Da servidão irrestrita à simpatia cooperante

reflexões a partir de Georg Herbert Mead e Monteiro Lobato

Autores

Palavras-chave:

Self, Educação, Autoformação, Liberdade, Servisão

Resumo

O ensaio aborda oproblema da formação social do self. Dividindo-se em quatro passos, reconstrói, no primeiro, aspectos da teoria interacionista da educação de Mead, enfatizando sua dimensão social-intersubjetiva. No segundo passo recorre ao conto “Negrinha”, de Monteiro Lobato, para mostrar, à contrapelo, como a ação humana pode descambar facilmente para a obediência irrestrita e o quanto isso marca destrutivamente as formas de vida. Confronta, no terceiro passo, o conto de Monteiro Lobato por meio deaspectos da teoria da ação de Mead, evidenciando a tensão constitutiva da formação humana como autoformação. Por fim, reconstrói, no quartopasso, um traço da formação como autoformação, herdado por Mead da Modernidade, queoauxilia a colocar a simpatia cooperante como núcleo ético da formação do si-mesmo. O ensaio conclui afirmando que perspectivas intersubjetivas são mais apropriadas, em contextos sociais plurais, para livrar o ser humano de suas diferentes formas de servidão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudio Almir Dalbosco, Universidade de Passo Fundo

 Pós-Doutorado pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Professor titular da Universidade de Passo Fundo.

Claudeonor Antônio de Vargas, Universidade de Passo Fundo

Doutorado em andamento em Educação pela Universidade de Passo Fundo.

Renata Maraschin, Universidade de Passo Fundo

Pós-Doutorado pela Universidade de Passo Fundo.

 

Referências

Dalbosco, C. A. (2010). Pragmatismo, teoria crítica e educação. Campinas: Autores Associados.

Dalbosco, C. A. (2011). Kant & a educação. Belo Horizonte: Autêntica.

Dalbosco, C. A. (2014). Die sprachliche Konstitution des Selbst (Self) und die pädagogische Handlung. Pädagogische Rundschau, 68,251-262.

Dalbosco, C. A. (2016). Condição humana e educação do amor-próprio em Jean-Jacques Rousseau.São Paulo: Loyola.

Dalbosco, C. A. (2019). Metamorfoses do conceito de formação: da teleologia fixa ao campo de força. In C. A. Dalbosco, E. H. Mühl, & H.-G. Flickinger (Eds.),Formação humana (Bildung): despedida ou renascimento?(pp.35-64). São Paulo: Cortez Editora.

Freire, P. (2009). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Hegel, G. W. F. (1988). Phänomenologie des Geistes. Hamburg: Meiner.Habermas, J. (1992). Nachmetaphysisches Denken:Philosophische Aufsätze. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Honneth, A. (1994). Kampf um Anerkennung:Zur moralischen Grammatik sozialer Konflikte. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Joas, H. (2000). Praktische Intersubjektivität:die Entwicklung des Werkes von G. H. Mead. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Kant, I. (1998). Beantwortung der Frage: was ist Aufklärung? InWerke in sechs Bänden(Herausgegeben von Wilhelm Weischedel, Vol. 4, pp.53-61). Darmstadt: Wissenschaftliche Buchgesellschaft.

Liessmann, P. K.(2012). Theorie der Unbildung. InH.Hastedt(Ed.),Was ist Bildung?:Eine Textanthologie(pp. 212-222). Stuttgart: Reclam.

Lobato, M. (2001). Negrinha. InIMoriconi(Ed.),Os cem melhores contos brasileiros do século(pp. 78-84). Rio de Janeiro: Objetiva.

Mead, G. H. (1992). Mind, self and society: from the standpoint of a social behaviorist. Chicago: University of Chicago Press.

Mead, G. H. (2010). Espíritu, persona y sociedad: desde el punto de vista del conductismo social. Madrid, Paidós.

Rousseau, J.-J. (1999). Emile (Oeuvres complètes, Vol. 4). Paris: Gallimard.

Teixeira, A. (2000). Pequena introdução à filosofia da educação:a escola progressiva ou a transformação da escola. Rio de Janeiro: DP&A.

Tugendhat, E. (1997). Selbstbewusstsein und Selbstbestimmung:Sprachanalytische Interpretationen. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Downloads

Publicado

2020-08-10

Como Citar

DALBOSCO, C. A.; VARGAS, C. A. de .; MARASCHIN, R. Da servidão irrestrita à simpatia cooperante: reflexões a partir de Georg Herbert Mead e Monteiro Lobato. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 31, p. e20190075, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8664293. Acesso em: 25 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos