Políticas educacionais antirracistas na América Latina

estudos comparados

Palavras-chave: Educação, População negra, América Latina

Resumo

Neste texto, tem-se por objetivo apresentar um quadro dos estudos comparados existentes sobre políticas educacionais antirracistas na América Latina, com foco na população negra. Realizou-se a pesquisa em bases de dados online, encontrando seis trabalhos sobre o tema, tendo como foco principalmente Brasil e Colômbia. Ainda que os estudos destaquem que os negros na América Latina enfrentam dificuldades semelhantes no campo educacional, é alarmante a falta de estudos comparados sobre essa população na região, o que pode estar relacionado à falta de dados estatísticos baseados em critérios raciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wellington Oliveira dos Santos , Universidade Estadual de Goiás

Professor na Universidade Estadual de Goiás (UEG). 

Referências

Bello, A., & Rangel, M. (2002) La equidad y la exclusion de los pueblos indigenas y afrodescendientes en America Latina y el Caribe. Revista de la CEPAL,76,39-54.

Campos, R. F. (2012, janeiro/abril). Política pequena para as crianças pequenas? Experiências e desafios no atendimento das crianças de 0 a 3 anos na América Latina. Revista Brasileira de Educação, 17(49), 81-105.

Candau, V. M. F. (2010). Educação intercultural na América Latina: diferentes concepções e tensões atuais. Estúdios Pedagógicos, 36(2), 333-342.

Candau, V. M. F., & Russo, K. (2010). Interculturalidade e educação na América Latina: uma construção plural, original e complexa. Revista Diálogo Educacional,10(29), 151-169.

Corbetta, S., & D’Alessandre, V. (2012, janeiro/junho). Educación y afrodescendientes Hacia un balance en materia de políticas educativas. Exitus, 2(1), 57-77.

Costa, S. (2012). Desigualdades, interdependências e afrodescendentes na América Latina. Tempo Social, 24(2), 123-145.

Di Pierro, M. C. (2008). Educação de jovens e adultos na América Latina e Caribe: trajetória recente. Cadernos de Pesquisa, 38(134), 367-391.

Espinoza, O. (2008). La relación Estado-educación y el proceso de reforma educacional: una aproximación desde la teoría crítica. Revista Iberoamericana de la educación, 45, 1-13.

Fanon, F. (1979). Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Gentili, P. (2009) O direito à educação e as dinâmicas de exclusão na América Latina. Educação e Sociedade, 30(109), 1059-1079.

Hooker, J. (2006). Inclusão indígena e exclusão dos afro-descendentes na América Latina. Tempo Social, 18(2), 89-111.

Mendes, P. V. G. (2013). Ações afirmativas para afrodescendentes: as políticas de reserva de vagas no Ensino Superior de Brasil e Colômbia. Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO). Recuperado em 26 de agosto de 2015, de http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/becas/20131220105935/2.pdf.

Miranda, C. (2011). Etnoeducação e dimensões político-pedagógicas da diversidade cultural nas propostas curriculares do Brasil e da Colômbia. In 34 Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Natal, Rio Grande do Norte.

Miranda, C., Quiñonez, F. M. R., & Arboleda, J. H. (2014). Discursos e propostas etnoeducativas no Brasil e na Colômbia. Revista de História Comparada, 8(1), 189-211.

Quijano, A. (2005). Dom Quixote e os moinhos de vento na América Latina. Estudos Avançados, 19(55), 9-31.

Rodrigues, C.(2012). Engendrando afrolatinidades: movimentos negros, Estado e políticas públicas no Brasil e na Colômbia. In I. Oliveira (Org.), Relações raciais no contexto social, na educação e na saúde: Brasil, Cuba, Colômbia e África do Sul (pp.59-114). Rio de Janeiro: Quartet.

Sansone, L. (1998). Racismo sem etnicidade. Políticas públicas e discriminação racial em perspectiva comparada. Revista Dados, 41(4),751-783.

Streck, D. R. (2006). Práticas educativas e movimentos sociais na América Latina: aprender nas fronteiras. Série-Estudos – Periódico do Mestrado em Educação UCDB, 22, 99-111.

Telles, E. (2003). Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

Emenda Constitucional BR nº59, de 11 de novembro de 2009. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos.

Lei BR n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996, 20 de dezembro). Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, seção 1, ano CXXXIV, n. 248.

Ley General de Educacion n.º 115, 1994. Ministério de Educacion Nacional de Colômbia.
Publicado
2019-09-04
Como Citar
Santos , W. O. dos. (2019). Políticas educacionais antirracistas na América Latina. Pro-Posições, 30, 1-22. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8656523
Seção
Artigos