Arte popular, artesanato, gênero e relações raciais

o lugar da arte das mulheres negras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/modos.v6i3.8670725

Palavras-chave:

Cerâmica, Artesanato, Gênero, Arte popular, Relações raciais

Resumo

Este artigo é fruto de uma reflexão produzida em minha tese de doutorado em Artes Visuais e tem o propósito de pensar os sentidos e significados dos conceitos de artesanato e arte popular. A partir de uma pesquisa realizada com mulheres ceramistas do povoado de Passagem, zona rural do município de Barra (Oeste baiano), e da análise da situação social, racial e econômica dos sujeitos que produzem essa arte, examinarei as interconexões entre gênero, raça, classe social e território como um dado importante para compreender a marginalização dessa produção e sua definição como não arte pelos sistemas das artes. Neste processo de tensões e contradições, e com base na constatação de que as chamadas artes populares e o artesanato são produzidos em grande medida por mulheres, não devemos perder de vista as situações de exclusão e de desvalorização do papel das mulheres negras, indígenas e afro-indígenas, especialmente as artesãs, no sistema das artes visuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jancileide Souza dos Santos, Universidade Federal do Oeste da Bahia

Doutora em História da Arte pelo Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Universidade Federal da Bahia. Professora de História da Arte da Universidade Federal do Oeste da Bahia.

Referências

ADICHIE, C. N. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

BARRIENDOS, J. La colonialidad del ver. Hacia un nuevo diálogo visual interepistémico. Nómadas (Col), Universidad Central, Bogotá, n. 35, p. 13-29, oct. 2011. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1051/105122653002.pdf. Acesso em: 27 jul. 2020.

CHADWICK, W. Las mujeres y el arte. Debate feminista, Ciudad de México, v. 7, p. 257-266, 1993. Disponível em: http://debatefeminista.cieg.unam.mx/df_ojs/index.php/debate_feminista/article/view/1656/1485. Acesso em: 27 jul. 2020. DOI: https://doi.org/10.22201/cieg.2594066xe.1993.7.1656

hooks, b. Art on My Mind: visual politics. New York: The New Press, 1995.

FEDERICI, S. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante, 2017.

LAGARDE Y DE LOS RÍOS, M. M. Los cautiverios de las mujeres: madresposas. monjas, putas, presas y locas. 4. ed. Ciudad de Mexico: Universidad Nacional Autónoma, 2005.

MENDONÇA, E.; LIMA, R. G. Ribando potes: cerâmica de Passagem. Pesquisa de Elizabete Mendonça e Maria José Chaves Ramos. Rio de Janeiro: IPHAN, CNFCP, 2003.

NOCHLIN, L. Por que não houve grandes mulheres artistas? São Paulo: Edições Aurora, 2016.

PARKER, R. A criação da feminilidade. In: PEDROSA, A.; CARNEIRO, A.; MESQUITA, A. (Orgs.). Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. História das mulheres, historias feministas. São Paulo: MASP, 2019, p.95-107.

POLLOCK, G. Visión, voz y poder: historias feministas del arte y marxismo. In: CORDERO REIMAN, K.; SÁENZ, I. (Orgs.). Crítica feminista en la teoría e historia del arte. Ciudad de Mexico: Universidad Iberoamericana, 2001a, p.45-79.

POLLOCK, G. Diferenciando: el encuentro del feminismo con el canon. In: CORDERO REIMAN, K.; SÁENZ, I. (Orgs.). Crítica feminista en la teoría e historia del arte. Ciudad de Mexico: Universidad Iberoamericana, 2001b, p.141-158.

SANTOS, J. S. dos. Arte, memória e re-existência: a criação artesanal das mulheres no Oeste baiano. 2020. Tese (Doutorado em Artes Visuais) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2020.

SANTOS, J. S. dos. Coleções, colecionismo e colecionadores: um estudo sobre o processo de legitimidade artística da produção de arte popular católica na Bahia entre as décadas de 1940 a 1960. 2013. Tese (Mestrado em Artes Visuais) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

SHINER, L. La invención del arte: uma historia cultural. Barcelona: Paidós Estética, 2004.

Downloads

Publicado

2022-09-12

Como Citar

SANTOS, J. S. dos . Arte popular, artesanato, gênero e relações raciais: o lugar da arte das mulheres negras . MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 187–207, 2022. DOI: 10.20396/modos.v6i3.8670725. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8670725. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos - Colaborações