A informação na música impressa: elementos para análise documental e representação de conteúdos

Autores

  • Hugo Carlos Cavalcanti
  • Maria Auxiliadora Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v8i2.1937

Palavras-chave:

Tratamento da informação, Organização da informação, Análise de assunto, Indexação, Partituras, Obra musical, Musicologia

Resumo

Sugere elementos de representação temática em partituras musicais a fim de melhorar o processo de recuperação da informação. Parte-se do pressuposto de que a Musicologia oferece aspectos representativos da obra musical que necessitam ser sistematizados e apreendidos pelo profissional da informação. Ao tratar a música como linguagem não-textual, foram estabelecidos estratégias de descrição de assunto em partituras, com amparo em elementos básicos no âmbito da Musicologia. Ademais, correlacionou-se o resultado de pesquisa bibliográfica com usuários especializados, apreendendo-se o modo como a comunidade musical lê a informação. Nessa perspectiva, conjugou-se uma reflexão do objeto de estudo (música) junto à Ciência da Informação no tocante à comunicação e representação da informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Hugo Carlos Cavalcanti

Concluinte de graduação em Biblioteconomia pela UFPE.

Maria Auxiliadora Carvalho

Professor Adjunto da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ms. em Ciência da Informação (Convênio IBICT/ UFRJ).

Referências

BENNETT, Roy. Uma breve história da música. Tradução de Maria Resende Costa. Rio de Janeiro: Zahar, 1986(b). 79 p. (Cadernos de música da Universidade de Cambridge).

________. Forma e estrutura na música. Tradução de Luiz Carlos Csëko, revisão técnica, Luiz Paulo Horta. Rio de Janeiro: Zahar, 1986(a). 79 p. (Cadernos de música da Universidade de Cambridge).

CANDÉ, Roland de. História universal da música. Tradução de Eduardo Brandão, revisão da tradução Marina Appenzeller. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 2 v.

CARDOSO, Ivanise Vitale. Vocabulário controlado para indexação de partituras de música brasileira: proposta de uma estrutura básica. Transinformação, São Paulo, v. 8, n. 3, p. 81-96, set./dez. 1996.

CÓDIGO DE CATALOGAÇÃO ANGLO-AMERICANO. 2. ed. rev. 2002. São Paulo: FEBAB, 2004.

COTTA, André Henrique Guerra. Música. In: CAMPELLO, Bernadete Santos (Org.). Formas e expressões do conhecimento: introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: Escola de Biblioteconomia da UFMG, 1998, p.153-171.

________. O tratamento da informação em acervos de manuscritos musicais brasileiros. 2000, 293 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Biblioteconomia, Belo Horizonte, 2000.

DIAS, Eduardo Wense; NAVES; Madalena Martins Lopes. Análise de assunto: teoria e prática. Brasília: Thesaurus, 2007. 116 p.

DOWNIE, J. Stephen. Music information retrieval (Chapter 7). Annual Review of Information Science and Technology, v.37, p. 295-340, 2003.

FARIA, Maurício Marques de. O tratamento documental dos arquivos musicais e a busca de práticas comuns no tratamento da música brasileira para orquestra. Opus, Goiânia, v. 15, n .1, p. 85-90, jun. 2009. Disponível em: < http://www.anppom.com.br/opus/opus15/105/105-Faria.htm>. Acesso em 15 fev. 2010.

FIGUEIREDO, Guilherme. Miniatura da história da música. Rio de Janeiro: CEB, 1942. 240p.

FUJITA, M. S. L. A identificação de conceitos no processo de análise de assunto para indexação. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 1, n. 1, p. 60-90, jul. 2003. Disponível em: < http://www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/viewarticle.php?id=9>. Acesso em: 04 abr. 2010.

MARTINEZ, José Luiz. Ciência, significação e metalinguagem: Le Sacre du printemps. Opus, Campinas, v.9, p.87-102, dez. 2003. Disponível em: < http://www.anppom.com.br/opus/opus9/opus9-7.pdf>. Acesso em 18 abr. 2010.

MASSIN, Jean; MASSIN, Brigitte. História da música ocidental. Tradução de Maria Teresa Costa, Carlos Sussekind, Angela Ramalho Viana. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997. 1255p.

MATOS, Alexandra Linda Herbst. Documentação musical: discussão sobre a representação temática de partituras a partir de um enfoque interdisciplinar. 2007. 104 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, São Paulo, 2007. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-05072009-190855/>. Acesso em 10 mar. 2010.

MCGARRY, K. J. O contexto dinâmico da informação: uma análise introdutória. Brasília: Briquet de Lemos, 1999. 206 p.

MONTEIRO, Francisco. Interpretação musical: princípios semiológicos para compreensão da obra musical enquanto objecto de interpretação. Revista Música, Psicologia e Educação, Portugal, n. 1, p. 45-60, 1999. Disponível em < http://paisagemusical.wordpress.com/2010/04/27/interpretacao-musical-principios-semiologicos-para-a-compreensao-da-obra-musical-enquanto-objeto-de-compreensao-e-interpretacao/>. Acesso em: 07 abr. 2010.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. 23. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. 187 p.

PAZIN, Rosina Alice Albina Prueter. Indexação de multimeios. 2. ed. Curitiba: Ed. UFPR, 1993. 50 p.

PEROTA, Maria Luzia Loures Rocha. Multimeios: seleção, aquisição, processamento, armazenagem, empréstimo. 4. ed. Vitoria (ES): EDUFES, 1997. 183 p.

RECINE, Analucia V. Santos; MACAMBYRA, Marina. Manual de catalogação de partituras da Biblioteca da ECA. 2. ed. São Paulo: ECA/USP, 2007. 46 p.

SADIE, Stanley. Dicionário Grove de música: edição concisa. Rio de Janeiro: Zahar, 1994. 1048p.

ROSEN, Charles. Formas de sonata. Barcelona: Editorial Labor, 1987. 376p.

SADIE, Stanley. Dicionário Grove de música: edição concisa. Rio de Janeiro: Zahar, 1994. 1048p.

SMIRAGLIA, R.P. Musical works as information retrieval entities: epistemological perspectives. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON MUSIC INFORMATION RETRIEVAL, 2., Indiana, USA, 2001. Proceedings... Disponível em < http://ismir2001.ismir.net/pdf/smiraglia.pdf>. Acesso em: 07 abr. 2010.

STREHL, Letícia. Avaliação da consistência da indexação realização em uma biblioteca universitária de artes. Ciência da Informação, v. 27, n. 3, p. 329-335, set./dez. 1998. Disponível em: < http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/viewArticle/316>. Acesso em: 15 fev. 2010.

SVENONIUS, Elanie. Acess to non-book material: the limits of subject indexing for visual and neural languagens. Journal of the American Society for Information Science, New York, NY, USA, v. 45, n. 8, p. 600-606, set. 1994. Disponível em: < http://polaris.gseis.ucla.edu/gleazer/462_readings/Svenonius_1994.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2010.

WISNIK, José Miguel. O som e o sentido: uma outra história das músicas. 2. ed. São Paulo: Cia das Letras, 2009. 283 p.

ZAMACOIS, Joaquín. Curso de formas musicales. 10. ed. Barcelona: Labor, 1997. 275 p.

ZAMPRONHA, Edson. Notação, representação e composição: um novo paradigma da escritura musical. São Paulo: Fapesp, 2000. 298 p.

Downloads

Publicado

2011-02-25

Como Citar

CAVALCANTI, H. C.; CARVALHO, M. A. A informação na música impressa: elementos para análise documental e representação de conteúdos. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 132–151, 2011. DOI: 10.20396/rdbci.v8i2.1937. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1937. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos