Apresentação

Independência ou morte! Tradições e modernidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/modos.v6i3.8670926

Palavras-chave:

Independência do Brasil, Memória da imagem, Modernismo

Resumo

Tomando como ponto de partida as diferentes narrativas sobre a efeméride do bicentenário da Independência do Brasil (1822), em conexão com outros marcos históricos relacionados ao longo do tempo, como por exemplo os debates em torno da Semana de Arte Moderna, em 1922, este dossiê busca apresentar diferentes histórias conectadas e cruzadas, em distintas escalas de leitura temporal e espacial, acerca da tradição e da modernidade no Brasil. Assunto prolixo, porém inesgotável, o evento histórico é tratado aqui como uma janela para a compreensão das relações entre passado e presente no campo da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aldrin Moura de Figueiredo, Universidade Federal do Pará

Professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas pela Universidade Federal do Pará.

Paulo Knauss, Universidade Federal Fluminense

Professor do departamento de História da Universidade Federal Fluminense. 

Referências

ALBERTONI, F. Fechamentos e aberturas da memória e da identidade nacional a partir de O Brasil, de Jaime Lauriano. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 318–351, 2022. Disponível em: 10.20396/modos.v6i3.8668769.

CARVALHO NUNES, M.; FARIAS, A. "Trapioca", de Emmanuel Nassar: Arapucas modernas. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 353–370, 2022. Disponível em: 10.20396/modos.v6i3.8668865.

COSTA, E. A. Este Granito : A materialidade como estratégia de revisão historiográfica. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 274–298, 2022. Disponível em: 10.20396/modos.v6i3.8668695.

GOMES, N. “Joana Angélica ou a mártir da Independência”: história de uma pintura perdida de Firmino Monteiro. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 245–272, 2022. Disponível em: 10.20396/modos.v6i3.8668832.

LIMA DA SILVA, F. O monumento do “guerreiro guarani”: o chafariz de Conceição de Mato Dentro e a memória da independência em Minas Gerais. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 216–243, 2022. Disponível em: 10.20396/modos.v6i3.8668874.

MEDEIROS, A. Quantos "modernismos" cabem numa modernidade?. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 300–316, 2022. Disponível em: 10.20396/modos.v6i3.8668870. DOI: https://doi.org/10.20396/modos.v6i2.8668462

Downloads

Publicado

2022-09-12

Como Citar

FIGUEIREDO, A. M. de; KNAUSS, P. Apresentação: Independência ou morte! Tradições e modernidades. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 209–214, 2022. DOI: 10.20396/modos.v6i3.8670926. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8670926. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê - Independência ou Morte! tradições e modernidades