Portadores de necessidades especiais: o caso do instituto de educação e reabilitação dos cegos do Rio Grande do Norte

Autores

  • Edineide Silva Marques

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v5i2.2013

Palavras-chave:

Biblioteca – Inclusão, Portadores de necessidades especiais visuais, Atuação do profissional da informação

Resumo

Contempla o início de estudos que visam refletir sobre a inclusão de pessoas com necessidades especiais visuais na sociedade globalizada, ao considerar que o acesso à informação tornou-se um diferencial frente às novas tecnologias que aceleram a sua utilização. Assim, esta pesquisa analisa a integração desse indivíduo. Utiliza-se da metodologia bibliográfica, bem como da pesquisa de campo através da observação baseada em evidências, resultado de entrevistas e visitas a instituição especializada. Verificar-se, também a importância da inclusão social e enfatiza a necessidade do profissional da informação nesse processo. Concluiu-se que o bibliotecário é fundamental em uma unidade de informação, seja ela especial ou não. Contudo, sua capacitação é imprescindível para o processo de tomada de decisões aliada ao trabalho conjunto com os governos (municipal, estadual e/ou federal) também pode abranger as Organizações Não Governamentais (ONGs).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Edineide Silva Marques

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2008). Atualmente é professor substituto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Ciência da Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: portadores de necessidades especiais visuais, atuação do profissional da informação, biblioteca-inclusão., competência organizacional e bibliotecário - leitura. 

Referências

BARROS, Flávia Roberta dos Santos de. Bibliotecário e o compromisso social: quais as possibilidades para a realização desse encontro? In: O profissional da informação em tempo de mudanças. São Paulo: Alínea, 2005.

BEYER, Hugo Otto. Inclusão e Avaliação na Escola. Porto Alegre: Mediação, 2005.

BOHN, Maria Del Carmen R. O ensino na área de controle sobre a perspectiva da competência: experiência no curso de Biblioteconomia da UFSC. Disponível em: < http://www.encontros-bibli.ufsc.br>. Acesso: 4 out. 2006.

BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Política nacional de educação especial. Livro 1. Brasília: SEESP, 1994. Disponível em: < http://www.defnet.org.br>. Acesso em: 21 set. 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Programa de capacitação de recursos humanos do ensino fundamental: deficiência visual. v. 2. Brasília: MEC/SEE, 2001.

BUSCAGLIA, Leo. Os deficientes e seus pais. 3. ed. Rio de Janeiro: Record, 1997. 415p.

ESTABEL, Lizandra Brasil; MORO, Eliane Lourdes da Silva; SANTAROSA, Lucila Maria Costi. A inclusão social e digital de pessoas com limitação visual e o uso de tecnologias de informação e de comunicação na produção de páginas para a internet. Ciência da Informação, v. 35, n. 1, Brasília, jan/abr. 2006. Disponível em: < http://wwwscielo.br>. Acesso em: 23 out. 2006.

FERNANDES, Dirce Missae Suzuki. O deficiente visual e a biblioteca central da UEL: relato de experiência. 2000.

Disponível em: < http://snbu.bvs.br/snbu2000>. Acesso em: 21 set. 2006.

FERREIRA, A.B.H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MASINI, Elcie. O Perceber e o Relacionar-se do Deficiente Visual. Brasília, Coordenadoria Nacional Para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência - CORDE, 1994.

MENOU, Michel J.; MCHOMBU, Kingo. Os profissionais da informação em comunidades desfavorecidas. In: Atuação profissional na área de informação. São Paulo: Polis, 2004.

OHIRA, Maria Lourdes Blatt; PRADO, Noemia Schoffen; SCHMIDT, Luciana. Profissional da informação no limiar do século XXI: enfoque nos periódicos brasileiros em biblioteconomia e ciência da informação (1995/2002). Revista Eletr.

Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n. 17, 2004.

PINHEIRO, Danielle da Silva. O bibliotecário e o atendimento aos usuários com necessidades especiais em unidades de informação. Revista de Iniciação Científica da FFC, Marília, v. 4, n. 3, 2004. Disponível em: < http//www.revistas.marilia.unesp.br>. Acesso em: 23 out. 2006.

RODRIGUES, Graziela Cristina do Vale Pascoal. Vídere: jogos para estimulação visual. Trabalho de Diplomação apresentado ao curso de Tecnologia em Informática. Cornélio Procópio/PR, abril de 2005. Disponível em: < http://www.cfet.pr.br>. Acesso em: 3 nov. 2006.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. Formação: competências e habilidade do profissional da informação. In: Formação do profissional da informação. São Paulo: Polis, 2002.

Downloads

Publicado

2008-02-13

Como Citar

MARQUES, E. S. Portadores de necessidades especiais: o caso do instituto de educação e reabilitação dos cegos do Rio Grande do Norte. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 67–86, 2008. DOI: 10.20396/rdbci.v5i2.2013. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/2013. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos