Engajamento da sociedade com a criação imagética de pessoas que vivenciam experiências psiquiátricas
PDF

Palavras-chave

Arte Outsider
Imagética visual
História da arte
Hans Prinzhorn
Doença mental

Como Citar

REILY, Lucia. Engajamento da sociedade com a criação imagética de pessoas que vivenciam experiências psiquiátricas: o Museu da Coleção Prinzhorn. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 224–259, 2024. DOI: 10.20396/modos.v8i1.8675660. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8675660. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

O acervo centenário da Coleção Prinzhorn hospedado na Clínica Psiquiátrica da Universidade de Heidelberg abriga um conjunto singular de documentos e imagens produzidas por pessoas que vivenciaram experiências psiquiátricas. A coleção ganhou notoriedade na década de 1920 devido ao protagonismo do psiquiatra e arte historiador Hans Prinzhorn. O objetivo do artigo é analisar ações institucionais reveladas em documentos preservados no acervo que apontam para os processos de mobilização e engajamento de determinados segmentos da sociedade durante o período de 1919 até 1933 – etapa chave da constituição da Coleção. A construção do presente artigo está pautada na análise documental e na observação participante das atividades e eventos atuais do Museu. À luz de nossas observações do cotidiano, no decorrer de um período de três meses, pretendemos elucidar como os processos de engajamento da sociedade continuam em curso, de forma muito mais abrangente e complexa, mantendo o acervo visível, dinâmico e ativo para a comunidade universitária onde está abrigado e num raio muito mais amplo, de modo a contribuir para a discussão de questões relevantes para a história da arte e para a produção artística de pessoas que convivem com a experiência psiquiátrica.

https://doi.org/10.20396/modos.v8i1.8675660
PDF

Referências

ARNHEIM, R. The Artistry of Psychotics: Art works created by the mentally ill spring from the same basic psychological roots as do the works of other artists. American Scientist, v. 74, n. 1, p. 48-54, 1986. Disponível em: <http://www.jstor.org/stable/27853938> Acesso em 3 mar. 2018.

BECKER, H. S. Art Worlds. Berkeley, CA.: University of California Press, 1982.

BRAND-CLAUSSEN, B. The collection of works of art in the psychiatric clinic, Heidelberg – from the beginnings until 1945. In: BRAND-CLAUSSEN, B.; JADI, I.; DOUGLAS, C. Beyond reason: art and psychosis: works from the Prinzhorn Collection. London: Hayward Gallery; Berkeley, CA: University of California Press, 1996, p. 7-23.

BRAND-CLAUSSEN, B. Between respect and ostracism: the history of a crazy collection. In: VON BEYME, I.; RÖSKE, T. Introduction to the Prinzhorn Collection. Sammlung Prinzhorn: Heidelberg: 2021, p. 5-14.

BURKE, J. Deuses de Freud. Trad. Mauro Pinheiro. Rio de Janeiro: Record, 2010.

CARVALHO, R. C. M. de. A formação do pensamento estético de Osório Cesar: estudo dos textos sobre arte e cultura escritos no período de 1920 a 1960. Tese (Doutorado em História da Arte) – Universidade Estadual de Campinas, 2016. Disponível em: <https://repositorio.unicamp.br/acervo/detalhe/966012> Acesso em 8 mar. 2018.

CESAR, O. A expressão artística nos alienados: contribuição para o estudo dos símbolos na arte. São Paulo: Oficinas Gráficas do Hospital do Juqueri, 1929.

ENGLISH, C. The gallery of miracles and madness: insanity, modernism and Hitler’s war on art. Nova York: Random House, 2021.

GUIMARÃES, R. A. A joia de artista: caminhos e processos de artistas surrealistas. Tese (Doutorado em Artes Visuais) –Universidade Estadual de Campinas, 2017.

HEIDELBERG. Jornal sem título. 1931.

HIRSCH, H.; LUCHSINGER, K.; RÖSKE, T. Extraordinaire! Unbekannte Werke aus psychiatrischen Einrichtungen in der Schweiz um 1900. Zurique: Scheidegger & Spiess, 2018.

KASSELER TAGEBLATT. Die Ausstellung geistekranker Künstler – Schröpferkraft und geistiger Zerfall. Kassel, 20 abr. 1932.

KREUTER, A. Deutschsprachige Neurologen und Psychiater: Ein biographisch-bibliographisches Lexikon von den Vorläufern bis zur Mitte des 20. Jahrhunderts. Munique: K. G Saur Verlag, 1996.

LA SUISSE. L’art des possédés. Genebra, 30 jan. 1930.

MACGREGOR, J. The discovery of the art of the insane. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1989.

MANNHEIM. Sem título. Bildnerei der Geisteskranken – Ausstellung im Kunsthaus Tannenbaum. (k.o), 1931.

PEDROSA, M. Arte, forma e personalidade: 3 estudos. São Paulo: Kairós Livraria e Editora LTDA., 1979.

PRINZHORN, H. Artistry of the mentally ill: a contribution to the psychology and psychopathology of configuration. Tradução: Eric von Brockdorff. Springer-Verlag: Viena e Nova York, 1995.

RÖCKELEIN, S. Hans Prinzhorn (1886-1933). Dokumentation mit Bild und Textzeugnissen zum Leben und Werk. Hemer: Hans Prinzhorn-Archiv, 2003.

RÖSKE, T. Inspiration and unreachable paradigm: L’art de fous and Surrealism. In: RÖSKE, T; VON BEYME, I. (ed.). Surrealism and Madness. Heidelberg: Wunderhorn, 2009a, p. 10-23.

RÖSKE, T. By donation – by trade – by purchase. How works from the Prinzhorn Collection made their way into the Dammann Collection. Tradução: Sasanne Brunhart Wiggins. In: JAGFELD, M.; DAMMANN, G. (orgs.) Wahnsinn sammeln: Outsider Art aus der Sammlung Dammann. Band II, 2013, p. 57-63.

RÖSKE, T. Hans Prinzhorn, art historian and psychiatrist. In: VON BEYME, I.; RÖSKE, T. Introduction to the Prinzhorn Collection. Sammlung Prinzhorn: Heidelberg: 2021, p. 16-17.

SIEGEL, J. (org.). The emergence of the modern museum – an anthology of nineteenth-century sources. Oxford, Reino Unido: Oxford University Press, 2008.

SILVEIRA, N. da. Imagens do Inconsciente. Rio de Janeiro: Alhambra, 1981.

SIMIONI, A. P. C. A viagem a Paris de artistas brasileiros no final do século XIX. Tempo Social, Revista de sociologia da USP, v. 17, n. 1, p. 343-366, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ts/a/FD3HFJd9FwyvdLQsKtnFCvQ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 8 mar. 2018.

VON BEYME, I.; RÖSKE, T. Introduction to the Prinzhorn Collection. Sammlung Prinzhorn: Heidelberg: 2021.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Lucia Reily

Downloads

Não há dados estatísticos.