Política de indexação na catalogação de assunto em bibliotecas universitárias: a visão sociocognitiva da atuação profissional com protocolo verbal

Autores

  • Milena Polsinelli Rubi Universidade Federal de São Carlos https://orcid.org/0000-0002-4414-1767
  • Mariângela Spotti Lopes Fabiana Araujo Fujita Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v7i2.1960

Palavras-chave:

Política de indexação, Catalogação de assunto, Catalogação cooperativa, Biblioteca universitária

Resumo

A política de indexação deve fundamentar-se em uma filosofia que reflita os objetivos do sistema. Um dos aspectos concernentes à política de indexação diz respeito à conversão retrospectiva de dados para formação de catálogos coletivos. Nosso objetivo é identificar e analisar os elementos para o estabelecimento de uma política de indexação que seja norteadora dos procedimentos de indexação realizados em bibliotecas universitárias a partir da visão sociocognitiva dos bibliotecários diretores, catalogadores, de referências, docentes e discentes. Como metodologia, utilizamos questionário de diagnóstico organizacional e a técnica de coleta de dados introspectiva e qualitativa denominada Protocolo Verbal. Os resultados demonstraram que a política de indexação deve servir como subsídio para a organização do conhecimento no catálogo, atuando como guia para o bibliotecário no momento da determinação dos assuntos dos documentos descritos nos registros. Concluímos que a indexação só será realizada na biblioteca universitária durante o tratamento da informação documentária por meio de decisão política bem determinada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Milena Polsinelli Rubi, Universidade Federal de São Carlos

Doutora em Ciência da Informação pela Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Marília, SP (2008). Possui graduação em Biblioteconomia pela UNESP (2000) e mestrado em Ciência da Informação também pela UNESP (2004). Foi bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) durante o mestrado e o doutorado e bolsista de iniciação científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Hoje, é bibliotecária da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), campus de Sorocaba.

Mariângela Spotti Lopes Fabiana Araujo Fujita, Universidade Estadual Paulista

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo em 1992 e realizou concurso de Livre Docência em Análise Documentária e Linguagens Documentária Alfabéticas pela Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP Campus de Marília em 2003. 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12676: Métodos para análise de documentos - determinação de seus assuntos e seleção de termos de indexação.

Rio de Janeiro, 1992.

BOURDON, F. LANDRY, P. Best practices for subject access to national bibliographies: interim report by the Working Group on Guidelines for Subject Access

by National Bibliographies Agencies. Durban: IFLA, 2007. Disponível em: < http://www.ifla.org/IV/ifla73/papers/089-Bourdon_Landry-en.pdf>. Acesso em: 21

ago. 2007.

CARNEIRO, M. V. Diretrizes para uma política de indexação. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 221-241, set. 1985.

CHAUMIER, J. Indexação: conceito, etapas e instrumentos. Trad. José Augusto Chaves Guimarães. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 21,

n.1/2, p. 63-79, jan./jun. 1988.

CONNELL, T. H. Subject Cataloging. In: SMITH, L. C.; CARTER, R. C (Ed.). Technical services management, 1965-1990: a quarter century of change and a look to

the future. New York: Haworth Press, 1996. p. 211-222.

CUBILLO, J. Cambio y continuidad en las organizaciones de gestión del conocimiento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.1, n. 4 ago. 2000. Disponível em:

. Acesso em: 20 set. 2006.

CUNHA, M. B. da. Construindo o futuro: a biblioteca universitária brasileira em 2010. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 1, p. 71-89, jan./abr. 2000.

CUTTER, C. A. Rules for a dictionary catalog. 4. ed. Government Printing Office: Washington, 1904.

DIAS, E. W.; NAVES, M. M. L. Análise de assunto: teoria e prática. Brasília: Thesaurus, 2007.

FATTAHI, R. Library cataloguing and abstracting and indexing services: reconciliation of principles in the online environment? Library Review, Bradford, v. 47, n. 4, p. 211-

, 1998.

FERNÁNDEZ MOLINA, J. C.; MOYA ANEGÓN, F. Los catálogos de acceso público em línea: el futuro de la recuperación de información bibliográfica. Málaga: Asociación

Andaluzia de Bibliotecário, 1998.

FIÚZA, M. M. O ensino da “Catalogação de assunto”. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 257-269, set. 1985.

FOSKETT, A. C. A abordagem temática da informação. Tradução Antonio Agenor Briquet de Lemos. São Paulo: Polígono; Brasília: UnB, 1973.

FOSKETT, A. C. The subject approach to information. 5.ed. London: Library Association Publishing, 1996.

FUJITA, M. S. L. A leitura documentária do indexador: aspectos cognitivos e lingüísticos influentes na formação do leitor profissional. 2003. 321f. Tese (Livre-

Docência em Análise Documentária e Linguagens Documentárias Alfabéticas) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília.

FUJITA, M. S. L. Aspectos evolutivos das bibliotecas universitárias em ambiente digital na perspectiva da Rede de Bibliotecas da UNESP. Informação & Sociedade: estudos,

João Pessoa, v. 15, n. 2, 2005. Disponível em: < http://www.informacaoesociedade.ufpb.br/pdf/IS1520504.pdf>. Acesso em: 22 mar. 2006.

FUJITA, M. S. L.; RUBI, M. P.; BOCCATO, V. R. C. O contexto sociocognitivo do catalogador em bibliotecas universitárias: perspectivas para uma política de tratamento da

informação documentária. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 10, p. 1-24, 2009. Disponível em: < www.dgz.org.br>. Acesso em: 26 jan. 2010.

GUINCHAT, C.; MENOU, M. Introdução geral às ciências e técnicas da informação e documentação. 2. ed. rev. aum. Brasília: MCT/CNPq/IBICT, 1994.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 5693:1985: documentation: methods for examining documents, determining their subjects, and

selecting indexing terms. Geneve, 1985.

LANCASTER, F.W. Indexação e resumos: teoria e prática. 2.ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

MILSTEAD, J. L. Indexing for subject cataloguers. Cataloging & Classification Quarterly, v. 3, n. 4, p.37-44, 1983.

MOEN, W. E; BENARDINO, P. Assessing metadata utilization: an analysis of MARC content designation use. In: DUBLIN CORE CONFERENCE: SUPPORTING COMMUNITIES OF DISCOURSE AND PRACTICE – METADATA RESEARCH AND APPLICATION. 2003, Seattle. Online Proceedings... Seattle: Information School of the University of Washington, 2003. Disponível em:

< http://www.siderean.com/dc2003/502_Paper58.pdf>. Acesso em: 6 set. 2007.

NAVES, M. M. L. El trabajo de los indizadores: factores que afectan al análisis de contenido. Scire, Zaragoza, v. 8, n. 1, p. 119-130, jan./jun. 2002.

OLSON, H. A.; BOLL, J. Subject analysis in online catalogs. 2. ed. Englewood, CO: Libraries Unlimited, 2001.

PINTO MOLINA, M. Análisis documental: fundamentos y procedimientos. 2. ed. rev. aum. Madrid, Eudema, 1993.

RANGANATHAN, S. R. The five laws of library science. Madras: The Madras Library Association, 1931.

ROBREDO, J. Documentação de hoje e de amanhã: uma abordagem revisitada e contemporânea da Ciência da Informação e de suas aplicações biblioteconômicas,

documentárias, arquivísticas e museológicas. 4. ed. rev. e ampl. Brasília: Edição de autor, 2005.

RUBI, M. P. Elementos de política de indexação em manuais de indexação de sistemas de informação especializados. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo

Horizonte, v. 8, n. 1, p. 66-77, jan./jun. 2003.

RUBI, M. P. Política de indexação para construção de catálogos coletivos em bibliotecas universitárias. 2008. 169f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) –

Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2008.

SHAW, R. R. Documentation: complete cycle of information service. College & Research Libraries, Chicago, v. 18, n. 6, p. 452-454, 1957.

SILVA, M. R.; FUJITA, M. S. L. A prática de indexação: análise da evolução de tendências teóricas e metodológicas. Transinformação, Campinas, v. 16, n. 2, p. 133-

, maio/ago. 2004.

SILVEIRA, N. C. Análise do impacto dos Requisitos Funcionais para Registros Bibliográficos (FRBR) nos pontos de acesso de responsabilidade pessoal. 2007. 108f.

Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Pontifícia Universidade Católica, Campinas, 2007.

UMPIERRE, A. G. G.; FAVARETTO, B.; SILVA, F. C. C. Catálogos virtuais das bibliotecas universitárias no Brasil: realidade e perspectivas para a criação de uma rede

cooperativa nacional. Informação & Sociedade: estudos, João Pessoa, v. 16, n. 1, p. 148-147, 2006.

UNISIST. Princípios de indexação. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v.10, n.1, p. 83-94, mar. 1981.

VAN SLYPE, G. Lenguages de indización: concepción, contrucción y utilización en los sistemas documentales. Trad. Pedro Hípola e Félix de Moya. Madrid: Fundación Germán

Sánchez Ruipérez, 1991.

VÍLCHEZ PARDO, J. Tratamiento y ubicación de la colección. In: ORERA ORERA, L. (Ed.). Manual de Biblioteconomía. Madrid: Síntesis, 2002. p. 113-136.

VILLÉN-RUEDA, L. Indización y recuperación por materias en los opacs de las bibliotecas españolas: ¿dos décadas de evaluación? El profesional de la información,

Barcelona, v. 15, n. 2, p. 87-98, marzo/abr. 2006.

Downloads

Publicado

2010-03-01

Como Citar

RUBI, M. P.; FUJITA, M. S. L. F. A. Política de indexação na catalogação de assunto em bibliotecas universitárias: a visão sociocognitiva da atuação profissional com protocolo verbal. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 118–150, 2010. DOI: 10.20396/rdbci.v7i2.1960. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1960. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos