Cultura e formação

a ideia de formação humana na sociedade contemporânea

Palavras-chave: Formação humana, Educação e mercado, Educação integral, Capital humano.

Resumo

Neste texto o leitor encontra uma reflexão crítica sobre a formação humana nocontexto da proeminência das relações econômicas na orientação da vida subjetivae social. Argumenta-se que o sistema econômico vem se tornando o sentido e onorte do processo educacional. Nestes termos, não mais a formação do ser humanoem suas dimensões racional, ética e estética representa o sentido e o fio condutordo processo formativo, mas a preparação e a transformação das pessoas em “capitalhumano”, adaptado aos interesses do mercado. A pergunta a ser respondida é se, navalorização extrema do econômico, o ser humano ainda tem condições e chancesde preservar sua liberdade e autonomia como condições essenciais de suahumanidade. Defende-se que a educação pode e deve retomar uma agenda proativa,visando a educação integral do ser humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro L. Goergen, Universidade de Sorocaba

Atualmente é professor titular da Universidade de Sorocaba.

         

Referências

Adorno, T., & Horkheimer, M. (1985). Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar. (Trabalho original publicado em 1947).

Arendt, H. (1978). O sistema totalitário. Lisboa: Dom Quixote.

Arendt, H. (2008). A promessa da política. Rio de Janeiro: Difel.

Baudrillard, J. (2007). A sociedade do consumo. Lisboa: Edições 70.

Bauman, Z. (2011). Vida em fragmentos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Dardot, P., & Laval, C. (2017). Comum: ensaio sobre a revolução no século XXI. São Paulo: Boitempo.

Dardot, P., & Laval, C. (2016). A nova razão do mundo. São Paulo: Boitempo.

Ewald, F., & Fontana, A. (2013). Nota. In M., Foucault, O governo de si e dos outros (pp. xx-xx). São Paulo: Martins Fontes.

Foucault, M. (1977). Vigiar e punir: história da violência nas prisões. Petrópolis: Vozes. (Trabalho original publicado em 1975).

Foucault, M. (2004). A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 2001).

Foucault, M. (2013). O governo de si e dos outros. São Paulo: Martins Fontes.

Gumbrecht, H. U. (2016). Nosso amparo presente: o tempo e a cultura contemporânea. São Paulo: Editora Unesp.
Laval, C., Vergne, F., Clément, P., & Dreux, G. (2012). La nouvelle école capitaliste. Paris: La Découverte.

Silva Júnior, J. R. (2017). The new Brazilian University – a busca por resultados comercializáveis: para quem? Bauru: Canal 6.

Slaughter, S., & Leslie, L. (1997). Academic capitalism: politics, policies and the entrepreneurial university. Baltimore: John Hopkins University Press.

Weber, M. (2001). A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira.
Publicado
2020-01-08
Como Citar
Goergen, P. L. (2020). Cultura e formação. Pro-Posições, 30, 1-21. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8658028
Seção
Artigos