de uma rede de sociabilidades e da construção de capital, assim como de alguns habitus que favoreceram sua entrada e circulação em alguns espaços sociais não tão comuns para as mulheres no contexto histórico abordado.

https://doi.org/10.20396/rho.v23i00.8663626
PDF

Referências

A CONCESSÃO do direito do voto à mulher. Diário dos Campos, Ponta Grossa, 24 fev. 1932a.

A CONCESSÃO do direito do voto à mulher. Diário dos Campos, Ponta Grossa, 25 fev. 1932b.

A TALENTOSA, poetiza D. Giovannina Baldisseri Bianchi. O Progresso, Ponta Grossa, 21 mar. 1912.

ALBUQUERQUE, A. L. O carinho, Diário dos Campos, Ponta Grossa, 07 ago. 1924.

ANNITA Philipowski. Diário dos Campos, Ponta Grossa, 02 ago. 1934.

ANNITA Philipowsky. Diário dos Campos, Ponta Grossa, ano 15, n. 2825, 01 jun. 1921, p. 1.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. 9. ed. Campinas: Papirus, 2008.

EDUCAÇÃO. O Progresso, Ponta Grossa, 08 ago. 1912.

ENTREVISTA. O Progresso, Ponta Grossa, 10 dez. 1912.

FONTES, L. C. dos S. A invenção da escritora – Anita Philipovsky, paradigma literário. In: WOITOWICZ, K. J.; ROCHA, P. M. (org.). Marcas e discursos de gênero: produções jornalísticas, representações femininas e outros olhares. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2014.

GUEBERT, C. A.; KARVAT, E. C. De histórias e tradições: o Centro Cultural Euclides da Cunha e a historiografia no periódico Tapejara (1950-1961). Ateliê de História, Ponta Grossa, v. 3, n. 1, p. 41-77, 2015.

OLIVEIRA, L. L. de. Entre a crítica de Anita Philipovsky (1886-1967) e as contradições do Estado: a história da educação das mulheres em Ponta Grossa na Primeira República. 2018. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2018.

OLIVEIRA, L. L. de; MARTINIAK, V. L. A escritora Anita Philipovsky: contribuições da literatura para a educação feminina nos Campos Gerais, PR. Quaestio, Sorocaba, v. 21, n. 3, p. 883-899, set./dez. 2019.

PERROT, M. Mulheres públicas. Tradução de Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

PHILIPOVSKY, A. A recompensa, Diário da Tarde, Curitiba, 15 jul. 1916.

PHILIPOVSKY, A. Educação. O Progresso, Ponta Grossa, n. 595, 08 ago. 1912.

PHILIPOVSKY, A. Paizagem. Paraná Illustrado, Curitiba, 15 out. 1915.

PINTO, L. C.; DENIPOTI, C. O livro como dádiva: as dedicatórias manuscritas nos livros do centro cultural Euclides da Cunha – Ponta Grossa – 1950-1960. Revista Métis, Caxias do Sul, v. 7, n. 13, p. 233-255, jan./jun. 2008.

SANTOS, L. C. dos. Anita Philipovsky: a princesa dos campos. Ponta Grossa: UEPG. 2002.

SANTOS, L. C. dos. Letras ponta-grossenses: lembranças de Anita – VII. Uniletras, Ponta Grossa, v. 23, n. 1, p. 237-240, dez. 2001.

SAPIRO, G. Modelos de intervenção política dos intelectuais: o caso francês. Revista Pós Ciências Sociais, v. 9, n. 17, p. 19-50, jan./jun. 2012.

SCOTT, J. W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SIRINELLI, J. Os intelectuais. In: RÉMOND, R. (org.). Por uma história política. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

SPIVAK, G. C. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

VIEIRA, C. E. Erasmo Pilotto: identidade, engajamento político e crenças dos intelectuais vinculados ao campo educacional brasileiro. In: LEITE, J. L.; ALVES, C. (org.). Intelectuais e história da educação no Brasil: poder, culturas e políticas. Vitória: EDUFES, 2001. p. 25-54.

WOELLNER, A. M. A voz da mulher na literatura. Revista de Literatura, História e Memoria, Cascavel, v. 3, n. 3, p. 9-34, 2007.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Karina Campagnoli

Downloads

Não há dados estatísticos.